Resenha do livro O ar que ele respira

29 de setembro de 2016


Eu me apaixonei pela escrita da Brittainy C. Cherry quando li Sr. Daniels. Ao pesquisar sobre mais livros da autora me interessei muito pela série "Elementos", mas os livros ainda não haviam sido traduzidos. Aguardei O ar que ele respira com muita ansiedade. Li os primeiros capítulos que a editora disponibilizou e registrei as primeiras impressões que tive do livro aqui. E, conforme prometi, voltei para comentar sobre o livro agora que já li a história inteira.

Tristan e Elizabeth têm algo em comum: ambos perderam seus cônjuges. Enquanto Elizabeth sofre de um jeito mais calmo, busca ajuda da família e amigos, Tristan se tornou agressivo, fugiu de todos e foi viver isolado. 

Elizabeth, após morar um tempo com a mãe depois da morte do marido, resolveu voltar para a sua antiga casa. Ao retornar, conhece Tristan, que é seu novo vizinho. Só que a forma que eles se conheceram não foi lá muito amigável. E Tristan, muito grosseiro, a trata supermal. E ele age assim durante boa parte do livro. Ele é muito estúpido. Mas Elizabeth, ao olhar nos olhos dele, consegue enxergar a mesma dor. A dor que ela conhece muito bem. Eles se aproximam de um modo não muito romântico... (Eu lembrei até de outro livro, O lado feio do amor. Esse título também combinaria com a história de Tristan).

Aos poucos, mas aos poucos mesmo, Tristan percebe que está se apaixonando por Elizabeth e seu coração começa a se acalmar. E quando a gente acha que tudo vai se resolver, a história traz uma revelação que pode pôr em risco a relação entre Tristan e Elizabeth. Há cenas emocionantes e surpresas no final.

Elizabeth é uma mulher de bom coração. Ela conseguiu ser bem paciente com Tristan e não desistiu de ajudá-lo, mesmo ela também estando com o coração ferido. 

A história em si não é tão surpreendente, mas a escrita da Brittainy é algo que cativa. Eu vou aguardar o lançamento do segundo livro da série. Já sei que é uma história bem triste, mas se é da Brittainy, sei que vai valer a pena ler.

Resenha do livro Finale - Hush Hush 4

24 de setembro de 2016

Melhor livro da série. Não que o livro seja brilhante. Também não é ruim. Simplesmente não consigo entender todo o seu sucesso! É uma história simples, com personagens simples, nenhuma novidade. Mas, como eu disse, Finale supera os demais. 

Nora está determinada a não deixar que nenhuma guerra aconteça entre os nefilins e anjos caídos. Para isso, ela conta com a ajuda de Patch, que fica o tempo todo para lá e para cá tentando descobrir os planos ocultos dos inimigos e proteger Nora. Difícil, nesse livro, é saber quem é o inimigo, uma vez que há traidores entre os arcanjos, os nefilins e os anjos caídos. Inclusive, esse foi um dos pontos que não gostei nessa história. De anjos, os personagens só tinham as asas... Porque eram todos corruptíveis. Então é mais uma história onde os anjos não são seres tão bonzinhos assim, etc. e tal. Na minha opinião, os anjos devem ser bons, sem exceção. Se por acaso eles falharem, então entram no grupo dos anjos caídos. Simples assim. Mas a autora fez uma mistura de maldade tão grande que a Nora não podia nem saber em quem confiar e de quem manter distância.

E por falar em Nora, a mocinha pisou feio na bola. Fiquei com vontade de chacoalhá-la toda vez que a via se afundando em erro. Simplesmente ela não estava pronta para ser nefilim, muito menos para liderá-los. Aliás, ela não liderou nada. Essa história de líder foi mais outra coisa sem sentido criado pela autora. 

Compensa ler essa série? Só por causa de Patch. Fora isso é melhor partir para outra. Ele foi o único personagem que manteve sua personalidade do início ao fim. Foi autêntico. Soube agir diante dos desafios. Os demais personagens não convencem...

