Resenha do livro O verão que mudou minha vida

31 de dezembro de 2016

Sabe aquele livro bem adolescente? Uma pessoa adulta pode até ficar entediada lendo, mas eu não fiquei. Tá bom, fiquei um pouco em algumas páginas. Mas não me arrependi de ter lido. 

Belly é uma adolescente de 15 anos. Ela costuma passar suas férias de verão na casa de praia da melhor amiga da sua mãe. Essa amiga tem dois filhos: Conrad e Jeremiah. Eles se conhecem desde crianças, mas só convivem durante as férias. Belly, desde os 10 anos, nutre uma paixão platônica por Conrad, mas o garoto a vê como uma irmãzinha mais nova. Bom, nem tanto, mas eles preferem manter as aparências assim.

No verão em que Belly está prestes a completar 16 anos, as coisas estão mais diferentes. Os garotos estão crescidos, mais maduros, Belly está com um "corpão" que eles notam logo...  E a história se resume a paqueras, recordações de Belly sobre os verões passados, muitos banhos de piscina... Nada especial.

O livro aborda também um pouco sobre o divórcio e suas consequências, principalmente na vida dos filhos.

Se você é adolescente, vai se identificar com as situações passadas por Belly. Se você for como eu, que já passou da adolescência faz tempo, mas tem filhos prestes a chegarem a essa etapa da vida, pode aprender (relembrar) o que esperar dessa fase. 

O verão que mudou minha vida é o primeiro livro da trilogia Verão. Em breve mais notícias sobre os demais livros.

Leia também:


Resenha do livro Entrevista com o Vampiro

30 de dezembro de 2016

Assisti ao filme Entrevista com o Vampiro na década de 90, quando foi lançado. Eu era bem jovem e não me recordo os detalhes. Apenas recentemente, ao pesquisar livros sobre vampiros, foi que descobri que Entrevista com o vampiro faz parte de uma série As Crônicas Vampirescas e que ainda tem livros sendo lançados. Então eu decidi entrar na aventura de ler esses livros.


Entrevista com o Vampiro descreve durante todo o livro uma entrevista que o vampiro Louis de Pointe du Lac dá a um jovem repórter. Louis fala sobre sua vida, sobre como foi ser transformado em vampiro, sobre Lestat (o vampiro que o transformou) e como foi sua vida ao lado dele. Por ser uma entrevista, você pode achar que a leitura será cansativa, mas não é. Simplesmente ficamos encantados com a forma como tudo aconteceu, com os sentimentos de Louis, pois ele é um homem muito sensível quanto a sua nova natureza. Ele busca respostas sobre sua nova condição. No entanto, Lestat não está disposto a contribuir. Para ele, Louis tem a eternidade, a imortalidade e deve usufruir disso. 

Louis é um vampiro solitário, melancólico, e não gosta de Lestat, vive planejando abandoná-lo. Ao perceber isso, Lestat transforma em vampira uma garotinha por quem Louis de afeiçoou, Cláudia. Após a transformação, a vida para eles melhorou um pouco. Louis parecia mais satisfeito. No entanto, à medida que o tempo foi passando, Cláudia amadureceu, e virou uma mulher presa em um corpo de menina. Os conflitos recomeçaram. Cláudia também não gostava de Lestat, da maneira como ele os deixava dependentes dele para ter respostas sobre sua natureza. E, depois de uma atitude insensata, Louis e Cláudia fogem para a Europa à procura de outros vampiros.

Eles acabam encontrando Armand, o vampiro mais antigo que existe e que é líder de um grupo. Mas o encontro não foi como Louis esperava e mais tragédias acontecem.

Entrevista com o Vampiro nos leva a refletir sobre de que adianta ter a eternidade se não se tem pelo que viver? Acho que o que dá sentido à vida é estar constantemente buscando, desejando algo, fazendo metas, sejam relacionadas ao estudo, trabalho, vida amorosa... Enfim, o ser humano está sempre buscando alguma coisa. Enquanto Louis tinha coisas a descobrir, algo a que buscar (outros vampiros) ele ainda tinha motivos pelos quais viver. Depois tudo perdeu o sentido. Ele continuou melancólico e afastado de todos a sua volta.

Recomendo o livro e em breve vou voltar aqui para falar sobre os demais.

Leia também:





Resenha do livro Too Late - Tarde Demais

29 de dezembro de 2016

Too Late é um livro que a escritora Colleen Hoover lançou de maneira independente. Ela ficava postando os capítulos no Wattpad. Então, o pessoal da Ugly Love BR, com a autorização da autora, foi traduzindo esses capítulos e disponibilizando-os para nós.

