24 de maio de 2016

Resenha do livro Cidade dos Anjos Caídos


Cidade dos Anjos Caídos é o quarto livro da série Os Instrumentos Mortais. Se você ainda não leu a série, mas pretende fazer isso, recomendo que leia apenas a resenha do primeiro livro, Cidade dos Ossos, clicando neste link. Pois é difícil comentar sobre a continuação sem revelar algumas coisas...

Em Cidade dos Anjos Caídos Simon rouba a cena e ganha muito destaque. E não é que o vampirinho anda todo descolado e ganhando o coração das meninas? Rsrs!

A relação de Jace e Clary fica um pouco abalada por conta de "Jace e seus mistérios", mas o livro não é chato, a autora sabe nos prender com o humor negro de Jace e a amizade dele com Simon se torna algo divertido de ler, pois eles se amam, mas não querem reconhecer isso. Ou seja, eles já são amigos, mas insistem em achar que um não gosta do outro e se toleram por causa da Clary.

Se você acha que a história dessa saga é "pesada" por conta de demônios, vampiros, lobos, etc. Que nada! Em alguns momentos você ri alto. Porém, tem algumas considerações que eu gostaria de fazer, mas só vou colocar isso na resenha do último livro. 

O livro não acrescenta muita coisa à história. Aparecem alguns personagens novos, Clary é treinada, Alec está em viagem de férias... Tudo bem previsível. Mas não é um livro ruim. Fiquei um pouco sem paciência com as chatices do Jace em relação à Clary, mas as cenas com Simon compensaram e salvaram o livro. 

Pelo jeito que terminou o próximo livro promete mais ação. Vou começar a ler em breve. Vamos aguardar!

18 de maio de 2016

Resenha do livro Cidade de Vidro


Terceiro livro da Saga Os Instrumentos Mortais, Cidade de Vidro foi um livro bem aguardado, pois eu sabia que muitas coisas iriam ser esclarecidas nele. Clary está em busca da poção que fará com que sua mãe acorde do coma, para isso ela precisa ir até a Cidade de Vidro procurar o feiticeiro capaz de ajudá-la. O problema é que Jace, muito superprotetor, não quer deixá-la ir. Então Clary precisa se virar sem ele, e ela até consegue. Neste terceiro livro Clary está um pouco mais confiante, ainda não está preparada, mas está confiante de seus poderes. E está determinada. Mas toda essa determinação quase vai por água abaixo pelo fato de Jace estar sendo um pouco cruel com ela. Sabe aquela típica cena "vou mantê-la longe de mim, pois assim ela estará segura"? Pois é o que Jace faz. Com isso Clary consegue a ajuda de outra pessoa: Sebastian. Mas será que Clary pode confiar nele?

O que fica claro em Cidade de Vidro, é que são poucas as pessoas em que dá para confiar. Nem a Clave é mais confiável, pois muitos de seus membros estão do lado de Valentim.

Simon também é um personagem que se destaca no livro. Ele cria mais coragem, fica destemido, prova sua lealdade... Ou seja, não é mais um menino indefeso. Jace, apesar de não admitir, mas nós leitores percebemos, está mais próximo de Simon e mais disposto a defendê-lo. Gostei da aproximação dos dois no livro.

Enfim, chega o momento da batalha. Lobisomens, vampiros e Caçadores de Sombras se unem para combater o terrível Valentim e seu exército. Mas será que os planos saem como esperados?

As verdades são reveladas e Jace descobre quem é seu verdadeiro pai. Apesar de isso significar que ele e Clary poderão ficar juntos, toda a história abala um pouco a identidade de Jace e ele fica um pouco perdido.

Bom, é bem difícil escrever resenhas de sagas porque você fica com aquela sensação que está dando spoiler, que não pode soltar muita coisa, senão perde a graça, etc. 

Eu acho que a história acabaria bem nesse livro 3, mas tem mais 3 livros pela frente. São 6 no total. Li tantos elogios sobre o último livro que vou continuar lendo a série e vou contando um pouco mais para vocês, ok?

Até mais!

Conheça os dois primeiros livros:




Resenha do livro Cidade das Cinzas


Segundo livro da Saga Os Instrumentos Mortais, Cidade das Cinzas me surpreendeu. Li algumas resenhas falando que o livro era chato, vi muitas críticas e eu mesma achava que seria um pouco chato pelo fato de Jace e Clary passarem o livro todo sendo "enganados". Mas a história me surpreendeu. Foi muito boa. Li o livro bem rápido. Portanto, não esqueça: Não deixe de ler um livro por causa dos comentários de outras pessoas, leia e tire suas próprias conclusões.

Clary acaba descobrindo mais verdades sobre a vida dos seres do submundo, acaba se aproximando mais de Luke, conhece Maia (embora não tenha muita afinidade com a mesma), Alec não mais parece odiá-la, mas ainda estão longe de serem melhores amigos. E Simon está passando por uma fase difícil de adaptação. Ele está otimista com sua relação com Clary, mas um acontecimento que com certeza foi a cena mais chocante do livro fez com que seu otimismo despencasse. Então ele faz uma tremenda burrada e sua vida muda para sempre.

Mas Simon não é o único que faz burrada. A mãe de Isabelle e Alec reaparece e a forma como ela trata Jace faz com que o leitor crie uma enorme antipatia por ela. Ela é bastante injusta com Jace. E a Inquisidora que aparece para julgá-lo é pior ainda. A vida não fica fácil para Jace e ele encara tudo isso com sarcasmo e rebeldia. Tipo, "se não posso ter a Clary, então que se dane o resto do mundo". 

Apesar de querer ficar afastada de Jace, Clary não consegue, ela precisa dele para destruir seus inimigos e enfrentar Valentim. E também precisa dele para ajudar Simon. Mesmo Jace fazendo o papel de menino revoltado, ele ainda é quem resolve as questões mais difíceis. E por mais que os Caçadores de Sombras não gostem de se envolver com o submundo, Clary os faz perceber o quanto todos precisam estar unidos.

Conheça o primeiro livro da saga: 



14 de maio de 2016

Resenha do livro Cidade dos Ossos



Cidade dos Ossos é o primeiro livro da série Os Instrumentos Mortais, da autora Cassandra Clare, publicado em 2010 pela Editora Galera Record. 

O livro conta a história de Clary, uma garota de 15 anos que vive com sua mãe, Jocelyn, em um apartamento no Brooklyn. Clary tem um melhor amigo, Simon, com quem ela decide, certa noite, ir a uma boate, sem saber que a partir dessa noite sua vida pacata começa a mudar...

Na boate, Clary se interessa por um rapaz e fica de olho nele por um tempo até perceber que o garoto está sendo seguido e ela acaba presenciando o assassinato dele. O que tornou a cena incomum foi o fato do corpo do garoto imediatamente desaparecer deixando apenas cinzas no chão e o fato de ninguém mais conseguir enxergar os assassinos, além dela.

Jace, Alec e Isabelle são Nephilins, mais conhecidos como Caçadores de Sombras, cuja missão é matar demônios. Eles vivem entre os humanos só que os mesmos não podem vê-los, a não ser que eles permitam, por isso foi uma surpresa para Jace descobrir Clary, a garota humana que podia vê-los e ver também o demônio que eles mataram na boate.

Claro que depois dessa descoberta Jace foi atrás de Clary, e chegou em um momento bem oportuno, pois a mãe da garota havia desaparecido e o apartamento revirado por um demônio que dessa vez não tinha a forma de um rapaz bonito, e sim um verdadeiro monstro. Jace ajuda Clary e a leva para o Instituto, onde, juntos, eles poderão descobrir o que aconteceu para a mãe de Clary desaparecer e se ela é também uma Nephilim.

O livro conta com muita ação e um pouco de romance também. O interessante é que também existem personagens que são lobisomens, vampiros, fadas, etc. Achei legal a mistura.

Normalmente esse estilo de livro não chama minha atenção, mas acabei lendo e gostando. Portanto, vou continuar lendo a série.

Também assisti ao filme. E não é nenhuma novidade dizer que o livro é bem melhor. Além do filme resumir muito a história, compromete a interpretação dos personagens. No livro Jace é sarcástico, do tipo que se acha a última bolacha do pacote, mas no filme esse lado não foi muito explorado, o que o tornou meio sem graça. Já o personagem Simon, que é meio sem graça no livro, ganhou mais destaque no filme. Enfim, é do gosto de cada um. Recomendo ambos para um momento de lazer. 

Até a próxima!

6 de maio de 2016

Resenha do livro Sombra de Vampiro


Eu estava morrendo de saudades de ler um livro cujos personagens fossem vampiros. Amo essas histórias!

Sombra de Vampiro é o primeiro livro de uma série, sendo que apenas o primeiro foi traduzido para o português. Essa é a parte ruim :-( Trata-se de uma publicação independente da escritora Bella Forrest. Tomei conhecimento desta série através das redes sociais e decidi conhecer essa história. Não me arrependo. Foi um bom entretenimento.

Sofia Claremont estava passando uns dias em Cancún, com seu melhor amigo Ben e sua família. Os pais de Ben haviam abrigado Sofia porque a mãe dela havia ido embora e o seu pai estava impossibilitado de cuidar da filha. Ben a via como uma irmã, mas Sofia o via com outros olhos... Ela estava decidida a se declarar para seu melhor amigo durante essa viagem na praia, mas os planos não saíram exatamente como ela desejava.

Certa noite, enquanto caminhava sozinha, Sofia se deparou com um rapaz um tanto ameaçador. Ela foi sequestrada e levada para uma ilha chamada Sombra. Lá, ficou escrava de um rapaz que era o líder dos vampiros, Derek Novak. 

Derek havia dormido por 400 anos e havia despertado porque chegara o momento de assumir sua posição e lutar contra os caçadores (humanos que matavam vampiros). O rapaz não estava muito satisfeito com sua posição de líder, mas logo encontrou em Sofia o motivo para continuar sendo quem era e lutar por sua vida.

Derek se encanta por Sofia logo de cara, mas protegê-la é algo que ele descobre ser muito difícil, pois o vampiro que mais deseja sugar todo o sangue de Sofia é justamente o seu irmão, Lucas, com quem Derek possui algumas desavenças. 

Sofia vai se apaixonando aos poucos por Derek, mas ela está ciente dos riscos que corre ao se apaixonar por um vampiro, por isso é levada a tomar uma decisão difícil, onde tem que deixar as emoções de lado e agir com a razão. Será que ela consegue? 

Esse primeiro livro é bem curto. São apenas 166 páginas. Li rapidinho. O único problema é que você fica com a sensação de que leu apenas a introdução de uma história. Mas valeu a pena. Agora é torcer para que os demais livros sejam traduzidos logo!

3 de maio de 2016

Resenha do livro Sr. Daniels


Ashlyn Jennings é uma garota de 19 anos que acaba de perder sua irmã gêmea, Gabby, vítima de leucemia. As garotas eram muito amigas, mas Gabby era mais próxima da mãe, pois elas tinham os mesmos gostos; já Ashlyn era fã de livros, lia principalmente Shakespeare, então vocês já devem saber que pessoas assim não têm muita gente com quem compartilhar suas paixões.

Quando Gabby morre, além de perder sua grande companhia, Ashlyn se vê obrigada a se mudar para ir morar com o pai, que havia abandonado a família quando as irmãs ainda eram bem pequenas. Ashlyn acredita que a presença dela faz a mãe sofrer, e acredita que é por isso que a mãe não quer ficar perto dela e a manda passar um ano morando com o pai. Muito contrariada, Ashlyn faz a vontade da mãe.

Durante a viagem de trem até a casa de seu pai, Ashlyn encontra um belo rapaz, músico e dono de olhos azuis que logo encanta a garota. Ele a convida para vê-lo tocar, mas Ashlyn não dá muita esperança, pois o momento pelo qual ela passa não é dos melhores. Para piorar, quando seu pai chega para buscá-la na estação, a garota descobre que o pai tem uma nova família. Ele mora com a atual esposa e os dois filhos dela.

Ashlyn se sente um peixe fora d'água na casa do pai, mas isso não dura muito, pois os irmãos Ryan e Hailey são jovens bem legais e logo se tornam grandes amigos de Ashlyn. Hailey está superapaixonada por um rapaz que só está a usando, e Ryan é gay e esconde isso da mãe, uma mulher que é religiosa e bastante rígida. Como os três passam por problemas, logo estão um consolando e fortalecendo o outro.

Ashlyn acaba aceitando o convite de Daniel e vai vê-lo tocar. Ela se encanta mais ainda ao constatar que as letras das músicas da banda de Daniel, a Romeos Quest, são todas inspiradas em Shakespeare. Os dois entram em sintonia de imediato. Além do amor pela literatura, Daniel também sofre pela morte da mãe, que aconteceu de forma trágica, e entende o sofrimento recente de Ashlyn.

Tudo seria perfeito entre os dois se não fosse, ao chegar na escola, Ashlyn perceber que Daniel é seu professor. Isso complica muito a vida dos dois, mas, para nossa sorte, não os impede de quebrar alguns protocolos e terem alguns encontros. Então, vamos sim ver muito romance no livro. 

Daniel, como todo protagonista de um bom romance, é o cara perfeito. As cenas entre ele e Ashlyn são encantadoras. Mas o livro não é só romance, os dramas vividos pelos personagens são bem reais e não os poupa de algum sofrimento:

Daniel tem um irmão envolvido com drogas e ele causa bastante estrago na vida do irmão, inclusive quando descobre o romance dele com uma aluna.

O pai de Ashlyn sofre por ter sido um pai ausente.

A mãe de Ashlyn é alcoólatra.

Ryan sofre por não assumir sua sexualidade, mas é o tipo de cara que sofre com um sorriso no rosto, e uma das cenas mais tristes do livro é com ele. Preparem-se para chorar.

Ashlyn precisa descobrir se o sofrimento pela perda da irmã deixa ela muito dependente de Daniel e a garota se vê obrigada a tomar uma decisão bem difícil.

Hailey sofre por amor.

A mãe de Ryan e Hailey sofre pelo suicídio do ex-marido. 

Mas não precisam desanimar achando que o livro só nos traz lágrimas, apesar das dores, há superação e os personagens seguem adiante. O livro nos traz lições que valem a pena conhecer. Recomendo!