Resenha de Perdendo-me

25 de dezembro de 2014


Não se deve julgar um livro pela capa. Nem pelo título. Nem pelo autor. Eu tinha acabado de ler Louco por Você quando comecei a ler este livro e pensei: "Mais um livro pervertido... (brincadeira!). Mas não foi o que imaginei. Foi melhor. Ainda bem.

Bliss Edwards tem 22 anos, está prestes a se formar na faculdade, mas algo a incomoda: ela é virgem. E mais incomodada ainda com isso parece a sua amiga, Kelsen, então as duas saem para uma "noitada" em busca do cara certo para resolver esse "problema".

Mas para Bliss perder a virgindade não vai ser tão simples assim. A garota faz trapalhadas e demonstra não estar nem um pouco preparada para isso.

Na tal "noitada" ela conhece Garrick, um cara supercharmoso e interessante. A atração é mútua e logo Bliss se pega levando-o ao seu apartamento. Mas as coisas não serão tão simples assim. Há páginas e páginas de diversão para os leitores até que Bliss consiga seu objetivo.

Apesar do objetivo de Bliss ser perder a virgindade, o livro não se trata de uma garota desesperada por sexo. Há toda uma história, um romance envolvente acontecendo. E Garrick é um cavalheiro.

Para abrilhantar ainda mais a história, Bliss tem amigos maravilhosos que não perdem a oportunidade de se reunirem para uma diversão.

O clima nostálgico de despedida no final do curso na universidade também faz parte do livro. Aquele momento em que cada amigo parte para o seu lado e as coisas nunca mais são como antes... 

Perdendo-me é um livro que recomendo, e na verdade Bliss está "encontrando-se", pois a vida para ela parece melhorar bastante.

Demons - Imagine Dragons

20 de dezembro de 2014



Ao ouvir essa música e ver o clipe fiquei um tempo meditando sobre. Imagine Dragons é uma banda de indie rock que foi formada em Las Vegas. A banda tem uma instituição de caridade que presta assistência financeira às famílias de crianças com câncer. Para conhecer mais sobre a Fundação Tyler Robinson clique aqui.

Mas o que eu quero mesmo é comentar sobre a música, mais necessariamente o clipe. Eu sou uma dessas pessoas loucas que às vezes quando olha uma multidão fica pensando sobre o fato de que cada pessoa ali tem uma história, então achei bem interessante o clipe focar em algumas pessoas da plateia e retratar imagens sobre elas, sobre a vida delas. O que eu acho interessante é que as pessoas não são aquilo que vemos. Há muitas coisas ocultas dentro de cada um de nós. A música fala "Olhe nos meus olhos. É onde meus demônios se escondem". Os "demônios" são nossas lutas, nossas fraquezas, nossos medos, aquilo que queremos que permaneça oculto. E cada pessoa tem seus mistérios. E algumas pedem socorro. Precisamos olhar para o nosso próximo com mais atenção. Resgatar aqueles que, sozinhos, não encontram solução. As pessoas precisam de mais amor, mais carinho, mais atenção e, acima de tudo, mais compreensão. Precisamos ver o que não está sendo dito. Precisamos interpretar olhares e ações. Sentir o desejo de servir, ajudar, resgatar. Precisamos ter em nós mais caridade.

Essa música me inspirou bastante. Espero que inspire você também! 

Quem são os verdadeiros seguidores de Cristo?


Certo dia, ao abrir uma dessas redes sociais, me deparei com uma certa comunidade cujo o título era: “Chega de Cristão hipócrita!” Por curiosidade fui dar uma olhada na tal comunidade e percebi que ela mencionava os cristãos que dizem amar a Jesus, que dizem que Jesus é 10! Mas que são pessoas racistas, preconceituosas, que não ajudam ninguém... E segue adiante com uma lista enorme de defeitos que a maioria de nós possui.


Todos nós possuímos uma certa dose de hipocrisia. Ninguém fala o que pensa o tempo todo. Todos nós somos imperfeitos, mas é certo que todos nós possuímos qualidades também.


Geralmente as pessoas que são adeptas a alguma religião são muito cobradas no que se refere aos padrões morais. O fato de conhecermos as palavras de Deus e o exemplo que Cristo deixou para nós não significa que somos perfeitos. Independente de religião todos somos humanos, fracos e pecadores.