É o primeiro livro que leio através do Wattpad. Como já estou acostumada com o Kindle, não senti dificuldade não. Muita gente reclama e tal... Mas ler qualquer coisa dessa autora vale a pena. Ela é simplesmente demais. Too Late é bem diferente de tudo o que ela já escreveu. É uma história forte, com um personagem nojento. Bem nojento. Ele é tão ridículo que às vezes dá até para rir dos comentários dele, dos pensamentos dele. Machista ao extremo. E, deixa eu dizer só mais uma vez: Nojento.

Sloan é uma garota cheia de problemas. Ela tem uma mãe viciada em drogas e que não se importa com os filhos. Sloan sempre cuidou de seu irmão mais novo, um rapaz doente que necessita de cuidados constantes. Sloan dedicou toda a sua vida de adolescente cuidando do irmão. Ela não teve a oportunidade de curtir a vida. Apenas quando estava concluindo o Ensino Médio, ela descobriu que o irmão poderia receber tratamento e acompanhamento custeados pelo governo. Ela o internou e conseguiu ir para a faculdade. Na faculdade, ela conheceu Asa, um rapaz lindo e muito seguro de si mesmo. Sloan não sabe como, mas ele se interessou por ela. Quando o governo cortou os benefícios do irmão de Sloan, ela não tinha a quem recorrer. Ela já estava tendo despesas demais para se manter na faculdade. Então, Asa, se ofereceu para pagar o tratamento do irmão dela, e pediu que ela morasse com ele.

Estava tudo indo bem até Sloan descobrir de onde vinha todo o dinheiro de Asa: ele era traficante. Sloan tentou abandoná-lo, mas percebeu que não teria como manter o tratamento do irmão, por isso ela ficou "presa" ao seu namorado. A casa onde eles moravam era um inferno. Um entra e sai constante de pessoas. A maioria desconhecida. Festas. Drogas. Negociações ilícitas. Asa era um namorado ciumento, possessivo, controlador e agressivo. Sloan sofria agressões psicológicas e era constantemente forçada a fazer sexo com ele. E nem sempre ele era gentil. Em vários momentos pensei em abandonar o livro, mas a curiosidade em saber como a vida dessa garota iria terminar foi maior.

A história ficou mais emocionante ainda por causa de Carter, um policial disfarçado que passou a "trabalhar" para Asa. Ele se apaixonou por Sloan, queria salvá-la de Asa, mas o traficante era muito esperto e sempre estava a um passo à frente deles. Mesmo assim os dois se arriscavam, o que me deixava tensa durante a leitura porque a qualquer momento eles poderiam ser pegos.

A história é assustadora. Asa é um personagem que você teme. Algumas cenas foram apavorantes. Colleen Hoover foi incrível escrevendo essa história. O final foi bom. Mas autora acrescentou alguns capítulos que para mim foi desnecessário.

E só para lembrar: O livro é indicado para maiores de 18 anos. Algumas cenas são fortes.

Indico. Superindico mesmo estes outros livros da autora:

Um Caso Perdido

Métrica

O lado Feio do Amor

Talvez um Dia (Esse livro é perfeito!)



Resenha do livro O ano em que te conheci

28 de dezembro de 2016


Cecelia Ahern é uma escritora que admiro já faz um tempinho. E, por conta disso, não abandonei esse livro nos primeiros capítulos. Sabia que podia confiar nela. 

Jasmine é uma mulher de trinta e poucos anos que vive em função do trabalho e de cuidar de sua irmã, Heather, que tem Síndrome de Down. Na verdade, Heather divide um apartamento com uma amiga e é bem independente, a Jasmine é que exagera mesmo nos cuidados com a irmã, principalmente pelo fato de a mãe delas já ter morrido e o pai ter uma nova família e não ser muito participativo na vida de Heather.

Jasmine tem um vizinho, Matt, que mora em frente a sua casa. Por conta disso, de sua janela ela acaba vendo muito da vida dele. E também não é como se ele fosse discreto, chegando em casa de madrugada, bêbado e com o volume do som do carro nas alturas. (Pelo menos ele tinha bom gosto. A música era sempre a mesma Paradise City - Guns N' Roses). Matt é casado, mas está em crise, sua mulher acaba indo em bora para "dar um tempo" levando os três filhos com ela. O mais velho, um rapaz de 15 anos, odeia o pai. A situação é bem complicada.

Jasmine tem uma relação de amor e ódio com Matt. Ele é radialista. Comanda um programa de debates, daquele que faz o povo ficar discutindo sobre temas polêmicos. Anos atrás foi discutido sobre Síndrome de Down, e Jasmine ficou muito ofendida com os comentários. Por isso ela diz odiar Matt. No entanto, ela não para de observar a vida dele.