Hush, Hush foi a primeira obra da Becca Fitzpatrick que li. Apesar de não ter me encantado, vou procurar ler outras coisas da autora. Gelo Negro será minha próxima leitura dela. Espero gostar!

Resenha do livro Silêncio - Hush Hush 3

23 de setembro de 2016

O terceiro livro da série conseguiu superar o livro anterior (ainda bem) e nele Nora volta a ser parecida com a garota do primeiro livro e passa a agir com mais maturidade.

Hunk apagou as memórias de Nora e a garota não se lembra de nada que aconteceu nos últimos cinco meses. Não se lembra de Patch nem do universo dos anjos caídos e nefilins. No entanto, ela não consegue voltar à vida normal, pois sente que algo está errado e alguns pesadelos a perturba. Sua mãe está namorando o pai de sua inimiga, e o comportamento da mãe de Nora também está um pouco estranho.

Quando Nora encontra Patch, que agora atende por seu antigo nome, Jev, a garota tem a certeza de que aconteceu mais nesses últimos cinco meses do que sua mãe e Eve lhe contaram. E isso deixa Nora intrigada.

Apesar da tentativa de Patch de convencer Nora de que eles não se conhecem, o plano não é bem-sucedido. Depois de alguns encontros "ocasionais" eles acabam se rendendo à paixão e ficam juntos, mas de maneira cautelosa.

Nora está confiando mais em Patch, Patch está mais maduro e responsável e Eve aparece bem pouco na história. O que acho bom. 

Outro personagem que passa a ser de grande ajuda para Nora é Scott. Ele revela coisas importantes, que a ajudam a ficar bem informada. 

Silêncio pode ser considerado um bom livro, mas ainda não consigo entender o sucesso todo dessa série. Quem sabe o próximo livro revele!

Resenha do livro A Traição de Natalie Hargrove

19 de setembro de 2016


Lauren Kate ganhou minha simpatia com a série Fallen, que, apesar dos altos e baixos, gostei de conhecer. As capas sombrias e ao mesmo tempo belas também chamam a nossa atenção. 

A Traição de Natalie Hargrove foi um livro que me surpreendeu. A história passa grandes lições. Espero que eu consiga transmiti-las a vocês.

Natalie é uma garota de origem humilde. Ela não tem orgulho de seu passado num lugar onde as pessoas são tratadas como "ninguém". É por isso que, quando sua mãe consegue subir na vida por conta do casamento com um homem rico, Natalie esquece de vez seu passado e passa a usufruir da vida glamourosa que ela tanto almejou.

Nat é o tipo de garota que faz as outras sentirem inveja. Ela é bonita, popular, namora um belo rapaz, Mike, também popular e rico. Durante os três anos em que estão juntos, o casal esbanja charme. Eles parecem ser da realeza. Aliás, isso é o que mais Nat deseja. Ser coroada a rainha do baile e ter a chance de provar a todos que ela venceu. Nat não tem nenhuma concorrente à altura. Por isso, em relação a ela, se sente tranquila. O problema é que seu namorado Mike não está tão seguro quanto a ser coroado rei. Há um concorrente que pode tirar a coroa dele. Na verdade Mike não é do tipo que se importa muito com isso. Mas Nat não sossega até ter a certeza que nada vai impedi-la de conseguir o que sonhou e trabalhou durante os últimos anos na escola para conseguir.

O concorrente de Mike é Justin Balmer. Um garoto que fez parte do passado de Nat e é um dos segredos que ela esconde. A história toda traz um suspense sobre algumas partes do passado de Nat, o que deixa o leitor bem curioso. Quer dizer, também ficamos apreensivos para saber o que o futuro reserva para Nat, já que ela fez uma tremenda burrada para prejudicar Justin.

Em uma festa à fantasia, Justin está completamente bêbado. Mike e Nat colocam ele no carro e saem para dar volta. Ao passar pela Igreja, Nat tem a ideia de deixar Justin ali, bêbado e vestido de mulher, para que no dia seguinte, domingo, quando as pessoas fossem à Igreja, vissem Justin ali: caído bêbado e vestido de mulher. Com essa postura, as pessoas talvez não quisessem mais coroá-lo.

