30 de junho de 2016

John e Savannah - Querido John



Olha mais um casal que arrancou suspiros!



Baseado no livro Querido John do autor Nicholas Sparks, o filme, com o mesmo título foi sucesso para os amantes de um bom romance.


Savannah estava de férias na praia com um grupo de amigos. Acabou conhecendo John quando ele pegou sua bolsa que caiu no mar. Eles logo começaram uma amizade.


O romance parecia até que não ia fluir, pois John estava em casa de passagem, ele servia ao Exército e logo retornaria ao trabalho.



Mas... Sabe como é, né? Quem resistiria a esse John?


Porém, o 11 de Setembro aconteceu. John, que já ia pedir seu afastamento, resolve permanecer no exército e ir para a guerra. Será que Savannah mais uma vez vai ficar esperando por ele? 



Confira a resenha do livro aqui.

E prepare os lenços ao ler o livro!


28 de junho de 2016

Resenha do livro A Fúria - Diários do Vampiro



Elena desperta um tanto atordoada sem lembrar de quem é ela mesma e sem reconhecer outras pessoas. Ela apenas sente que pertence a Damon e quer protegê-lo de Stefan, que está o atacando. Ainda bem que esse estado confuso em que ela se encontra dura pouco. Após uma boa alimentação, ela volta ao normal. Aliás, normal entre aspas, pois ela agora é uma vampira e todos acham que ela está morta.

Damon ajuda bastante Elena nessa fase. Achei um pouco estranho que de uma hora para outra ele deixou de ser o vilão e passou a ser uma companhia constante.  A rivalidade entre ele e Stefan não parece tão ameaçadora assim. 

Até agora esse livro foi o que mais gostei. Não há nenhum grande avanço na história, mas gostei muito da cena em que Elena vai falar com Matt. A ingenuidade dele e sua disponibilidade em servi-la. Nessa cena, ao invés de achá-lo bobo, eu o achei nobre. E Elena sentiu na pele o mal que causou a ele e a importância de se redimir. Achei lindo!

O final também não deixou a desejar, levando em consideração os livros anteriores até que a autora melhorou. Mas ainda acho que não há uma conexão forte entre Elena e Stefan, mesmo depois do que ela fez para protegê-lo... Eles dizem o quanto se amam, mas o leitor não sente esse amor, fica a desejar. 

Conheça aqui o que escrevi sobre os livros anteriores:



Próximo livro da série:

Reunião Sombria

27 de junho de 2016

Resenha do livro O Confronto - Diários do Vampiro


O segundo livro da série Diários do Vampiro faz com que o leitor se envolva mais na história. Damon aparece com mais frequência em lugares inesperados por Elena. A conexão entre ambos aumenta. Elena sabe que se sente atraída por ele, apesar do seu amor por Stefan.

Elena amadurece um pouco e se mostra mais empática. A preocupação com suas amigas e até com pessoas que não são tão próximas dela fica evidente. 

O diário de Elena que foi roubado causa preocupação, pois alguém está espalhando cópias de partes dele por lugares onde Elena frequenta. Ela descobre quem o pegou e o plano dessas pessoas. Damon oferece ajuda, mas vindo de Damon nada é sem um preço. 

Stefan chega ao seu limite e quebra uma promessa para poder ficar mais forte e proteger Elena. 

Matt ganha mais destaque e se torna aquele cara que está sempre lá para ajudar na hora do sufoco. 

Há um suspense legal no livro, dá mais interesse em ler, principalmente por Damon que continua sendo o mais empolgante da história. Claro que algumas cenas de Stefan e Elena são lindas, mas eles ainda não se entrosaram o suficiente para arrancar suspiros!

Leia a resenha do primeiro livro da série, O Despertar, clicando aqui.

25 de junho de 2016

Resenha do livro O Despertar - Diários do Vampiro


Demorei para começar a ler essa série, hein? Nem sei ao certo quando foi que comecei a ouvir falar sobre Diários do Vampiro, mas o fato é que a história já tinha sido tão comentada que nunca senti motivação para começar a ler os livros, pois já sabia a história. E o tempo foi passando, passando... Até que finalmente a oportunidade veio. 