Em qualquer igreja iremos encontrar pessoas que não vivem de acordo com o que conhecem. Assim como também vamos encontrar pessoas incríveis, que nos ajudam e nos fazem bem. Mas independente do que encontremos, nosso olhos devem estar voltados a Cristo. Devemos seguir o exemplo Dele, e não o de outras pessoas.


Dieter F. Uchtdorf falou: “Tudo o que buscarmos, certamente acharemos.” Se entrarmos em uma igreja procurando os defeitos das pessoas, iremos encontrar. Se procurarmos qualidades, iremos encontrar também. Depende unicamente de nós o que vamos buscar!


O bem e o mal sempre estarão diante de nós. Mas somos nós que temos o arbítrio de escolher o que seguir. Nós também podemos escolher o que vamos guardar em nosso coração: aquilo que nos faz bem, ou o que nos faz mal. Tudo depende do que você procura encontrar.


E quem são os verdadeiros seguidores de Cristo? Aqueles que mudaram o coração e não têm mais disposição para praticar o mal. Essa mudança é algo que ocorre lentamente na vida das pessoas. Passo a passo. Preceito por preceito. Não devemos julgar ninguém apenas por uma atitude. Todos nós somos falhos e precisamos melhorar nossa conduta em relação aos nossos semelhantes.


Os verdadeiros seguidores de Cristo, só Ele mesmo conhece. Por que somente Ele vê o coração, e não a aparência. (I Sm. 16:7)


“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?” Mt. (7:1-3)


João Batista

16 de dezembro de 2014

Um dos personagens bíblicos que mais gosto é João Batista. A vida dele foi um grande exemplo para nós. E um grande exemplo merece ser estudado. Não tenho pretensões de fazer aqui um estudo completo sobre sua vida, mas pretendo realçar pontos que considero significativos para nós.


O nascimento de João Batista foi algo formidável. Ele realmente foi alguém escolhido e preparado. Foi uma verdadeira dádiva a Zacarias e Isabel, seus pais. Ambos eram avançados em idade, e Isabel era estéril. Imaginem quanto tempo esse casal teve que esperar para ter seu precioso filho. Mas eles foram os escolhidos. As escrituras nos dizem que “eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor” Lc. 1:6 Todos esses anos de devoção e fidelidade ao Senhor, resultou no grande privilégio de serem pais do homem que preparou as pessoas para a vinda do Messias.


João Batista batizava no Jordão, pregava arrependimento e batismo para remissão dos pecados. “E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia de suas alparcas” Mc. 1:7 João Batista foi um exemplo de serviço e humildade, ele cumpriu fielmente seu chamado. Batizou o Filho de Deus, para que fosse cumprida toda a justiça. 


Quando Jesus Cristo iniciou seu ministério, alguns judeus questionaram aos discípulos de João Batista acerca do batismo, pareciam incomodados pelo fato de muitas pessoas procurarem Jesus e serem batizadas por seus discípulos. A resposta de João a esse fato demonstra a sua grande espiritualidade: “É necessário que ele cresça e que eu diminua” Jo. 3:30 João sabia que já havia cumprido seu dever. As pessoas que antes o procuravam, precisavam agora direcionar-se a Jesus, e aceitá-Lo como o Messias. - Eu não sou o Cristo, dizia João - mas sou enviado adiante Dele. Jo. 3:28 


O próprio Salvador testemunhou a respeito da missão de João Batista, demonstrou seu respeito e amor por ele. Uma das escrituras que demonstra o amor que Jesus tinha por João é que após ele ter sido decapitado, quando os discípulos vieram anunciar o fato, Jesus se retirou para um lugar deserto. Mt. 14:13. As escrituras não relatam o que Ele fez, mas provavelmente o Salvador se entristeceu. 


João Batista foi um exemplo raro de pessoas que aceitam o seu papel sem querer se engrandecer. Ele poderia continuar com muitos seguidores, mas ele sabia que precisava conduzir as pessoas a Cristo. E aceitou isso com facilidade. “É necessário que ele cresça, e que eu diminua.” Será que entendemos de fato o que isso significa? Algumas vezes precisamos sair da frente de algumas pessoas, e permitir que elas cresçam e se desenvolvam. Precisamos eliminar o sentimento de competitividade e entender que cada um tem o seu papel. Em alguns momentos somos responsáveis por determinadas funções, mas quando chega o momento de nos afastarmos e delegarmos as responsabilidades a outros, será que assumimos a mesma postura que João? Ou nos apegamos a nossa popularidade? À sensação de sermos insubstituíveis? 