Mike não gostou da ideia, mas o garoto é do tipo que sempre cede aos caprichos da namorada. E Natalie, completamente sem noção, ainda tem a ideia de amarrar as mãos de Justin e deixá-lo preso no presépio para que ele não consiga escapar dali.

Mas, no dia seguinte, quem se surpreendeu foi Natalie. As pessoas chegaram à Igreja, mas a cena foi trágica, pois Justin estava morto. O casal tenta manter a calma, mas no fundo eles se desesperam. Quer dizer, Mike se desespera. A atitude de Nat é um pouco mais fria, pois ela está preocupada mesmo é com a coroação. E com isso, ela convence o namorado a colocar a culpa em outro garoto, um rapaz que vendia drogas.

A partir daí a história fica bem interessante. Eu ficava o tempo todo me perguntando até quando a cumplicidade do casal ia durar, uma vez que em situações assim, alguém sempre acaba dedurando alguém quando sente que está sendo mais prejudicado. E também não existe crime perfeito. Sempre há rastros.

Mike fica abalado, Natalie tenta controlar a situação, a ela mesma e a Mike. As pessoas começam a suspeitar, a questionar... A paz de consciência é tirada de Natalie.

O final é trágico. E nos faz refletir: Até onde estamos dispostos a ir para manter as aparências? Para nos sentirmos no auge? Para ter a sensação de que todos querem estar em nosso lugar?

Nat abriu mão da dignidade, da integridade, do caráter para conseguir o que queria, mas, no fim... Será que valeu a pena?

Recomendo. Recomendo. Recomento. Ponto. 

Resenha do livro Crescendo - Hush Hush 2

16 de setembro de 2016

Quando comecei a ler Crescendo, que é a continuação de Sussurro, quase desisti da leitura. A personagem principal, Nora, está simplesmente muito chata. Parece que trocou de lugar com a amiga, Vee. 

Nora está infantil, ciumenta, possessiva. Coitado do Patch, seu namorado. Bom, coitado ele não é não... Mas a história esta chatinha, viu!

Ainda bem, depois de muitas e muitas páginas, a história começa a ficar tolerável, isso por conta do suspense em torno dos outros personagens. A história traz aquela revelação do vilão ser alguém que não esperávamos. 

Patch está todo misterioso e isso deixa Nora agindo de forma mais infantil ainda. Ela começa a perseguir o rapaz tentando encontrar pistas da traição dele... Uma chatice! Mas, resolvi dar uma trégua, afinal, a personagem só tem 16 anos... Normal ser tolinha.

Outra coisa que me deixa intrigada quando leio as histórias de anjos, vampiros, enfim, esses imortais, é que eles viveram milhares de anos, viram muitas coisas, conhecem muitas coisas e, no entanto, não guardam nenhuma sabedoria? Porque Patch parece um adolescente tão comum... 

Bom, se esse fosse um livro isolado, eu não indicaria a leitura. Mas ele faz parte de uma série de quatro livros, e os demais são melhores. Eu já li. Então, se você já começou a série. Pode dar continuidade. O último livro é o melhor de todos.

Resenha do livro Sussurro - Hush Hush 1

13 de setembro de 2016

Com tantas séries de sucesso por aí, é bem difícil acompanhar tudo. Eu adoraria ter mais tempo livre para desfrutar mais dessas leituras!

Sussurro foi lançado em 2010 pela Editora Intrínseca. É o primeiro de quatro livros. Não entrou na minha lista de prioridades até que, no início deste ano, eu ganhei o segundo livro dessa série. Como eu estava com o livro em mãos, decidi adquirir logo o primeiro para poder conhecer a tão falada série Hush, Hush.

A personagem principal é Nora, uma garota de 16 anos. Nora é tranquila, mora com sua mãe em um casarão que fica afastado da cidade (isso é bem assustador) e que servirá de cenário para algumas cenas horripilantes! 