Ao ficar desempregada e de licença forçada, Jasmine fica com tempo de sobra em casa sem ter o que fazer e então é que começa a observar mesmo a vida de Matt. Para ocupar o tempo, ela decide quebrar os paralelepípedos que tinha colocado em seu jardim, para replantá-lo. Ao se desentender com o paisagista, ela mesma decide trabalhar em seu jardim. Com ela trabalhando no jardim, e Matt bebendo no jardim dele para esquecer seus problemas, eles acabam se aproximando.

A amizade não é imediata. Eles vivem trocando farpas. Mas, até que é divertido.

O ano em que te conheci é um livro que fala sobre amizade. Ao se aproximar de Matt, Jasmine descobre que ele não é tão terrível assim. E ao ter que desacelerar do trabalho e ter que ficar em casa, Jasmine também descobre mais sobre si mesma. 

O início da história pode ser entediante, mas, aos poucos, Cecelia vai mostrando o seu humor ao descrever situações pra lá de embaraçosas que a nossa personagem se mete.

E no final há uma boa reflexão. Amei e recomendo. 

Outros livros da Cecelia Ahern que li:






Resenha do livro Os Infratores

21 de dezembro de 2016

Amo ser surpreendida com livros que jamais eu tinha ouvido falar... Geralmente, os livros que leio são escolhidos por mim através de pesquisas que faço na internet ou recomendações de amigos. Os Infratores chegou em minhas mãos por acaso. E que acaso bom, pois descobri uma ótima história.

A família Bondurant mora no pequeno condado de Franklin, no estado da Virgínia. Em 1920, em plena Lei Seca (lei que proibia a fabricação, transporte e venda de bebidas alcoólicas), esse condado era o centro da produção ilegal de álcool.

A sinopse desse livro não me interessou de imediato. Parecia que o livro ia falar apenas de irmãos contrabandistas e violentos, mas não foi bem isso.

Jack é o irmão mais novo e é o personagem central da história junto com o jornalista, Sherwood Anderson, que aparece no condado em busca de material para sua reportagem sobre uma contrabandista que estava ficando famosa. No condado, Anderson fica sabendo sobre os irmãos Bondurant e ele mesmo acaba vendo como a fabricação ilegal da bebida e sua comercialização é o que praticamente mantém a vida das pessoas nesse local tão pobre.

Jack é um garoto sensível e apegado à família. Forrest é o irmão do meio e quem comanda o "negócio". É um homem temível por muitos da região. Até mesmo pela polícia, que também tem uma grande participação no tráfico dessas bebidas, fazendo vista grossa e recebendo propina. Howard é o irmão mais velho. Ele é temido por seu tamanho (gigante), parece ser movido a álcool, pois está sempre bebendo, aparentemente traz traumas pelo período em que lutou na guerra.

A história nos faz refletir sobre o que levou os irmãos a se envolverem nesse mundo criminoso, já que vieram de uma boa família. Principalmente Jack, o mais sensível dos irmãos. Um dos motivos é a melhoria de vida. Todos os irmãos trabalhavam na fazenda do pai, um serviço pesado e pouco remunerado. Jack vivia sujo, com botas velhas, pés sangrando e mencionava constantemente seu desejo de ter botas novas e uma aparência melhor. Isso se acentuou ao se apaixonar por Bertha Minnix, pois o rapaz desejava dar boas condições de vida à sua amada.

Apesar da pobreza não justificar o crime, o livro nos leva a refletir sobre o desejo e o direito do ser humano de buscar melhores condições de vida. Jack abandonou o comércio ilegal de bebidas após conseguir herdar a fazenda do pai e tirar dela o seu sustento. O que mostra que seus erros da juventude eram para saciar suas necessidades materiais.

Howard era uma alma atormentada, mas ele também se reajustou e se dedicou à esposa e filhos.

Forrest era o mais misterioso e reservado. O final dele foi diferente de seus irmãos.

Os Infratores é um livro que recomendo. A história vai lhe ajudar a ampliar a visão sobre a realidade de uma vida miserável física e espiritualmente.




As Crônicas Vampirescas

15 de dezembro de 2016

Em 1994, o filme Entrevista com o Vampiro foi lançado, estrelando Tom Cruise e Brad Pitt como personagens principais. O filme foi baseado no livro da autora Anne Rice e pertence a uma série que conta atualmente com 11 livros, publicados aqui no Brasil pela editora Rocco. 

Ficou curioso para conhecer As Crônicas Vampirescas? Segue abaixo a lista dos livros:



3. A Rainha dos Condenados

4. A História do Ladrão de Corpos 

5. Memnoch

6. O Vampiro Armand

7. Merrick

8. Sangue e Ouro

9. A Fazenda Blackwood

10. Cântico de Sangue

11. Príncipe Lestat



Vale a pena conhecer!!!


Resenha do livro Unidos pelo Destino

7 de dezembro de 2016

Unidos pelo Destino foi um livro que encontrei por acaso ao navegar pelas redes sociais. Ao ler a sinopse, logo meu interesse foi despertado e não demorei a adquirir o livro.  

