Impressões sobre o livro A Menina da Neve - Eowyn Ivey

30 de setembro de 2015





A Editora Novo Conceito disponibilizou os três primeiros capítulos do livro A Menina da Neve. A história parece ser bem interessante. Logo no início conhecemos Mabel. Uma mulher que está sentindo uma solidão imensa e até pensa em tirar a própria a vida. O esposo dela, Jack, parece ser um homem distante, calado, pelo menos com ela. Até onde li, o diálogo entre eles estava escasso. Mabel até tenta fazer com que o esposo a note. Mas Jack parece alheio aos sentimentos dela. Por vezes Mabel tem até dúvida se ele a ouve. 

O casal vive isolado (por escolha) numa cabana no meio do nada. Apenas Jack costuma ir à cidade e interage um pouco mais com as pessoas. A situação financeira dos dois não está na melhor fase, e Mabel ajuda o marido fazendo tortas para vender. 

Mabel é um pouco refinada para a vida do campo. A família de Jack a considera frágil, sem garra, e talvez para fugir desses julgamentos e da solidão por não poder ter filhos, Mabel e Jack se afastaram de todos. 

É um castigo ler apenas os três primeiros capítulos, pois o quarto capítulo parece ser muito bom, onde as coisas parecem que vão começar a mudar na vida de Mabel. Mas vou ter que aguardar a oportunidade de ter o livro inteirinho para ler. Até lá, vocês terão que aguardar as novidades!

Vamos conhecer a sinopse?

Alasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos.

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

18 de setembro de 2015

Nunca havia lido um livro onde houvesse um personagem suicida. Isso até parece meio sinistro, mas Michelle Falkoff torna a história mais amena, principalmente por Sam, o melhor amigo de Hayden. O garoto é tão meigo que faz com que esse tema "suicídio" se torne menos "pesado".

Foi Sam quem encontrou Hayden morto. Não gosto nem de imaginar! Ainda bem que a autora nos poupou de alguns detalhes.

Hayden era vítima de bullying na escola. O seu próprio irmão, Ryan, e os amigos deles infernizavam a vida de Hayden. Sam, por seu melhor e único amigo, acabava sofrendo um pouco com isso também.

Então houve uma festa. Sam e Hayden nunca participavam das festas organizadas por alunos da escola. Mas dessa, por um motivo que Sam desconhecia, Hayden queria participar. Houve uma confusão, Hayden foi para casa e cometeu suicídio.

O livro não conta logo de cara o que aconteceu. Fragmentos do que ocorreu na festa são relatados por Sam no decorrer da história.

O que Sam descobre é que mesmo sendo o único amigo de Hayden não sabia todos os segredos dele. Aliás, Sam nem sabia que o amigo possuía segredos. A única coisa que Hayden deixou para Sam foi um bilhete que pedia para ele ouvir uma playlist onde ele entenderia...  Na verdade, essa seleção de músicas não facilitou muito as coisas para Sam. Ele teve que contar com outros personagens como Astrid, Eric, Jess e outros amigos para ir entendendo, aos poucos, o que se passava pela mente do Hayden para desistir de tudo.

Bullying é um assunto muito debatido nas escolas atualmente. O suicídio de alguns jovens que são vítimas desse abuso também é algo real, portanto, A Playlist de Hayden é um livro que nos leva a refletir sobre as consequências de maltratar alguém e do que um ser humano extremamente ferido é capaz. O livro também aborda sobre a vingança, homossexualismo, preconceito, intolerância... Temas fortes, mas com um toque de sutileza que vai fazer você amar a história.

A Aposta - Vanessa Bosso






Não sei se fiquei mais apaixonada pela história ou pelo modo como a autora narra a história. Mas o que importa é que o resultado ficou maravilhoso!

Sem falar que amo esses romances que acontecem na época da escola. Deu até saudades da turma... Mas, enfim, vamos ao livro A Aposta.

Nina é uma garota durona, causa até medo em alguns garotos. Mas na verdade isso é só uma armadura que ela usa por conta de uma desilusão amorosa do passado. 

Lex é o "pegador" da escola. Lindo e com um corpo escultural o garoto não passa despercebido. 

Tudo começa a esquentar nessa turma pra lá de animada quando Gancho, melhor amigo de Lex, lança a Grande Aposta, que é fazer com que Lex beije Nina. E que desafio!

O garoto não se anima muito com a aposta, mas por causa de uma graninha que ele precisa, a chantagem de outra garota da escola, e o incentivo de gancho, Lex entra nessa aposta.

Mas Nina é uma garota esperta e logo descobre tudo. Só que ela tenta reverter o jogo e entra na aposta desafiando Lex a conquistar seu coração. Para quê, né? O garoto é perito na arte de conquistar.

Todo esse romance começa a esquentar durante a viagem de formatura. Lex não perde tempo e investe pesado em Nina. O que nós já poderíamos prever é que toda essa arte de sedução acabaria mexendo com os dois, não?