Fiquei surpresa por esse primeiro livro ser tão fraquinho, por Elena ser tão fútil e Stefan ser, ser... Bem, até que gostei um pouco dele, embora ele seja um pouco desnorteado, então depois eu o defino. Já o Damon, gostei de primeira, porque o cara tem atitude! E o malvado na ficção às vezes é tão divertido. Até agora os aparecimentos dele é o que torna a história interessante.

O Despertar é um livro mais introdutório. Não deixa o leitor muito entusiasmado. Se eu não conhecesse um pouco da história e soubesse que depois melhora, acho que nem teria tanta vontade de continuar a leitura. Mas estou lendo o segundo livro e, de fato, as coisas começam a ficar mais interessantes.

Os personagens vão tendo mais destaques e o prazer pela leitura começa a fluir.

Elena é uma garota popular na escola. Sabe que é bonita, sabe que é desejada e por isso é muito esnobe e age como se fosse a estrela do momento. Ela mora com sua tia e sua irmã de 4 anos (que quase não tem participação). Suas melhores amigas são: Meredith e Bonnie. Até com elas Elena é um pouco cruel. Faz o que quer, fala o que quer e as duas sempre aturando tudo com a maior satisfação.

Quando Elena descobre quem realmente Stefan é as coisas começam a mudar. A personagem vai melhorando e se tornando uma pessoa mais útil. Mesmo ela parecendo muito obcecada por Stefan e o mundo dela girando em torno dele, é quando ela fica mais "humana" e passa a agir sem pensar somente em si mesma.

P.S. Depois de ler a série Os Instrumentos Mortais (com 6 livros), eu tinha dito a mim mesma que não ia ler uma série tão cedo! Porque fico no desespero para ler tudo logo. Mas eu resisto? 


23 de junho de 2016

Resenha do livro Beleza Perdida


Primeiro livro da escritora Amy Harmon que leio. E foi mais uma escritora que me encantou. Beleza Perdida é um livro que aborda temas interessantes. Vale a pena conhecer.

Ambrose Young está no último ano do Ensino Médio. Ele é o tópico jovem lindo e popular que faz as garotas delirarem. Para completar é campeão invicto de luta livre, o que faz os garotos também delirarem. Seu apelido? Hércules!

Mas tudo o que Ambrose realmente queria era ser ele mesmo: um garoto comum, sensível, sem a obrigação de ganhar todas as lutas, sem tantas pessoas o pressionando...

Fern é uma das fãs de Ambrose, mas ela é uma fã especial. É aquela garota considerada feia, comum demais para ser boa o bastante para Ambrose. Por isso ela o admira em segredo, sonha e fantasia com seu herói em segredo. O único a saber desse amor platônico é Bailey, primo de Fern. Um garoto que possui distrofia muscular de Duchene, o que o limita muito fisicamente.

Durante anos Fern estudou na mesma escola de Ambrose o admirou a distância. A situação só mudou quando Rita, sua melhor amiga, que era uma garota linda (de acordo com o padrão que a sociedade dita) começou a se interessar por Ambrose. Rita queria escrever um bilhete que chamasse a atenção de Ambrose, mas como ela era a típica loira-burra não conseguia pensar em nada encantador para escrever. Já a Fern, a típica feia inteligente, colocou todo o seu talento para a escrita em um papel e assinou como se fosse a Rita. Assim, ela e Ambrose começaram a trocar cartas e ela descobriu que o garoto também conhecia Shakespeare e era mais sensível do que ela suspeitava.

Ambrose não era nada bobo e percebeu que a Rita pessoalmente era bem diferente da Rita dos bilhetes. A farsa logo foi descoberta e, claro, Ambrose ficou furioso. Ele não quis admitir no início, mas começou a enxergar Fern com outros olhos, ou melhor, começou a enxergá-la.

Até aqui você pode estar achando que Beleza Perdida é um romance bobo para adolescentes. E é, mas tem um diferencial: em um determinado ponto, a história amadurece e as lições de vida começam a serem dadas.

Tudo começa quando Ambrose, ao invés de ir para a faculdade da Pensilvânia onde ele havia ganhado uma bolsa por causa da luta, decide se alistar e ir para a guerra no Iraque. O garoto estava com aquela empolgação toda depois dos ataques de 11 de Setembro, e usou isso para fugir da responsabilidade e da cobrança que as pessoas faziam sobre ele. Ambrose convenceu seus quatro amigos a irem juntos com ele à guerra. Os garotos foram relutantes, mas a decisão de apoiar o amigo falou mais alto. Mas como a vida às vezes é cruel, quando estava perto dos garotos retornarem da guerra, uma bomba explodiu deixando apenas Ambrose vivo, mas não sem sequelas. Aquele rosto lindo já era.

Agora Ambrose era o garoto feio e sem amigos, e Fern era o patinho feio que havia virado cisne. Brincadeiras à parte, a história se torna uma grande lição. Ambrose perdeu a popularidade, os amigos, a beleza... Mas ele sofre mesmo é pela perda dos amigos, principalmente porque foi ele quem convenceu todos a irem à guerra, por isso ferido mesmo ficou seu coração. No entanto, Fern amava Ambrose, e não sua beleza, e aos poucos eles foram se aproximando. E enquanto se curava, Ambrose se apaixonava pelos pequenos detalhes em Fern. Ele a achava bonita, inteligente. Sabia que ela era diferente de todas as outras garotas que ele havia conhecido enquanto era o garoto mais desejado da escola.

Bailey também é um personagem que nos inspira. A doença faz com ele viva em uma cadeira de rodas e seja completamente dependente dos outros. Bailey por si só já é uma lição de vida, mas às vezes quando ele abre a boca recebemos mais lições. Em um momento em que Ambrose estava se autodepreciando por causa da metade de seu rosto repleto de cicatrizes, Bailey começou a falar sobre si mesmo e sobre o quanto dependia que as pessoas fizessem tudo para ele. Ele disse para Ambrose que teve que escolher entre ficar em casa com seu orgulho ou permitir viver a vida deixando que outras pessoas o ajudassem. Ambrose teria que tomar a mesma decisão.

Beleza Perdida é um livro que recomendo muito. A história é belíssima. Um livro que, com certeza, vou lembrar com carinho sempre!

21 de junho de 2016

Jace e Clary - Shadowhunters



Sabe aqueles posts sobre casais que tanto amo? Pois é, o casal de hoje é Jace e Clary da série Os Instrumentos Mortais da autora Cassandra Clare.



O filme baseado no primeiro livro, Cidade dos Ossos, chegou à telinha em 2013, mas não foi nenhum sucesso de bilheteria, então parou por aí, no primeiro filme mesmo.



Mas para a nossa sorte a adaptação para as telinhas continua com a série Shadowhunters.



Jace é um ousado caçador de sombras. Ele é lindo e corajoso e sabe disso. Sarcástico como ninguém ganha logo o coração da destemida Clary.


Clary se mostra uma garota forte e enfrenta com coragem o novo desafio que a vida lhe obriga a encarar. Com a ajuda de Jace ela revela um grande potencial para se tornar também uma Caçadora de Sombras.



 Amo quando os livros são adaptados ao cinema. É uma forma de, através de imagens, sempre lembrarmos de nossos queridos personagens. 

Conheça o primeiro livro da série clicando aqui.

20 de junho de 2016

Primeiras impressões sobre o livro No Seu Olhar - Nicholas Sparks





Faz tempo que não leio nada do Nicholas Sparks. Na verdade, estava evitando leituras que nos deixam com o coração apertado de tanta aflição. Se bem que tive sorte de nos últimos livros dele que li ter um final feliz. 

No livro No Seu Olhar somos apresentados a Maria Sanchez, uma brilhante advogada que retorna a sua cidade natal, Wilmington, para tentar vencer seus traumas. Também conhecemos Colin, um jovem de 28 anos com um passado bem problemático.

Não é novidade que o caminho desses dois se cruzam.

O prefácio do livro começa de forma interessante, onde um personagem, nos jardins da universidade, observa tudo ao redor, principalmente uma jovem chamada Serena, que é irmã mais nova de Maria. Há um suspense sobre o motivo do rapaz a estar observando, não apenas pessoalmente, mas seguindo o que ela posta nas redes sociais. Sem dúvida esse rapaz está envolvido no passado da família Sanchez e suas intenções em seguir a jovem não são nada boas.

No primeiro capítulo Colin interage com seu amigo, Evan, numa lanchonete de segunda, frequentada por pessoas que procuram brigas e comida barata. Dá para conhecer um pouco do perfil de Colin, já que no momento ele está com a cara inchada por ter lutado com um fuzileiro naval. Colin é o terceiro filho de uma família normal, mas que não havia se planejado para esse terceiro filho. O resultado foi que Colin se tornou um garoto rebelde: se metia em brigas, era expulso das escolas, usava drogas, dava festas barulhentas, etc. Agora ele está de volta, cursando uma faculdade e morando como inquilino de seu amigo Evan, que é o oposto dele, um contador sério, responsável e noivo de uma garota também de bem com a vida, Lily.

Quando Maria entra em cena, a história ganha um pouco mais de humor. Isso porque ela está na estrada com o pneu do carro furado e se assusta quando o homem que para para ajudá-la é nada mais nada menos que Colin, com sua cara inchada. Dá para imaginar o pavor dela, não é?

Eles acabam tendo um segundo encontro em outro momento mais propício e se dão bem logo de cara, mas Maria fica um pouco com o pé atrás, pois Colin fala abertamente de seus erros do passado, o que é um pouco assustador. Colin tem transtorno de raiva e TDAH, mas está aprendendo a se controlar e já está afastado de confusão há um certo tempo. Será que Maria vai dar uma chance a esse cara?

Só li os primeiros capítulos e gostei do que li. Espero em breve ter a oportunidade de ler o livro inteiro, pois confesso que fiquei curiosa! Quando eu ler voltarei aqui para contar para vocês!

15 de junho de 2016

Resenha do livro A Pousada Rose Harbor


Eu sou um pouco desligada às vezes. Já li alguns livros da Debbie Macomber e não fazia ideia de que ela era autora de Sabrina, Julia, Bianca... Aqueles romances das bancas de revistas! Mas se você não é fã desse estilo nem se preocupe, A Pousada Rose Harbor é bem diferente. Não é nada picante. Rsrs!

Li esse livro já faz um tempinho, mas li tantas outras coisas depois dele e fui deixando essa resenha para depois, depois, depois... Espero agora poder lembrar aspectos relevantes da história.

Jo Marie Rose é uma mulher que está passando por um momento difícil. Ela perdeu o marido, que era militar e morreu no Afeganistão, e estava tentando ver como dar continuidade a sua vida sem ele. Paul deixou para a mulher uma boa quantia de dinheiro e com isso Jo resolveu fazer algo que há muito tempo sonhava em fazer: abrir uma pousada.

Jo se mudou para uma cidade pacata, Cedar Cove, e comprou uma pousada de um casal de idosos que estavam deixando a cidade. 

Seus primeiros hóspedes foram: Joshua Weaver e Abby Kincaid.

Joshua era um homem de poucas palavras. Ele voltou à cidade para tentar se reconciliar com o padrasto, que estava à beira da morte. E a história dele é sobre perdão e superação. Joshua tenta superar a morte de sua mãe e perdoar o padrasto que sempre o maltratou, até mesmo quando prestes a morrer. Sua antiga vizinha, Michelle, acaba ajudando muito nesse processo. 

Abby é uma jovem que perdeu a amiga em um acidente e se considerou culpada durante muitos anos. Ela volta à cidade para o casamento do irmão e, diante disso, é obrigada a enfrentar seus medos e buscar o perdão. Mas o que Abby precisa mesmo é perdoar a si mesma.

A Pousada Rose Harbor é um romance água com açúcar, mas é gostoso de ler. Não há grandes emoções, mas também não é um livro entediante. A vida de Jo se resume a conhecer e ajudar seus hóspedes.

Há um toque espiritual na história, já que Jo sonha e às vezes parece sentir a presença do marido. E há um homem cheio de segredos, Mark, que parece ajudar Jo sempre quando ela mais precisa.




11 de junho de 2016

Resenha do livro A Cidade do Fogo Celestial



Último livro da série Os Instrumentos Mortais. Ufa! Não sei como a autora conseguiu esticar taaaaanto essa história. Cidade do Fogo Celestial começou com a história monótona, mas, felizmente, aos poucos foi encantando. Os personagens Jace, Clary, Simon, Elisabette e  Alec cresceram muito, amadureceram muito e houve até uma cena e tanto de Jace e Clary demonstrando a força do amor e parceria entre eles.

Os cinco jovens demonstraram sua coragem indo até a cidade demoníaca onde Sebastian de escondia com seu exército de crepusculares. Como toda batalha, algumas perdas foram inevitáveis. No entanto, a autora nos presenteou com um final que compensou ler todos os seis livros. Ela amarrou bem o destino de cada personagem sem deixar nada solto.

Confesso que havia começado a simpatizar com Sebastian e gostaria que ele tivesse sido mais bem explorado durante a série. A cena final ente ele e Jocelyn foi brilhante.

A autora nos assustou um pouco em relação a Simon. Sofremos um pouquinho. Mas tinha que ter uma parte para nos deixar de coração apertado, não?

Jace finalmente se sente em paz com sua identidade e decide qual sobrenome adotar. Uma bela escolha, por sinal.

Neste livro, Cassandra Clare nos apresenta personagens de outros livros seus, deixando-nos com interesse em conhecer mais suas obras. As peças Infernais é outra série que também relata o universo dos Caçadores de Sombras. Em breve vocês terão notícias desses livros por aqui.

Os Instrumentos Mortais:

1. Cidade dos Ossos
2. Cidade das Cinzas 
3. Cidade de Vidro
4. Cidade dos Anjos Caídos
5. Cidade das Almas Perdidas
6. Cidade do Fogo Celestial

1 de junho de 2016

Resenha do livro Cidade das Almas Perdidas


Cidade das Almas perdidas é o quinto livro da série Os Instrumentos Mortais. A minha opinião sobre ele é praticamente a mesma sobre o quarto livro: A autora poderia ter parado no livro 3, mas os demais não são ruins. São cenas extras. Vale a pena se divertir mais um pouco, pois os diálogos são interessantes. O livro não é cansativo. Jace, mesmo sendo mau, é um fofo.

Contém um pouco de spoiler

Em Cidade das Almas perdidas podemos conhecer um pouco mais sobre Sebastian. Ele é um rapazinho um tanto assustador, mas está mantendo as aparências na frente de Jace e Clary.

Clary está sendo muito corajosa, mesmo ela fazendo muitas bobagens, a coragem predomina. Ela sabe que precisa agir, que ficar só observando o caos surgir não vai resultar em nada.

O que mais gostei neste livro foi o fato de os casais estarem se ajustando: Maia e Jordan finalmente se entendem, Simon e Isabelle estão mais próximos e ela faz algo por ele que demonstra o quanto confia na capacidade do vampiro. Alec está inseguro em relação a Magnus e acaba fazendo algo que irrita muito o feiticeiro.

Simon também tem um papel de destaque nesse livro. Ele mostra que é capaz de arriscar tudo para salvar Clary. A amizade deles está mais forte do que nunca. Mas ele acaba perdendo algo de muito valor ao entrar na batalha.

Cidade das Almas Perdidas é um bom livro. A autora sabe prender o leitor, mesmo quando está claro que não havia motivos para estender tanto a história.

Simon invoca um Anjo e uma coisa que chama a minha atenção nessa série é: Esses anjos são cruéis... Nunca vi!

Para quem virou fã da série Cidade das Almas Perdidas é um livro que não decepciona. E o bilhete que Jace deixou para Clary quando eles dormiram na casa de Amatis é mostrado no final do livro. Linda declaração de amor!

Agora vamos partir para o sexto e último livro da série: Cidade do Fogo Celestial!