Resenha do livro Primeiro e Único

13 de junho de 2015
Primeiro e Único


Amo os livros da Emily Giffin, mas... Primeiro e Único... Achei o melhor de todos! Simplesmente amei. 

Shea é uma mulher de 33 anos que vive em uma pequena cidade do Texas, trabalha na Universidade Walker como diretora-assistente esportiva. O futebol americano é sua paixão e a sua vida gira em torno disso.

Os pais de Shea se separaram quando ela era pequena. A mãe de Shea entrou em depressão e por conta disso a garota teve que passar bastante tempo sob os cuidados da família Carr. Connie Carr era uma grande amiga da mãe de Shea, por isso a família a acolheu. Lucy, a filha do casal, era a melhor amiga de Shea. Elas cresceram como irmãs e, apesar de terem personalidades bem diferentes, as duas são amigas inseparáveis.

Shea, de certa forma, é um pouco controlada por Lucy, já que ela sempre acata as opiniões de Lucy sobre como se vestir, com quem namorar, etc. Lucy é mimada e controladora. E Shea faz tudo para agradar a amiga.

O pai de Lucy, o treinador Carr, é um homem muito admirado na cidade onde praticamente todos os moradores são fãs do futebol americano. Mas para Shea, ele é muito mais que um excelente treinador. Shea praticamente o idolatra.

A história começa relatando o funeral da Sra. Carr. Com a morte dela, a admiração de Shea pelo treinador vai se tornando algo mais sério, algo que ela não consegue mais esconder de si mesma.

Shea tenta não permitir que seus sentimentos pelo treinador saiam de seu controle, para isso ela até começa a namorar Ryan James, um jogador de futebol americano famoso, lindo e muito rico.

Mesmo com um bom partido como Ryan, Shea ainda se pega desejando passar todos os seus momentos ao lado do pai de sua melhor amiga.

A história fica bem interessante quando Shea percebe que não é a única envolvida por esse sentimento que tanto a atormenta.

Mas será que Shea terá coragem de deixar seu namorado famoso para ficar com o pai de sua melhor amiga?

Será que o treinador terá coragem de enfrentar os filhos e a sociedade para ficar com uma mulher que tem a idade de sua filha?

Primeiro e Único é um livro maravilhoso. Você não vai conseguir largá-lo até chegar ao final. Uma história encantadora e cheia de surpresas!


Para conferir a resenha dos outros livros da Emily que li é só clicar nos links:


Resenha do livro Bolsa Blindada

9 de junho de 2015
Bolsa Blindada


Gosto de ler sobre economia doméstica. Não sou de gastar dinheiro com bobagens, mas sempre é bom rever nossas finanças e verificar se estamos usando o dinheiro com sabedoria. Não adianta, tem que sobrar. Se no final do mês o dinheiro não der para pagar as contas é porque tem algo errado aí. Se também não estiver sobrando nem um pouquinho, também tem algo errado aí, então é preciso parar e analisar as finanças direitinho, afinal, vocês já devem ter ouvido muito falar por aí: Não está fácil para ninguém.

É verdade, atualmente temos muitas despesas e a coisa não está fácil mesmo para quem quer morar em um bom lugar, dar uma boa educação aos filhos, saúde, enfim, para se ter o básico hoje em dia está muito caro. Por isso quando vi o livro Bolsa Blindada não pensei duas vezes em comprá-lo. Queria mesmo algumas dicas para saber onde estou pecando.

O livro dá excelentes dicas, ele não decepciona. Para mim, não houve nenhuma novidade porque já tenho um certo controle das finanças e já li algumas coisas sobre o assunto. Mas, mesmo assim, pude aprender um pouco e, no meu caso, aprendi a controlar melhor as compras de alimentos. 

Gente, se analisarmos bem, em nossa casa, nós desperdiçamos alimentos, e consequentemente dinheiro. Quem tem filho pequeno sabe o que é isso, às vezes compramos muita bobagem no supermercado, coisas que não são saudáveis e que pesam no bolso. Coisas que deixamos estragar, que mofam na geladeira e depois... Lixo. E para onde vai nosso dinheiro? Para o lixo!

Em Bolsa Blindada, Patrícia Lages dá dicas de como podemos administrar melhor nossas finanças. A linguagem é bem-humorada e a leitura se torna fácil e rápida. Para quem gosta de gastar sem pensar bem no que está fazendo, eu recomendo esse livro. E para quem tem controle da situação, também recomendo, pois há dicas de como economizar mais, investir bem o dinheiro, substituir produtos, enfim, toda pessoa que administra um lar deve conhecer um pouco de economia doméstica.

Mas não se engane, poupar não é fácil, é preciso controle. Se você precisa gastar mais, tem que dar um jeito de ganhar mais, e se não tiver como ganhar mais, corte o que não é tão necessário.

A nossa vida financeira deve refletir quem somos, não o que gostaríamos de ser. E só através de trabalho árduo é que conseguiremos uma vida financeira melhor. 

As dívidas acabam com a autoestima de um ser humano. Prejudicam a nós mesmos e consequentemente a nossa família. Use seu dinheiro com moderação!

Resenha do livro Apenas um ano

1 de junho de 2015
Apenas Um Ano


Apenas um ano é o quarto livro da Gayle Forman que leio. Ela é a autora de: Se eu ficar, Para onde ela foi e Apenas um dia. Apenas um ano é a continuação de Apenas um dia

Apenas um ano relata a história de Willem, a versão dele sobre o que aconteceu em Apenas um dia e sua busca por Lulu (Alysson). No início fiquei um pouco chateada com o livro, pois eu queria logo o reencontro de Willem e Alysson e a ansiedade não me deixava curtir o livro. Mas, aos poucos, conforme fui continuando a leitura, eu fui curtindo o fato de conhecer mais sobre o Willem. A história dele e do que aconteceu com sua família é interessante. E acho que esse tempo de um ano de procura foi importante para o Willem, pois ele descobriu muitas coisas, amadureceu, aprendeu que em uma história há sempre duas ou mais versões. 

Na verdade, Willem é um garoto perdido tentando se encontrar. E as experiências vividas ao longo de um ano servem para ele refletir sobre o que realmente quer. O fato de ter conhecido Alysson e ela ter despertado nele algo que nenhuma outra garota (e olha que foram muitas) havia despertado deixou Willem intrigado e em busca de respostas.

Depois de páginas e páginas e páginas comecei a gostar do livro e me senti envolvida com os conflitos familiares de Willem. A história dele e da mãe, Yael, é o que acontece com muitas famílias por aí: Não é falta de amor, é falta de saber demonstrar amor. E isso dá pano pra muito debate... O livro também relata sobre perdas (morte) e suas consequências, amizade (doida, mas sincera) e sobre as viagens de Willem. O legal é que ele sempre conhece alguém e aprende algo com esse alguém. E assim é a vida, se deixarmos abertas as oportunidades vamos vivendo e aprendendo com as pessoas, com os lugares, com as situações...

Apenas um ano é um livro que recomendo, mas você precisa ler primeiro Apenas um dia. E, se prepare, pois você vai ficar louco de ansiedade pelo conto onde a autora irá finalizar a história de Willem e Allyson, que é: Apenas uma noite