Não fomos designados a preparar o caminho daquele que veio ao mundo salvar. Mas a partir do momento que assumimos e reconhecemos nosso papel como filhos de Deus precisamos trazer as ovelhas perdidas de volta ao lar, e deixar que elas cresçam. E permitir que elas cresçam. Precisamos abrir o caminho e permitir que nossos irmãos progridam. Precisamos deixar o egoísmo e as honrarias de lado, e sermos mais humildes e benevolentes.


“Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” Jo.5:44.



A Lei da Castidade

13 de dezembro de 2014



Hoje tratarei de um assunto um pouco delicado. Algo que não é muito falado, nem divulgado. Talvez pelo fato das pessoas não mais valorizar o assunto ou por receio de expor suas opiniões às críticas.


Hoje eu tenho coragem para defender o que acredito. E coragem para falar quando algo me incomoda. Defendo meus ideais, principalmente quando eles são condizentes com a vontade de meu Pai. Então falarei sobre a castidade.


A castidade é um mandamento que continua em vigor. Não é algo ultrapassado, como muitas pessoas pensam. Existem pessoas que não sabem nem o que significa castidade. Castidade é uma virtude. É a abstinência de qualquer tipo de relação sexual antes do casamento. É a fidelidade ao cônjuge após o casamento, em pensamentos e ações.


O mundo atual considera as relações sexuais antes do casamento aceitáveis. Mas Deus é imutável. Suas leis morais são válidas hoje como foram em qualquer época.


Nosso corpo é algo sagrado. Algo que Deus criou exclusivamente para nós. Há uma escritura que diz: “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; por que o templo de Deus, que sois vós, é santo.” I Cor. 3:16-17.


Será que nosso corpo não é algo de valor? Então por que usá-lo indevidamente?


Existe uma palavra bem pouco conhecida entre a maioria das pessoas, que é fornicação, ou seja, a prática sexual entre pessoas solteiras. Quer o mundo atual aceite ou não, a fornicação é um pecado, pois “O Senhor tem apenas um padrão de moralidade: a total castidade tanto para homens como mulheres antes do casamento e a completa fidelidade depois.” Spencer W. Kimball.


A modernidade não justifica a renúncia aos mandamentos de Deus, pois eles não são temporais, são eternos.


“(...) Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.” I cor. 6:13


“Por que esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra (...) Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. I Ts. 4:3-4,7.


Somente no casamento as relações sexuais são aprovadas por Deus. Mas, infelizmente, no mundo atual, a infidelidade é algo que está destruindo esse relacionamento. O adultério também é algo destrutivo e abominável a Deus.


No Velho Testamento, conhecemos a história de José. Ao ser levado ao Egito, José serviu a Potifar, morou em sua casa. Potifar entregou aos cuidados de José tudo o que possuía. A mulher de Potifar desejou José e tentou seduzi-lo, este, por sua vez, não cedeu aos seus pedidos e falou: “Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” Gn.39:9.


A lealdade de José tem sido um exemplo aos justos até os dias atuais. Ele conhecia os mandamentos de Deus, e os respeitava. 


Também podemos ser um exemplo aos fiéis. Não precisamos ir contra a vontade de Deus para ceder à vontade dos homens. Não precisamos temer nossos amigos mais do que a Deus. É preciso muitas vezes ter a coragem de dizer: "Não. Isto é errado e eu não vou fazer".


“A vida sexual pura no casamento legítimo é aprovada. Há um momento adequado para todas as coisas de valor. No entanto, os encontros sexuais fora do casamento legal tornam a pessoa um objeto a ser usado, uma coisa a ser explorada, algo permutável, explorável, consumível.” Spencer W. Kimball


“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

Por que tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” I Jo. 2:15-17. 


“Não sei se será possível a uma alma tornar-se tão degenerada a ponto de perder toda consideração para com o que é puro e casto, bom e verdadeiro, e semelhante a Deus. (...) Não creio que exista uma alma no mundo que tenha perdido completamente todo o conceito do que é puro e bom e a admiração por essas coisas, quando as contempla. É difícil acreditar que um ser humano possa tornar-se tão depravado a ponto de perder todo o desejo de também ser bom e puro, se isso fosse possível; mas muitas pessoas se entregaram ao mal e chegaram à conclusão que não existe nenhuma chance para elas. Enquanto há vida há esperança, e enquanto houver arrependimento existe chance para o perdão.” Joseph F. Smith.


