Resenha do livro O Céu Está em Todo Lugar

30 de agosto de 2011




Jandy Nelson é uma poetisa que teve a feliz ideia de escrever um romance transformando em prosa todo o seu talento em transformar simples palavras em palavras mágicas.


Que belo livro! Independentemente da história, que é muito boa, Jandy Nelson seria capaz de tornar extraordinária até uma bula de remédio com sua linguagem encantadora e cativante. (Não consegui desgrudar do livro e fui dormir bastante tarde para terminar de lê-lo).


Lennie é uma garota de 17 anos, sonhadora, romântica e apaixonada por música e pelo livro O Morro dos Ventos Uivantes (E quem não é?). Tinha uma vida típica de uma adolescente até que perdeu sua irmã, que morrera subitamente. A partir de então sua vida muda, pois ela perdera seu refúgio, seu exemplo, sua amiga, sua segurança, pois era tudo isso que a irmã (Bailey) representava para ela.


Quem já perdeu alguém tão próximo entende o que é sentir essa perda, mas isso de forma alguma torna o livro melancólico, pelo contrário, dei boas risadas (e várias vezes) com as loucuras dessa jovem clarinetista. A família dela é um amor, mesmo com suas esquisitices, sua avó é muito supersticiosa e seu tio, que foi casado cinco vezes, também tem suas manias estranhas... Mas formam uma família feliz e amorosa, mesmo diante de dois grandes sofrimentos: a perda de Bailey e a mãe das garotas que saiu de casa há dezesseis anos e não dera mais notícias à família. Quanto à Bailey, eles tentam aprender a superar, e quanto à mãe desaparecida, todos têm a esperança que um dia ela volte.


O relacionamento familiar é trabalhado no livro de forma que nos mostra que mesmo diante dos problemas e desafios, o amor pode superar todas as coisas. Eles são unidos e receptivos aos amigos. O livro é bem especial mesmo. Não há como não se apaixonar pela leitura e seus personagens.


Toby (o namorado de Bailey) é o garoto que você sente vontade de proteger. E Joe Fontaine, o garoto que tem um sorriso capaz de derrubar Lennie e fazê-la esquecer um pouco o seu luto, é um tanto carinhoso e encantador.


Lennie se vê confusa e atrapalhada diante de tantas mudanças em sua vida, tudo acontece ao mesmo tempo: perda, paixão, amor, perdão, amizade. Ela vai das lágrimas aos momentos mais felizes em uma fração de segundos. E assim é a nossa vida, só que a de Lennie tem toda uma descrição fantástica e poematizada que só Jandy Nelson é capaz de fazer!

Resenha do livro - Roubada

26 de agosto de 2011



Lesley Pearse é uma autora que cria tramas envolventes e personagens marcantes. O livro “Roubada” se enquadra perfeitamente nesse perfil.
A história de Lotte é de deixar qualquer pessoa comovida, é de causar espanto como alguém pode passar por tantos desafios e não abalar sua sanidade.
Lotte era a filha mais nova de Peggy e Ted Wainwright. Quando sua irmã Fleur morreu, sua mãe não conseguiu superar a perda da filha e transformou a vida de Lotte em um inferno.
Quando terminou os estudos, Lotte saiu de casa e foi viver sua vida, mas mesmo longe da mãe, ela ainda teve que passar por muitas dificuldades.
Depois de um tempo, ela teve a oportunidade de trabalhar como cabeleireira em um navio de cruzeiro. No cruzeiro, ela se tornou amiga de Dale e Scott, mas algo muito terrível aconteceu a ela, algo difícil de superar, Lotte se sentia frágil, desprotegida, carente. Foi quando o casal Horward e Fern entraram em cena, eles eram viajantes no navio. Mas será que eles queriam ajudá-la de verdade? Até que ponto devemos confiar nas boas intenções de alguém?
Sem dúvida, Lotte viveu coisas que muitas pessoas não conseguiriam suportar, mas ao longo da história, apesar de demosntrar ser fisicamente uma pessoa frágil, Lotte se revelou uma mulher muito forte.
Em um dos gandes traumas que viveu, Lotte acaba perdendo a memória, e agora ela não sabia quem seriam seus inimigos, quem seria o responsável por tantas tragédias na vida de Lotte.
Será que o detetive Bryan será capaz de resolver esse mistério?
Será que David, o rapaz que a encontra desacordada na praia, será capaz de ajudá-la a superar seus traumas e levar uma vida normal?
Será que Lotte conseguirá perdoar seus pais?
Será que ela conseguirá esquecer tudo o que lhe aconteceu e viver feliz ao lado de um grande amor?
A vida de Lotte é cheia de problemas e mistérios... Mas do mesmo modo que muitas pessoas tentam lhe fazer mal, ela sabe que tem grandes amigos, como Simon e Adam, com quem ela pode contar. Será que seus amigos serão capazes de mantê-la longe do perigo?
Descubra.


FICHA TÉCNICA
Autores: Lesley Pearse
Título: Roubada
ISBN: 9788563219367
Selo: NOVO CONCEITO
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 388
Preço Sugerido: R$ 29.90
Área Principal: GERAL
Assuntos: FICÇÃO
 

Resenha do livro Não Sou Este Tipo de Garota

5 de agosto de 2011

O livro Não Sou Este Tipo de Garota da escritora Siobhan Vivian é mais um grande lançamento da Editora Novo Conceito, que agora está com mais um selo – Editora Novo Conceito Jovem.
Amei o livro, amei a maneira como a autora nos fez ver tudo o que acontece no período escolar dentro da visão de uma adolescente.
Natalie Sterling é uma jovem exemplar que está em seu último ano no colégio, e está vivendo muitos desafios para que esse ano seja brilhante e lhe garanta boas referências para ingressar em uma boa faculdade.
Natalie era uma garota do tipo “certinha”, super dedicada aos estudos  e não era do tipo que curtia festas, como seus demais colegas da Academia Ross. Vivia muito bem com a companhia de sua amiga Autumn, tinha sua vida sob controle e estava (pelo menos aparentemente) feliz. Até que certas coisas começam a acontecer e ela vai descobrindo realmente que tipo de garota gostaria de ser...
Que tipo de garota devemos ser? Tímidas, extrovertidas, recatadas, ousadas, aventureiras... A adolescência é um período marcado por essas descobertas.
O último ano de Natalie na escola foi o período em que ela se viu obrigada a tomar decisões, a rever seus conceitos e a se permitir viver!
O livro relata experiências como amizade, mágoas, perdão, e claro... a paixão.
Connor Hughes foi o garoto que fez Natalie rever seus valores e repensar se valeria a pena ou não viver a aventura de se apaixonar pelo cara (aparentemente errado) ou continuar com sua vida regrada, sem riscos, e sem ser o alvo de julgamentos dos demais colegas da escola.
Não Sou Este Tipo de Garota é um livro muito divertido. A leitura é prazerosa até mesmo para quem já passou por essa fase da vida. Vale a pena dar uma conferida!

Paciência - Lenine

1 de agosto de 2011



Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Finjo ter paciência
E o mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara (a vida não para não... a vida é tão rara)