17 de abril de 2015

Oriah Mountain Dreamer

Eu me deparei com um poema da Oriah Mountain Dreamer há alguns anos. Foi um texto que me inspirou e que gosto de ler até hoje. Assim como O Menestrel, de William Shakespeare, O Convite, de Oriah Mountain Dreamer me inspira bastante. Segue abaixo:



O Convite

Não me importa saber como você ganha a vida.
Quero saber o que mais deseja e se ousa sonhar em satisfazer seus anseios do seu coração.
Não me interessa saber sua idade.
Quero saber se você correria o risco de parecer tolo por amor, pelo seu sonho, pela aventura de estar vivo.
Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com sua lua.
O que eu quero saber é se você já foi até o fundo de sua própria tristeza, se as traições da vida o enriqueceram ou se você se retraiu e se fechou, com medo de mais dor.
Quero saber se você consegue conviver com a dor, a minha ou a sua, sem tentar escondê-la, disfarçá-la ou remediá-la.
Quero saber se você é capaz de conviver com a alegria, a minha ou a sua, de dançar com total abandono e deixar o êxtase penetrar até a ponta dos seus dedos, sem nos advertir que sejamos cuidadosos, que sejamos realistas, que nos lembremos das limitações da condição humana.
Não me interessa se a história que você me conta é verdadeira.
Quero saber se é capaz de desapontar o outro para se manter fiel a si mesmo.
Se é capaz de suportar uma acusação de traição e não trair sua própria alma, ou ser infiel e, mesmo assim, ser digno de confiança.
Quero saber se você é capaz de enxergar a beleza no dia a dia, ainda que ela não seja bonita, e fazer dela a fonte da sua vida.
Quero saber se você consegue viver com o fracasso, o seu e o meu, e ainda assim pôr-se de pé na beira do lago e gritar para o reflexo prateado da lua cheia: "Sim!"
Não me interessa saber onde você mora ou quanto dinheiro tem.
Quero saber se, após uma noite de tristeza e desespero, exausto e ferido até os ossos, é capaz de fazer o que precisa ser feito para alimentar seus filhos.
Não me interessa quem você conhece ou como chegou até aqui.
Quero saber se vai permanecer no centro do fogo comigo sem recuar.
Não me interessa onde, o que ou com quem estudou.
Quero saber o que o sustenta, no seu íntimo, quando tudo mais desmorona.
Quero saber se é capaz de ficar só consigo mesmo e se nos momentos vazios realmente gosta da sua companhia.


Oriah Mountain Dreamer tem uma história de vida interessante. Ela é autora de vários best-sellers traduzidos para mais de quinze idiomas. Em 2003 a Editora Sextante publicou A Dança. Um livro que propõe diminuir o ritmo, deixar a vida nos conduzir e dançar!

A Dança

Conheça mais sobre a autora em seu site.

14 de abril de 2015

Livros interativos

Vocês já ouviram falar de livros interativos, não? Como o próprio nome já diz, o livro e leitor interagem. Não é um livro para se ler parado. Há quem goste e há quem ache isso uma tremenda bobagem. 

Um dos livros interativos mais conhecidos é Destrua esse diário da autora Keri Smith. Nele a autora sugere atividades como na imagem abaixo:

Foto: Facebook do livro Destura Esse Diário

Há outros livros da autora nesse estilo. Particularmente, não acho nada interessante. Algumas atividades podem até ser legais, mas furar e rasgar páginas do livro. Estou fora!

Mas para quem gosta, fica a dica.

9 de abril de 2015

O Menestrel - William Shakespeare

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.


Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. 


Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la… E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. 


Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam… Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… Por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. 


Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… Mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve. 


Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… E que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. 


Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens… Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.


Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém… Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. 


Aprende que o tempo não é algo que possa voltar. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar… Que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

3 de abril de 2015

Resenha do livro Supernova - O Encantador de Flechas

Sabe quando um livro lhe surpreende? Quando vi Supernova – O Encantador de Flechas não imaginei que o livro apresentaria um conteúdo tão bom. 

Leran é um rapaz de 17 anos que vive com sua mãe, Laura, e sua irmã, Luana, em uma cidade chamada Acigam. A população de Acigam vive isolada do restante do mundo, pois o governo construiu uma muralha e proibiu qualquer cidadão de ultrapassá-la. Então Acigam tem suas peculiaridades. Por exemplo, como o exército é a primeira opção de emprego para os jovens, as escolas ensinam, entre outras disciplinas úteis para o dia a dia, o manuseio de armas de combate. Leran, por sua vez, se tornou um excelente arqueiro.

Quando não está treinando com seu arco, Leran adora passar o tempo com o seu avô, Bretor, com ele Leran aprende um pouco de magia – o que é terminantemente proibido na cidade. Então eles fazem isso às escondidas.

Certo dia Leran presencia algo que não deveria. E com isso toda a sua vida começa a mudar. Ele se vê obrigado a se empenhar mais no conhecimento da magia para defender sua família, a si mesmo e a sua cidade.