Temos um Pai justo e amoroso. Ele nos espera. Ele nos perdoa quando nos arrependemos sinceramente. Jesus Cristo pagou por nossos pecados. Ele morreu por cada um de nós. Não precisamos sofrer como Ele sofreu caso nos arrependamos. Precisamos apenas ser mais gratos pelo sacrifício que Ele fez por nós. Vivermos uma vida digna é o mínimo que podemos fazer. Precisamos saber o que Deus espera de nós, e sermos obedientes aos seus mandamentos. Deus ama cada um de Seus filhos, e os espera. Cabe a nós caminharmos em Sua direção, ou nos desviarmos por caminhos que nos afastarão Dele. Pois Ele nos deu o arbítrio, e todas as coisas são feitas de acordo com nossa própria vontade.


“De todas as criações do Todo-Poderoso, não há nada mais belo e inspirador do que uma adorável filha de Deus que se porta com virtude tendo a compreensão do motivo pelo qual deve fazê-lo, que honra e respeita seu corpo como sagrado e divino, que cultiva sua mente e constantemente alarga o horizonte de sua compreensão, que nutre seu espírito com a verdade eterna.” Gordon B. Hinckley


Que possamos ser sábios, que possamos reconhecer a santidade do nosso corpo e respeitá-lo como criação de Deus. 



O que me será de maior proveito?

12 de dezembro de 2014
Vivemos em um mundo repleto de atrativos e, em consequência disso, a cada dia temos inúmeras escolhas a fazer. Estudos, trabalhos, família, amigos, todos exigem nossa atenção e dedicação. O mundo está diante de nós. O mercado profissional cobra que nos qualifiquemos cada vez mais. Investimos em cursos universitários, especializações, cursos de extensão, de capacitação profissional... A cada dia surgem coisas novas. A cada dia precisamos nos reciclar. E enquanto isso nossas outras responsabilidades não param. Os filhos continuam crescendo e exigindo nossa constante atenção. Eles dependem de nós. Nós precisamos educá-los e ensiná-los a ter responsabilidades. O casamento precisa ser vivificado a cada dia com amor e atenção. E assim segue a nossa vida, com inúmeras ocupações, tornando difícil para nós estabelecermos prioridades. Mas diante de tudo isso, de todas essas ocupações, devemos perguntar: O que me será de maior proveito?


A resposta é simples. O que será de maior proveito é algo que geralmente negligenciamos: É o tempo que passamos com Deus.


Será que em nossa vida atribulada passamos algum tempo com Ele?


Passar um tempo com Deus significa nos desligarmos de nossas atividades diárias, de nossas preocupações, nos ajoelharmos e termos uma conversa sincera com Ele. Essa conversa precisa ser calma, sem pressa, em um ambiente tranquilo.


Precisamos constantemente demonstrar a Deus que nos preocupamos com nosso relacionamento com Ele, que gostamos da presença Dele em nossas vidas e que necessitamos Dele para podermos prosseguir vivendo. Porque de todas as coisas, o que será de maior proveito é o nosso relacionamento e obediência a Ele. 


Não viveremos aqui eternamente. Estamos aqui nos preparando para voltarmos a viver com Deus. E com certeza, quando chegar o dia do nosso acerto de contas com Ele, Deus não exigirá de nós o nosso currículo profissional. Nem nos julgará pelos bens materiais que adquirimos aqui. O que importará será o que estaremos levando em nosso coração e o que temos feito com os mandamentos que Ele nos deu, de amar e servir aos nossos irmãos.


Que possamos refletir mais sobre como estamos usufruindo o tempo de vida que Deus nos deu e como podemos tirar maior proveito das coisas que Ele nos ensinou e pediu que fizéssemos. Essa vida é um tempo de preparação. O que iremos levar de volta para Ele?

Resenha de Uma Chance Para Recomeçar

6 de dezembro de 2014


Sabe aqueles livros que você lê rapidão? Uma Chance para Recomeçar é um deles. São 174 páginas de uma leitura muito gostosa. Gosto de livros práticos. É um livro para ler durante um final de semana. E garanto que você vai gostar. 

Uma Chance para Recomeçar está entre os lançamentos de dezembro da Editora Novo Conceito. É uma história superlinda de uma garotinha que perdeu a mãe em um acidente de carro. Mark Nolan é o irmão mais velho de Victoria, a mãe da garotinha, a quem ela deixou uma carta junto com o testamento pedindo que Mark cuidasse da garota. O problema é que Mark é solteiro, não tinha quase nenhuma proximidade com Holly (a garotinha) e não tem a mínima ideia de como adequar uma criança a sua vida. 

