11 de agosto de 2018

Resenha do conto Filho do Amanhecer


Eu estava morrendo de saudades das histórias da Cassandra Clare. Estou dando prioridade a outras leituras no momento, e os livros dela estão guardadinhos esperando. Por ser um conto, resolvi ler rapidinho e acabei tomando o maior spoiler por não ter terminado ainda o terceiro livro de As Peças Infernais. Mas não me importei. Não diminuiu em nada o brilhantismo da história.

Filho do Amanhecer é o primeiro de um total de oito contos que no final formarão um livro publicado pela Galera Record. Ele faz parte da série Fantasmas do Mercado das Sombras. O conto fala sobre a chegada de Jace ao Instituto, portanto, a história é anterior à narrada em Os Instrumentos Mortais. No entanto, para quem não leu As Peças Infernais, assim como eu, vai pegar alguns spoilers. 

O conto começa narrando a ida do Irmão Zachariah (um dos Irmãos do Silêncio) ao Mercado das Sombras.  Lá ele encontra o vampiro Raphael Santiago e a vampira Lily Chenque. Raphael tem uma proposta a fazer ao irmão Zachariah. O vampiro queria que ele fosse seu porta-voz em uma missão que interessaria aos Caçadores de Sombras, mas, como não era bem-vindo ao Instituto, Raphael não ousava procurar os Lightwood. 

Já no Instituto, todos aguardavam a chegada do menino Jonathan Wayland, cujo pai, Michael Wayland (parabatai de Robert Lightwood), havia morrido. O menino Jace chega cheio de desconfiança, mas já demonstra os traços do rapazinho arrogante (no bom sentido) que é. 

O conto aborda mais as lembranças de Zachariah, o que é muito bom, pois é um personagem com surpresas emocionantes a revelar. 

Gostei muito de ter lido Filho do Amanhecer. Não tenho certeza ainda se lerei os demais contos ou se vou aguardar o lançamento do livro.

Qualquer coisa, corro aqui para contar a vocês. 

E para você que não entendeu nada do que eu escrevi aqui, precisa conhecer as obras da Cassandra Clare. Veja nos links:

Anjo Mecânico - Primeiro livro da série As Peças Infernais

Cidade dos Ossos - Primeiro livro da série Os Instrumentos Mortais


Resenha do livro A luz que perdemos


Tive sentimentos conflitantes ao ler esse livro. No início não gostei muito da história, mas depois fui compreendendo e aceitando melhor os fatos.

Lucy conheceu Gabe na faculdade, exatamente no dia 11 de Setembro de 2001. Eles estavam juntos quando os aviões colidiram com as Torres Gêmeas. Ambos sentiram um grande impacto em suas vidas. E, como normalmente acontece quando as pessoas estão juntas em um momento catastrófico, uma forte ligação ficou entre os dois. 

Eles pareciam estar apaixonados naquele dia, mas, de acordo com alguns fatos, ficou claro que Lucy estava mais apaixonada que Gabe, porque foi ele quem tomou a decisão de se afastar... Um ano depois eles se reencontram. Lucy continua apaixonada. Eles ficam juntos, iniciam uma relação séria, mas, a todo momento, é como se Gabe não estivesse por completo nessa relação. Eles têm momentos marcantes juntos, mas o trabalho de gabe sempre fica em primeiro lugar. Quando estão em público, é como se Lucy fosse uma sombra perto da "luz" de Gabe. Ele é o centro das atenções, tem umas amizades suspeitas com outras mulheres e Lucy parece que se "apaga" ao lado dele.

Gabe ama Lucy, ele retrata isso nas fotografias (ele é um fotógrafo famoso), mas Gabe ama muitas outras coisas também além dela. Lucy não é o bastante para ele, por isso ele vai em busca de outras realizações. 

Lucy prossegue com a vida, mesmo pensando em Gabe a todo instante. Conhece outra pessoa, Darren, se casa, constrói uma família e uma carreira profissional, mas Gabe nunca sai de seus pensamentos. Eles se reencontram pelo menos uma vez por ano durante muitos anos. 

No final, algo muito importante acontece. Uma decisão definitiva precisa ser tomada, pois Lucy não pode mais viver com esse amor secreto em seu coração. Mas, será que é tarde demais? 

A luz que perdemos é um livro sobre escolhas e suas consequências. A história é dramática e interessante. Recomendo. 

Resenha do livro Novos Humanos



Você já imaginou o futuro do nosso planeta Terra? O livro Novos Humanos aborda esse tema através da história de uma jovem que deseja ser Exploradora de Planetas. O livro é uma ficção científica para jovens, escrito pelo autor nacional Tiago Dias.

Conheça a sinopse:

Após as maiores mentes da humanidade perceberem que o planeta Terra estava em um caminho sem volta, eles decidiram que era a hora de recrutar pessoas para procurarem um novo lar. Após colonizar Marte, a iniciativa Novos Humanos passou a se concentrar em cinco planetas habitáveis parecidos com a Terra. Alguns séculos mais tarde, uma adolescente que tem o sonho de ser uma Exploradora de Planetas acaba descobrindo que a saída do antigo planeta não foi como os fatos registravam e que a história não era a que todos conheciam.


Considerações

Tudo que envolve o Universo é repleto de um quê de mistério e aventura. Em Novos Humanos, somos contemplados com uma leitura dinâmica e ao mesmo tempo reflexiva. 

À medida que jovens recrutas exploram novos planetas, descobrem o que causou a destruição da antiga Terra. Temas como conservação ambiental, conscientização humana sobre as diversas formas de poluição e, principalmente, até onde pode chegar a ganância humana e a capacidade de destruir são abordados no livro. 

Há uma conscientização sobre as nossas atitudes que são prejudiciais ao planeta em que vivemos e um alerta sobre as possíveis consequências. De uma maneira descontraída, com cenas cheias de aventuras e desafios, o autor nos faz mergulhar em lugares desconhecidos e conhecer personagens corajosos que muito nos ensinarão com seus exemplos. É uma leitura indispensável.

Conheça também: Starters

Jesus Cristo e as mulheres


Sinopse

Cada mulher citada nas escrituras sagradas viveu e cumpriu sua missão para a qual foi preordenada. Elas foram testemunhas de Jesus Cristo e Sua Expiação antes, durante e após sua primeira vinda à terra. Toda mulher pode influenciar muitas gerações através de sua fé e exemplo. Neste livro, conheceremos as histórias e exemplos de algumas destas mulheres e teremos as ferramentas necessárias para que cada uma de nós hoje, e cada uma das muitas que ainda virão, possa ser fortalecida como mulher e Filha de Deus, e assim ajudar a preparar toda a humanidade para a Segunda Vinda de nosso Salvador.

Considerações

Foi um prazer imenso conhecer esse trabalho da Chris Ayres. Nesse livro, ela reúne a história de várias mulheres, que são mencionadas nas Escrituras Sagradas, trazendo um estudo mais amplo sobre a vida de cada uma. É inspirador conhecer as lutas, a fé, a dignidade de cada uma delas. Mulheres que não se deixaram abalar pelas circunstâncias difíceis e cumpriram bem o seu papel. Mulheres que tiveram a confiança que no final tudo estaria bem, se simplesmente confiassem no Criador e agissem pela fé. Que belos exemplos!

Um livro que recomendo.

Conheça também: Lições de Vida

3 de agosto de 2018

Resenha do livro O Rapto de Perséfone


Para quem curte mitologia grega, O Rapto de Perséfone é um livro que esbanja histórias sobre deuses e deusas que vão lhe encantar. O romance da autora nacional, Gabrieli Nejeliski, tem como cenário o Monte Olimpo e seus segredos...

Perséfone é a deusa da primavera, filha de Zeus e de Deméter. Uma jovem ingênua, que cresceu longe dos deuses olimpianos, pois sua mãe a protegia imensamente. Principalmente por ela ter sido fruto de uma traição, Deméter temia que a filha fosse maltratada pelos outros deuses. 

No entanto, as preocupações de Deméter tinham fundamento, pois desde o nascimento da filha, Hades, o deus dos mortos, havia prometido raptá-la assim que Perséfone tivesse idade para ser sua esposa. E ele cumpriu o seu juramento. 

Perséfone foi levada ao submundo, onde Hades reinava, e teve que aprender a conviver com as almas em tormento. Ela temia a escuridão e tudo naquele mundo sombrio. Mas, aos poucos, Perséfone foi se adaptando, principalmente quando percebeu que Hades não era um deus tão temível assim. 

Perséfone viu a beleza que o rei do submundo escondia através de sua armadura negra. Aprendeu a conviver com ele e descobriu que o frio e poderoso Hades era na verdade um homem capaz de amar e fazer feliz a mulher que ele escolheu para reinar junto a si. 

Claro que esse amor teve que encontrar seus desafios, o principal deles foi que Deméter não estava disposta a perder sua filha e fez de tudo para resgatar a deusa e levá-la de volta ao seu lar. Mas, será que Hades iria ceder tão fácil assim?

Recomendo a leitura!

Conheça também: Uma luz em minha vida