A melhor amiga de Nora, se chama Vee, e é bem diferente dela. Vee é muito fútil, boba, irresponsável... Ela não me agradou muito. 

Nora e Vee formam dupla na aula de Biologia, mas o professor resolve fazer algumas mudanças e Nora passa a se sentar ao lado de Patch, o garoto novo que ela acha lindo, mas irritantemente misterioso e cínico. Patch faz de tudo para tirar Nora do sério, e ele consegue isso com bastante facilidade.

Há suspense na história. Nora é perseguida, acha que tem alucinações, coisas bem estranhas acontecem... A garota suspeita de Patch, mas ao mesmo tempo em que ele é o principal suspeito Nora sente uma aproximação entre eles que a faz duvidar se Patch quer mesmo o seu mal.

Sussurro não é um livro extraordinário, mas é bom. O livro está entre os mais lidos no Skoob, há muitos comentários positivos sobre ele, mas eu confesso que não vi nada que justificasse esse sucesso todo, pois é uma história simples. Nada que fique eternamente marcado. 

Já li os quatro livros. Então em breve a resenha de Crescendo vai estar por aqui. 

Para quem gosta do estilo, conheça também estas duas séries:

Fallen.

Beijada por um anjo.

Resenha do livro Almas Sombrias

10 de setembro de 2016

Almas Sombrias foi o livro que mais gostei, por enquanto... Não que o livro seja bom, mas com certeza é o menos pior. Stefan foi aprisionado na Dimensão Sombria e Elena decide ir até ele para salvá-lo. Ela inicia essa viagem com Matt e Damon. A convivência entre os dois rapazes não é nada pacífica e a coisa só fica mais séria quando Matt percebe o "maior clima" entre Damon e Elena. 

Depois de algumas reviravoltas, quem acaba entrando nessa dimensão das trevas com Damon e Elena são suas duas amigas inseparáveis, Bonnie e Meredith. As garotas entram como prisioneiras de Damon e lá precisam ser submissas a ele. Claro que Elena já chega causando confusão (especialidade dela), mas nada que Damon não consiga resolver. 

Almas Sombrias conta com um pouco mais de emoção na história. Ainda há acontecimentos estranhos, difíceis de entender... Mas, o livro até que não decepcionou como os outros. 

Outros personagens foram inseridos, nenhum com uma história muito interessante. Elena continua sendo muito idolatrada, coisa que não dá para entender... E Damon, apesar de estar muito bonzinho, continua encantador.

Ufa. Agora só falta mais um livro!

Conheça todos os livros da série clicando neste link.

Primeiras impressões sobre o livro Quase Verdade


Quase Verdade é a continuação do livro Quando eu era Joe, publicado pela Editora Novo Conceito em 2014. Na verdade, trata-se de uma trilogia, mas por enquanto somente os dois primeiros livros foram traduzidos. O terceiro livro é "Another Life". 

Li apenas os primeiros capítulos de Quase Verdade. Acredito que o livro mantenha o mesmo ritmo de Quando eu era Joe, bastante suspense e reviravoltas na vida de Ty. Até onde li, ele ficou escondido de seus perseguidores na casa dos avós paternos, que ele não conhecia, e teve que conviver com o primo, um garoto com quem ele não teve nenhuma afinidade. Além de não saber ao certo de quem está fugindo, Ty ainda convive com outro mistério: seu pai. O garoto não sabe nada sobre ele e também não fazia ideia que sua família matinha contato a família de seu pai. Tudo está confuso para Ty e ele ainda está tendo visões com o ex-namorado da mãe, que foi assassinado pelos seus perseguidores.

Ty terá que descobrir muitas coisas sozinho. Ele será vítima de julgamentos sobre seu caráter e não será nada fácil passar por tudo isso longe das pessoas que mais ama.

Não faço ideia de quando irei ler o livro inteiro, mas quando isso acontecer volto aqui para contar a vocês. ;-)