Em meio ao início de uma guerra civil, Leran conhece uma misteriosa jovem, Judra, por quem se apaixona. Mas diante de um clima tenso, a história de amor deles fica com muitas coisas a serem resolvidas, inclusive a verdadeira identidade e o papel de cada um na luta entre o governo e o grupo liderado pelos que praticam magia – a Guilda.

O Encantador de Flechas é um livro com personagens interessantes. Leran, por exemplo, é um garoto bondoso e ingênuo, mas se vê obrigado a amadurecer e se tornar forte, para poder desempenhar bem o seu papel e desenvolver todo o seu potencial. 

É um livro que provoca sentimentos como revolta, indignação, pois como em toda história onde há guerras, existem perdas (injustas), traições e os sentimentos devem ser deixados de lado para o bem-estar de todos. Aliás, o controle dos sentimentos é algo importantíssimo para Leran aprender.

O livro é dividido em quatro partes, sendo que uma delas é narrada por Judra. Nela podemos conhecer um pouco da história da garota, sua infância e por que ela se tornou quem é. A história de vida dela é bem diferente da de Leran, o que eles têm em comum é que no final das contas os dois são vítimas de um governo opressor e têm que aprender o verdadeiro motivo por que lutar. Há muita coisa em jogo. Ambos perdem, mas ambos se descobrem.

Gostei do livro, a história encanta, mas não gostei dos sentimentos que tive ao terminar a leitura. Dá a sensação de que foi tudo muito injusto. Dá vontade de mudar muitas coisas na história. Mas vale lembrar que O Encantador de Flechas é o primeiro livro de uma série e que muita coisa ainda irá acontecer na vida de Leran. É só o início de uma grande história.



2 de abril de 2015

Resenha do livro Fingindo


Fingindo é o segundo livro de Cora Carmack, autora de Perdendo-me. Enquanto seu primeiro livro fala sobre a história de Bliss e Garrick, o segundo livro fala sobre Cade (o melhor amigo de Bliss) e Max, uma garota que Cade conhece em um café.

Fingindo desapontou alguns fãs da escritora, pois os mesmos imaginavam que o livro era a continuação da história de Bliss. Mas em Fingindo ela e Garrick mal aparecem e todo o livro se dedica à história de Cade. 

No início do livro Cade continua lutando para esquecer Bliss, principalmente quando Garrick o procura para falar que vai pedir Bliss em casamento. O garoto sofre não só por isso, mas porque sua vida não está fácil mesmo, incluindo o lado financeiro. 

Mas certo dia, enquanto Cade estudava em um café, ele se depara com Max, uma garota bem diferente do seu estilo. Max tem o cabelo pintado de vermelho, tem tatuagens, piercings, ou seja, nada parecida com o afetuoso menino certinho Cade.

Mas não dizem que os opostos se atraem? Pois é, Cade se apaixona perdidamente pela irreverente Max. Max até nutre os mesmos sentimentos por Cade, mas ela é uma garota problemática e acredita que Cade não mereça alguém como ela.

No decorrer da história os dois fingem, se desentendem, se etendem, se desentendem novamente e durante isso a história de Max vai sendo revelada. E quanto mais ela acha que Cade deve se afastar, mais ele tem interesse em se aproximar. Será que Cade vai se decepcionar no amor outra vez? Só lendo para saber!

Gostei do livro, mas confesso que Max não me agradou. Não gostei do estilo dela. Max descreve Cade exatamente como ele é; mas quando Cade descreve Max, parece que é como ele a vê e não exatamente como ela é, entende? É como se a paixão dele apagasse os defeitos dela. 


Gostei mais do livro Perdendo-me, mas vamos aguardar o lançamento de Encontrando-me para ver o que Cora Carmack reserva para nós.

1 de abril de 2015

Quem leu Como eu era antes de você?


Olá!

Hoje me deparei com o livro Como eu era antes de você - Jojo Moyes. Li maravilhas sobre ele e fiquei bem curiosa. Segue a sinopse:

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Parece fofo, não?

Também li muitos elogios sobre a escrita da autora e me interessei por outros livros dela, como:

Um mais um
A garota que você deixou para trás
A última carta de amor

Ah, são vários! O site da autora é este aqui.

Pesquisando sobre livros

Hoje acordei curiosa para pesquisar algo diferente sobre livros. Não achei nada diferente, mas resolvi dar uma passadinha lá no Skoob para pesquisar sobre alguns livros. 

Descobri que o livro mais lido marcado no Skoob é Harry Potter e a Pedra Filosofal. Pode parecer estranho, mas nunca li essa série. 

Resolvi ir a outro extremo e descobri que o livro mais abandonado foi A menina que roubava livros. Olha que ele está na minha lista de leitura. Mas por que será que tantos leitores abandonaram esse livro? Sempre ouvi falar bem dele...

Dei uma passadinha lá no PublishNews para ver a lista dos mais vendidos da semana passada. Sabe qual livro foi mais vendido na categoria ficção? Se eu ficar - Gayle Forman. Esse eu li. É uma boa história. 

Bom, agora vou dar continuidade ao livro que estou lendo e depois volto contando mais novidade para vocês.