Mark, não tem outra escolha, e com a ajuda de Sam, seu irmão que estava bastante relutante no início, começou a cuidar de Holly. Logo eles perceberam que ter uma criança em casa não é algo tão ruim como imaginavam. Mark descobre o amor genuíno, o sentimento de proteção e tudo de bom que uma linda criança tem a oferecer. Mas ele tem uma preocupação: Por mais que ele e Sam a amem, Holly necessita de uma mãe.

Maggie Collins é proprietária de uma loja de brinquedos recém-aberta na pequena ilha Friday Harbor. Ela perdeu o seu marido, que morreu de câncer, e ainda luta contra os sentimentos de medo e solidão. Sua alegria é proporcionar sonhos e imaginação às crianças que frequentam a sua loja, mas quando ela conhece Holly percebe que a garotinha precisa de muito mais que isso.

Então o livro relata a história desses três corações solitários que se encontram e não conseguem mais ficar distantes um do outro. É uma história divertida, emocionante e que vai cativar você. Recomendo!

Até quando o amor pode durar?

"E depois não se surpreenda se acaso amanhã eu acordar e meu primeiro pensamento não for mais você."

Ontem me deparei com essa frase no Facebook e ela prendeu minha atenção por alguns segundos. Já faz um certo tempo que venho refletindo sobre como os relacionamentos são frágeis. Basta um pouco de descuido, uma frase mal interpretada, um silêncio incompreendido e as coisas não são mais as mesmas. O amor é fortificado constantemente no dia a dia, mas se não fizermos nada por ele, ou fizermos coisas desagradáveis, ele morre. Morre mesmo. O amor é delicado.

Algumas pessoas se acomodam achando que já são amadas e não precisam fazer mais nada a respeito disso. Descuidam na aparência e no trato. Mas o amor, assim como o nosso corpo, precisa ser alimentado. Todo dia deve ser um dia de conquista. Um dia para você oferecer o seu melhor. Caso você esteja empenhada em alimentar o amor, mas seu companheiro não, é hora de rever a relação, de conversar, de chegar a um acordo. Evitar ao máximo que a situação chegue a ser como a frase citada acima. Vale tentar.

Resenha do livro Primeiro Amor

2 de dezembro de 2014

Lenços preparados? Se você for ler esse livro vai precisar. Eu já sabia que ia ser assim, pois já tinha lido alguns comentários nas redes e também o próprio autor, James Patterson, declarou que o livro foi escrito em homenagem a Jane Blanchard, uma namorada de sua juventude que morreu lutando contra o câncer.  Triste, não? Mas faz parte da vida. E dos livros também.

O primeiro livro de James Patterson que li foi Bruxos e Bruxas, mas não li o restante da série. Portanto, conheço pouco sobre o autor, apesar dele ser bem famoso. 

Alexandra Moore (Axi) é uma garota do tipo certinha, que sempre anda na linha apesar da sua vida não ser nada fácil. A garota tem um pai que é alcoólatra, uma mãe que abandonou a família e sua irmã mais nova morreu de câncer. 

Cansada dessa vida dura, Axi resolve fazer uma aventura: fugir de casa. Ela resolve fazer um tour por quase todo o país, mas claro que não dá para fazer isso sozinha, então ela convida seu melhor amigo, Robinson, para ir com ela. 

Robinson é um garoto de espírito aventureiro, então é óbvio que ele topa, e, claro, ele é o responsável para que a viagem se torne mais interessante. Embora Axi tivesse bons planos, Robinson deu sua pitada de emoção. 

Depois de passarem por várias cidades, viverem emoções como roubar carros e tomar banho de piscina na propriedade alheia (sem o consentimento dos donos) o inevitável acontece: eles assumem a paixão que sentem um pelo outro. É quando o romance passa de emocionante para um pouco sofrido, com os problemas que inevitavelmente surgem.

Robinson e Axi são dois jovens que encantam. James Patterson e Emily Raymond souberam fazer o leitor se envolver com a história e simpatizar com o casal. Apesar de você chorar um pouquinho e sentir muita peninha de Axi, é um livro que recomendo.

É interessante como cada pessoa reage de forma de forma diferente à dor. A mãe de Axi foge do problema, o pai, se afoga no álcool e Axi resolve deixar o sofrimento de lado e viver aventuras ao lado de um grande amor. Mas, por mais que a gente tente, há coisas que não podemos impedir que aconteçam em nossas vidas...