Só que muitas coisas aconteceram para prejudicar a vida dos dois. Apostas, ciúmes, desentendimentos, vingança... Tudo isso faz parte da história e será os dois jovens estão tão apaixonados a ponto de enfrentar tantas coisas? Será que Nina pode confiar em Lex com todo esse jogo de apostas? 

Leia A Aposta e divirta-se com personagens pra lá de fofos e uma história que vai lhe deixar encantado!

Mentiras que Confortam - Randy Susan Meyers

17 de setembro de 2015

Mentiras que Confortam é um livro que fala sobre traição, amor, compaixão, perdão, família, adoção, maternidade... Enfim, dá para se encaixar em algum lugar da história. :-)

Três famílias e uma criança envolvendo as três. Explico:

Nathan é casado com Juliette. Eles vivem felizes e construíram uma bela família. Mas por razões que nem o próprio Nathan conseguiu explicar, ele traiu a esposa.

Tia foi amante de Nathan durante um ano, mas quando ela disse a Nathan que estava grávida, ele pediu que Tia "resolvesse" o problema e sumiu da vida dela. Tia não teve coragem de fazer um aborto, mas, quando a menina nasceu, ela deu a filha para adoção.

Caroline e Peter adotam a pequena Savannah. Só que Caroline faz isso apenas para agradar ao marido, pois na verdade ela não tem muita vocação para a maternidade.

Então este é o dilema: Juliette sabia da traição do marido, mas não sabia que ele havia tido uma filha com Tia. Cinco anos depois, quando ela descobre da existência da menina, é como reviver a traição. Ainda mais sabendo que ele e Tia teriam uma ligação para o resto de suas vidas.

Tia fica arrasada ao saber que terá que cuidar de tudo sozinha. Ela tinha esperanças que Nathan abandonasse a família para ficar com ela. Por acreditar que não seria capaz de ser uma boa mãe solteira ela entrega a filha para adoção. Mas ao ver que Caroline é uma mãe que deixa um pouco a desejar, se arrepende da decisão que tomou cinco anos atrás.

Caroline até se esforça para manter a família em ordem. Mas ela é muito dedicada ao trabalho e não tem muita vocação para a maternidade. A consciência de que não é uma boa mãe a sufoca. Peter não consegue compreendê-la e o casamento deles fica um pouco comprometido. 

O que essas mulheres têm em comum? Além da ligação com Savannah, as três tomaram decisões (erradas ou não) por causa do amor. 

Não cabe a nós, leitores, julgá-las. As três mulheres passaram por desafios, precisaram ser fortes, assumir responsabilidades e tomar decisões de acordo com as circunstâncias. Pois as decisões que tomamos sempre trazem as consequências e devemos estar preparados para tudo, principalmente para as surpresas desagradáveis.

Gostei da história (apesar de ficar bem irritada com o Nathan) e recomendo a leitura do livro. Podemos aprender um pouco com a história delas.   

172 horas na lua - Johan Harstad

15 de setembro de 2015



Primeira vez que leio um livro sobre missões espaciais. O tema não me agradava muito. No entanto, posso dizer que a experiência foi boa. Fiquei um pouco assustada no decorrer da história, mas valeu a pena. A imaginação fluiu lendo esse livro.

Sinopse

O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez.

Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 - um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano.

Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviado mais ninguém para a Lua.

Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer...

Prepara-se para a contagem regressiva. 

Os três adolescentes sorteados para ir à Lua tinham sonhos e objetivos a serem alcançados após o retorno.
Mia tinha uma banda e desejava ser reconhecida pelo seu trabalho. Queria que as portas se abrissem para ela e suas amigas. No início a garota não ficou nada contente por seus pais a terem inscrito no sorteio. Mas depois suas amigas a incentivaram a ir, uma vez que, indo à Lua, ela já seria uma pessoa famosa.

Antoine é um garoto meigo. Ele estava de coração partido após sua namorada ter lhe dado um fora. A Lua parecia um local ideal para ficar beeeeem longe do seu grande amor.

Midore queria fugir da cultura rígida de seu país (Japão). Ela sonhava em morar nos Estados Unidos e ter uma vida independente. A viagem à Lua iria lhe dar a chance de poder viajar para qualquer lugar depois.

O que esses adolescentes não faziam ideia é que essa viagem ia ser completamente diferente do que imaginavam. Quando chegam lá, imprevistos acontecem. A tripulação que parecia estar com tudo sob controle se dispersa e os que restam parecem não estar preparados para os tais imprevistos. 

Tudo foge do controle, eles perdem o contato com a Terra, a NASA os considera mortos e eles têm que resolver seus problemas e conseguirem voltar para casa por conta própria.

No início do livro a leitura é um pouco cansativa, mas nas vésperas da viagem, coisas estranhas começam a acontecer e tudo vira o maior suspense.

É um livro que você não consegue prever o que poderá acontecer, quem vai morrer, quem vai sobreviver e o final é surpreendente. 172 horas na lua é um livro que você vai prender total a sua atenção. Recomendo. Você não vai se arrepender!

Mais informações sobre o livro no site da Editora Novo Conceito.