13 de abril de 2013

Resenha de Proteja-me



Janie LaMarche é uma mulher é uma mulher que perdeu o seu esposo há quatro meses e ainda luta para conviver com a ausência dele e para cuidar dos dois filhos pequenos, Dylan e a amável Carly. 

Janie se mostra uma mulher amargurada, do tipo que você não gostaria de ser amiga, mas o momento difícil pelo qual ela passa torna suas atitudes até compreensíveis: quer ficar longe de todos, é irônica em seus comentários (e pensamentos que a autora fez questão de registrar). 

Janie conta com poucos amigos, pois quando seu esposo era vivo eles se fecharam em seu mundo e para Janie tê-lo por perto era suficiente. Mesmo assim ela contava com a ajuda de uma vizinha, Shelly, a única pessoa que parecia compreendê-la às vezes. A tia Jude também a ajuda e por incentivo dela Janie recebe semanalmente a visita do padre Jake. 

Percebemos com Janie o quão vulnerável uma mulher pode ficar quando está de luto. Janie confunde seus sentimentos algumas vezes e apesar de ser durona tudo o que ela realmente necessita é de um abraço bem apertado, carinho e alguém que a compreenda. 

A mãe de Janie, Noreen, é um pouco fria e distante e o relacionamento das duas se torna mais complicado desde a morte de Robby, pois Noreen viajou sem dar a filha o apoio que ela tanto precisava no momento. 

Um presente inesperado faz a vida de Janie ir mudando aos poucos. Antes de morrer Robby havia contratado um construtor, Tug Malinowski, para fazer a varanda de sua casa. 

Ao construir a varanda Tug observa Janie e o jeito como está lidando com a vida. Aos poucos, sem muita intromissão e com muita paciência, Tug tenta fazer Janie ver a vida de um outro modo. 

Paciência, perdão, compreensão são temas que o livro aborda bem. Quanto tempo deve durar o luto? É errado tentar ser feliz outra vez? Janie luta com seus sentimentos conflitantes e o leitor é levado a refletir também. 

Mais informações no site da Editora Novo Conceito.

6 de abril de 2013

Resenha de Lady Lake




Lady Lake é o primeiro romance do autor A. G. Olyver publicado pela Dracaena Editora. O livro relata a história de Bonnie Price, uma garota que não é feliz consigo mesma pelo fato de não se encaixar nos padrões de beleza que determina que toda garota deve ser magra e esbelta. Bonnie é gordinha, uma garota comum, mas que aos poucos descobre o seu verdadeiro potencial. 

Lady Lake não é um livro onde uma garota comiserada descobre que o que importa é a beleza interior, é mais que isso, a história envolve algo mais abrangente. A. G. Olyver nos leva ao misticismo do mundo das sacerdotisas da Grande Mãe. Além de umas pinceladas no mundo da magia, o autor nos concede uma bela história onde a amizade é tratada como algo muito importante e fundamental no desenvolvimento da nossa vida emocional. Bonnie conta com poucos, mas bons amigos. 

Mitchel é um amigo de infância de Bonnie, portanto ele a conhece melhor que ninguém. É um personagem carismático, tipo um amigo para qualquer hora. 

Jasmine Jones foi alguém muito importante na vida de Bonnie, dessas pessoas que a vida se encarrega de afastar e de trazer de volta. Com Jasmine podemos aprender sobre as escolhas e suas consequências. 

E por fim, uma pessoa que certamente mudou por completo a vida de Bonnie foi Elizabeth. A garota que envolve Bonnie num mundo até então desconhecido por ela, mas que revelará grandes surpresas. Com Elizabeth, Bonnie percebe o seu real valor. E descobre que é capaz de muito mais do que pode imaginar. Bonnie aprende sobre o amor e a fé sob uma nova perspectiva. Aprende a respeito do controle que podemos ter sobre nós mesmos e sobre nossas emoções. Mas aprende também, que ter todo esse poder pode ser um pouco arriscado... 

Lady Lake é um livro maravilhoso, diferente dos paradigmas que já conhecemos. Os personagens são cativantes, cada um com seu estilo peculiar. A leitura é rápida e prazerosa. Vale a pena dar uma conferida. 

Mais informações no site da Dracaena Editora.