Christina é uma jovem que perde seus pais e seu irmão em um acidente de carro. Por ser menor de idade, ela vai morar com um tio, um homem alcoólatra, insensível e com requintes de crueldade. À medida que Christina cresce e seu corpo se desenvolve, seu tio começa a observá-la e sutilmente iniciam os assédios. 

Em uma determinada noite, Christina sabe que não poderá mais evitar, sabe que logo seu tio conseguirá o que está desejando. E quando ele chega embriagado e começa a agredi-la, algo inusitado acontece: Um rapaz entra na casa e dá um tiro em seu tio.

Christina é levada ao hospital e lá tenta entender tudo o que aconteceu. Quem era o estranho que a salvou e foi tão gentil com ela? Por que ele fez aquilo? O que aconteceria com ambos agora que seu tio estava morto?

O único desejo de Christina era que o rapaz saísse impune, mas isso não aconteceu. Ele ficou preso durante oito anos. E durante esses oito anos, por mais que Christina tentasse entrar em contato com ele para obter uma explicação sobre tudo, o rapaz a evitava, ele sequer queria vê-la.

Yuri só desejava uma coisa em sua vida: proteger Christina. Para isso ele seria capaz de qualquer coisa. Ele não se importava em ser punido, desde que Christina estivesse bem. Quando Yuri saiu da prisão, ele não pretendia entrar na vida de Christina, mas ela havia se transformado em uma bela mulher e não facilitava em nada a decisão de Yuri de manter distância, pois Christina vivia atrás dele.

Manter distância era inevitável, pois ambos estavam apaixonados e sentiam uma forte ligação. No entanto, quando o mistério sobre as atitudes de Yuri é revelado, isso pode desestruturar a relação dos dois.

Unidos pelo Destino é um livro que lhe deixa com vontade de ler rapidamente e desvendar toda a história. É previsível, mas de um jeito que não perde o encanto. 

Senti falta de algumas cenas mais descritivas. Tudo acontece de forma um pouco rápida e o foco é nos sentimentos dos personagens. Não que eu goste de longas descrições sobre ambientes, mas um pouco dessas descrições servem para situar o leitor e fazê-lo imaginar onde os personagens vivem, o que veem, o que vivenciam. 

Quanto a história em si, eu gostei muito. Principalmente pelo fato de algo trágico ter resultado em superação. Não gosto de histórias trágicas onde os personagens sofrem sem limites. Gosto quando eles se reerguem e aprendem com o sofrimento, absorvem as lições. É um livro que recomendo. 


Resenha do livro O Milagre

5 de dezembro de 2016

Fazia tempo que não lia nada do Nicholas Sparks. Estava com saudade, mas, infelizmente, o livro O Milagre não fez com que eu matasse essa saudade, pois, de todos os livros do Sparks que li, esse foi o menos interessante. Por favor, não pense que estou dizendo que a história é ruim, pois você pode gostar dela. 

Jeremy é um jornalista investigativo acostumado a viajar pelo mundo desvendando mistérios. Ele é apaixonado por seu trabalho e sabe que, nesse meio jornalístico, precisa lutar por um espaço na mídia através de histórias interessantes para os leitores. Quanto ao amor, Jeremy é divorciado e parece não ter superado bem o fato de seu casamento ter dado errado, pois, para ele, poderia ter dado certo. Então ele ficou meio sem entender quando sua esposa simplesmente foi embora.

Certo dia Jeremy recebe uma carta de uma moradora de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos. A senhora pede que ele vá até sua cidade investigar luzes misteriosas que aparecem no cemitério da cidade durante a noite e que estão virando a atração da pequena cidade.

Ao chegar em Boone Creek, Jeremy resolve fazer pesquisas sobre a cidade na biblioteca, e ele acaba passando bastante tempo na companhia de Lexie Damell, a bibliotecária. Não é preciso ter bola de cristal para saber que esses dois se apaixonam. No entanto, Lexie já teve seu coração partido e, por conta disso, é uma mulher bastante cautelosa. Ela não se entrega tão facilmente aos encantos de Jeremy. 

O que, para mim, tornou este livro do Sparks diferente dos demais, foi o fato de Lexie ser um pouco cansativa. Ela tinha alguns motivos para ter receio, mas Jeremy estava o tempo todo provando que tinha escolhido ficar com ela. Ele demonstrou e provou seus sentimentos, mas mesmo assim Lexie ficava procurando problemas onde não tinha. E dessa forma o Sparks foi enrolando a história até o final.

O livro tem continuação. Mas, no momento, não pretendo ler. Se você tiver interesse, o livro que dá continuidade à história de Jeremy e Lexie chama-se À Primeira Vista

Outros livros do autor que li: