Resenha do livro O Demonologista

29 de agosto de 2015



    
Não sou do tipo de leitor que compra o livro pela capa, mas com esse foi diferente, O Demonologista de Andrew Pyper me instigou de uma tal forma que tive de comprá-lo.

O livro tem a capa dura com detalhes como arranhões, amassados e algumas falhas, dessa maneira temos a impressão de ser algo antigo e velho, seu interior também é muito bem trabalhado com algumas ilustrações bem interessantes. Sem contar a fitinha marca página que facilita muito a não nos perdermos.

David Ullman é o personagem principal dessa história, ateu, professor na Universidade de Columbia e especialista em Mitologia, onde também é conhecido por ter feito um estudo crítico e aprofundado sobre a obra de John Milton (Paraíso Perdido).

Sua vida pessoal não vai nada bem após descobrir que está sendo traído, tornando sua vida uma rotina chata.

As coisas começam a mudar quando recebe um convite de uma mulher misteriosa para ir a Veneza resolver um caso, mas a princípio é só um convite, os detalhes desse caso não são explicados e nenhuma informação lhe é dada.

Essa mulher o procura como Demonologista, mas David só se considera um pesquisador, nada mais.

David por um tempo não aceita o convite, mas vai mudando de ideia por ter um alto valor a receber pelo “trabalho”, como a hospedagem e passagens pagas, poderia levar toda família.

Após um conflito familiar grande, Ullman decide de última hora aceitar o convite, com ele leva sua filha de 12 anos, vendo assim uma grande oportunidade de esquecer os problemas e aproximar-se mais de sua filha.

Em Veneza David e sua filha passam algum tempo juntos aproveitando ao máximo os pontos turísticos, conhecendo e vivenciando um pouco da história.

Com o endereço em mãos, Ullman vai até o local do suposto trabalho, lá ele presencia um evento sobrenatural, o que mexe um pouco com sua cabeça, deixando-o confuso por não acreditar em nada sobrenatural e, ao mesmo tempo, ele fica em dúvida por ter presenciado tal evento.

Nesse tempo sua filha cai do terraço do hotel em um dos canais de Veneza, o que torna mais difícil localizar o corpo. David Ullman começa uma busca pelo corpo de sua filha, mas as autoridades não encontram o corpo e ela é dada como morta.

Sua fé é posta à prova quando começa a receber mensagens subliminares na obra de Milton, onde tem indícios de que sua filha possa estar viva. A busca para salvar sua filha do inferno começa e David não vai desistir enquanto não encontrá-la.

O inferno realmente existe? Demônios estão ao nosso redor? O mal está lá fora, ou está dentro de cada um de nós?

Leia o livro e tire suas conclusões.




Resenha do livro The Walking Dead II – O Caminho Para Woodbury

17 de agosto de 2015
Por: Wellington Purcino


Sabe aquela sequência que esperamos depois de ler um bom livro? Aquela que torcemos para ter outros muitos pela frente e logo? Assim foi e é para quem leu The Walking Dead I – A Ascensão do Governador. Para alguns, mais uma oportunidade de dar uma chance para a série por não ter gostado do primeiro livro, para outros a emoção de continuar acompanhando seus personagens em um mundo pós-apocalíptico em The Walking Dead II – O Caminho Para Woodbury.

Nesta sequência conhecemos novos personagens como Lily Caul que sofre de uma ansiedade muito forte e uma instabilidade emocional mais forte ainda. Essas duas combinações no mundo normal já não são muito boas, imagine com o mundo destruído pelos zumbis e tendo que lutar cada segundo para sobreviver mais um dia. É uma combinação explosiva!

Lily Caul faz parte de um grupo de sobreviventes até que pisa na bola feio quando os zumbis invadem o acampamento, Chad Bingham fica irritadíssimo com ela e quer vingança de qualquer jeito.

Josh Lee Hamilton que é apaixonado por Lily briga com Chad para protegê-la. Claro que poderia ficar pior, os dois são expulsos do grupo e vão embora, mas não partem sozinhos, alguns membros juntam-se a eles, pois sabem que o grupo já não está mais unido e aumenta o risco de ataques dos zumbis e dos próprios sobreviventes.

Eles então partem sem rumo e algum tempo depois chegam a Woodbury. A princípio a maioria fica tranquila por ter encontrado o Paraíso, a minoria fica com um pé atrás e nunca fica desatenta.

Aos poucos o grupo que chegou em Woodbury vai descobrindo quem realmente é o Governador, aquele homem que parecia ser a pessoa certa para cuidar daquela sociedade se mostra totalmente perverso, manipulativo e psicopata.

Em um lugar onde erros não são permitidos, todos os que erram pagam de alguma forma, e para o Governador a forma correta de corrigir esse erro é criar uma arena onde os culpados lutam entre si, e somente o sobrevivente é perdoado.

Nessa sequência o personagem do Governador é odiado cada vez mais por muitos e amados por outros, será a forma certa de lidar com a “sua” sociedade? Ou é apenas uma forma de saciar sua vontade por vingança?

Leia, decida e avalie sua opinião sobre o Governador.


Sinopse


Há alguns meses que Philip Blake, o temido e ao mesmo tempo adorado Governador, organizou Woodbury para que a cidade murada fosse um local seguro no qual as pessoas pudessem viver em paz em meio ao apocalipse zumbi.

E paz e segurança é tudo que Lilly Caul, que tenta desesperadamente sobreviver a cada dia que nasce, quer. Porém, mal sabe ela que seguir em direção a Woodbury é estar a um passo do perigo. Uma horda de errantes famintos não é nada perto do que se pode encontrar por lá.














Ligeiramente casados

15 de agosto de 2015



Pesquisando por aí encontrei esse livro e logo me interessei pela história. Parece ser um bom romance. Aceito de presente, ok? Haha.

Vamos conhecer a sinopse

Ligeiramente Casados - À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.

Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.

Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.

Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
 

Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.

Só por hoje e para sempre

12 de agosto de 2015

Passando por aí me deparei com este livro e fiquei curiosa. Não fui uma grande fã da Legião Urbana (aliás, não sou fã de ninguém), mas ouvia suas músicas na adolescência. E algumas escuto até hoje.

Renato sempre me pareceu ser alguém muito inteligente, por isso tenho uma curiosidade para saber mais sobre seus pensamentos. Mas há quem diga que esse livro decepciona um pouco, pois não tem nada de especial, nada que uma pessoa que acompanhava o sucesso da banda e um pouco da vida do Renato não soubesse. 

Bom, eu acrescento esse livro na minha lista de desejados. E você? Já leu?

Vamos dar uma verificada na sinopse:

Só Por Hoje e Para Sempre - Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante esse período, o músico seguiu com total dedicação os Doze Passos, programa criado pelos fundadores dos Alcoólicos Anônimos, que incluía um diário e outros exercícios de escrita. É este material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos em Só por hoje e para sempre, graças ao desejo de Renato de ter sua obra publicada postumamente. Entremeando as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação.

Resenha do livro The Walking Dead – A Ascensão do Governador

10 de agosto de 2015
Escrito por Wellington Purcino
 


Sou fã de grandes histórias, aquelas em que as reviravoltas entram sem ao menos esperarmos, daquele jeito que nos surpreende e nos faz dizer “não!” ou “por quê?”. Muitos dos livros de terror têm essa reviravolta, mas nenhum deles teve uma mudança tão boa quanto a do livro The Walking Dead – A Ascensão do Governador.

Escrito por Robert Kirkman e Jay Bonansinga, Kirkman é conhecido também pelos quadrinhos The Walking Dead e é produtor executivo da Série The Walking Dead.

No Livro I, A Ascensão do Governador vemos a história sobre o maior vilão da série, O Governador. Todos podem pensar que em um mundo pós-apocalíptico não há mais amor. Caridade, perdão não tem vez nesse novo mundo, em partes podem estar certos, mas o dom da humanidade ainda prevalece até o último fio de esperança.

Nesse ponto avaliamos os personagens e suas reações e nos colocamos no lugar deles, se fosse você o que faria? Claro que por ser uma ficção nossas mentes viajam na mesma velocidade em que lemos cada linha, talvez façamos diferente ou, talvez façamos igual, esse é o maravilhoso mundo da leitura.

Seguimos desde a primeira página acompanhando Phillip Blake, sua filha Penny, seu irmão mais velho Brian Blake e mais dois amigos na luta pela sobrevivência do apocalipse zumbi. É uma luta frenética que se arrasta do início ao fim. Os irmãos Blake têm ideias bem distintas sobre como agir para sobreviver, Phillip faz de tudo para sobreviver e Brian evita chegar ao extremo com os zumbis, ele ainda acredita na humanidade de cada um e que essa praga possa ser revertida, sem contar que é muito medroso e se assusta fácil.

O grupo de sobreviventes parte da cidade onde estão rumo à Atlanta onde foi divulgado pelos meios de comunicação que haveria um centro de refugiados seguro contra os zumbis. Nesse percurso a luta é para encontrar mantimentos, combustível e um lugar seguro para ficar a cada dia.

Chegando em Atlanta se deparam com uma visão bem diferente daquilo que esperavam, não há um centro de refugiados, não há nada de seguro lá. O grupo fica encurralado na cidade e é salvo por April. Eles são levados para um prédio onde estão o irmão de April e seu pai.

Todos ficam bem por um tempo no apartamento até Phillip fazer uma bobagem imensa, então são expulsos e começa tudo novamente, a luta diária por mantimentos e um lugar seguro para ficar.

Nesse percurso o grupo encontra uma casa bem escondida, um lugar ideal para permanecer um tempo, é aí onde tudo que pode dar errado dá.

Todos que assistem a série sabe que a Penny morre, mas ninguém imagina a forma que aconteceu. Nessa casa que era segura descobrimos como ela morre, de uma forma cruel (leia o livro para descobrir), e o mundo dos Blake começa a desmoronar mais ainda.

Philip que era um homem duro começa a enlouquecer, toda a humanidade que havia em seu coração vai desaparecendo cada dia mais, sua filha é um zumbi e a coragem de matá-la nunca vem, dessa forma ele acorrenta Penny e a leva para todos os lugares como se nada tivesse acontecido. Sua humanidade desaparece quando tem que alimentar sua filha, fazendo muita maldade para que Penny possa sobreviver.

Novamente na estrada o grupo chega a Woodbury, lugar onde Philip Blake se torna governador. Muita coisa acontece e a reviravolta final é surpreendente.

Em Woodbury descobrimos como o Monstro do Governador aparece, entendemos os motivos que levaram Philip ser um homem completamente dissimulado e mal.

Para aqueles que acham que conhecem o Governador afirmo: vocês não conhecem. Somente quem leu ou ler The Walking Dead – A Ascensão do Governador descobrirá a verdade. 
 
 
Sinopse
 
A Ascensão do Governador - No universo de The Walking Dead não existe vilão maior do que o Governador, o déspota que comanda a cidade de Woodbury. Eleito pela revista americana Wizard como "Vilão do ano", ele é o personagem mais controvertido em um mundo dominado por mortos-vivos.

Neste romance os fãs irão descobrir como ele se tornou esse homem e qual a origem de suas atitudes extremas. Para isso, é preciso conhecer a história de Phillip Blake, sua filha Penny e seu irmão Brian que, com outros dois amigos, irão cruzar cidades desoladas pelo apocalipse zumbi em busca da salvação.

Originalmente, The Walking Dead é uma série de quadrinhos publicada desde 2003 e vencedora do Eisner Award.
Em 2010, os quadrinhos foram adaptados para o seriado homônimo The Walking Dead já bateu diversos recordes de audiência nos Estados Unidos e foi finalista em várias categorias no 68º Golden Globe Awards, incluindo Melhor Série Dramática de TV.

Editora: Galera Record

Resenha do livro Tocando as Estrelas

7 de agosto de 2015

Sabe aquele livro com uma história superfofinha e que você devora rapidão? Rebecca Serle conseguiu encantar os leitores com seu romance de estreia.

O livro fala sobre uma garota de 17 anos, Paige Townsen, que sonha em ser atriz. Ela mora em Portland, estuda no ensino médio e passa os dias estudando, trabalhando ou curtindo com seus melhores amigos Jake e Cassandra.

Cassandra é o tipo de garota que vive antenada no mundo das celebridades. É ela quem fala para Paige sobre Locked - a trilogia do momento. Somente os dois primeiros livros haviam sido lançados e o primeiro livro seria adaptado para o cinema. 

Os testes para o elenco iriam acontecer em Portland, o que era uma boa oportunidade para Paige, já que seus pais não permitiam que ela viajasse para outros lugares, pois não a incentivavam muito em sua carreira de atriz.

Mesmo um pouco descrente Paige se inscreveu para o papel de protagonista - August. E, para a surpresa de todos, ela conseguiu o papel.

De uma garota normal Paige se torna uma estrela do cinema contracenando com dois supergalãs famosos. 

Paige vai absorvendo aos poucos o seu novo mundo. Como neste primeiro livro eles estão apenas gravando cenas do filme, ela ainda não está completamente famosa. Muitas coisas começam a mudar para Paige, mas o que ela não esperava era que assim como sua personagem estava dividida entre o amor de dois rapazes, ela também se envolveria com os dois autores: Rainer - o galã "bonzinho" que a apoia em tudo, acredita no potencial dela, a estimula, etc. e Jordan - o bad boy misterioso que faz o coração de Paige bater mais forte.

Já comentei várias vezes que amo ler esses romances para adolescentes. É um momento de deixar a vida leve, rir um pouco, descontrair... O livro contém 222 páginas que você lê num piscar de olhos.

O livro também aborda sobre a amizade. Com tantas mudanças na vida de Paige ela se afasta um pouco de seus melhores amigos. Mas quando a amizade é verdadeira sempre há um meio dela prevalecer.

Tocando as Estrelas foi publicado pela Editora Novo Conceito. Vale a pena conferir.

Resenha do livro A Lista

1 de agosto de 2015


Apesar de já ter sido surpreendida por muitos temas bons, sempre fico bem feliz quando mais um livro me surpreende. A Lista para mim começou com uma leitura cansativa, sem um conteúdo interessante a ponto de prender você na leitura. Felizmente, aos poucos, a história começa a lhe prender. E lá para o final do livro você já está encantado a ponto de cair de amores pela história e seus personagens.

Kitty Logan é uma jornalista que se envolve numa grande enrascada. Ela tinha conseguido o emprego de seus sonhos e tudo o que mais queria era se destacar, abrilhantar mais sua carreira e, para isso,publicou uma reportagem que denunciava um professor por abuso sexual contra uma ex-aluna. O que Kitty não esperava é que a verdadeira história não ocorreu bem da forma como ela publicou. E ter se precipitado sem ao menos confirmar a veracidade da história trouxe graves consequências para Kitty.

Kitty também trabalhava para uma revista onde a editora, Constance, era sua melhor amiga. Constance morre de câncer, mas, antes de morrer confessa a Kitty seu desejo de publicar uma última matéria. Constance não tem tempo de revelar a Kitty o que seria essa matéria. Ela deixa para a amiga apenas uma lista com cem nomes de pessoas que Kitty jamais ouvira falar na vida. 

Durante a maior parte do livro Kitty se desdobra para encontrar essas pessoas e descobrir do que se trata a matéria. Ela acredita que essa é a oportunidade de ajudá-la a melhorar sua reputação como jornalista e Kitty se agarra a essa chance como se fosse a sua última oportunidade.

O livro A Lista nos ajuda a refletir sobre os erros que cometemos, ou podemos cometer ao tentarmos sermos bem-sucedidos profissionalmente. Sabe aquela famosa frase "suba na vida, mas não faça dos outros um degrau"? É por aí.

Mas a vida sempre nos dá uma chance. Uma oportunidade para reconhecer os erros e tentar consertá-los. Se não for possível restituir plenamente, ao menos vamos aprender a não cometer os mesmos erros e a buscar o perdão. Se não for mais possível reverter a situação à pessoa a quem prejudicamos, que façamos o bem a outras pessoas.

Personagens relevantes

Bob e Constance - Casal proprietário da revista Etcetera e amigos de Kitty.

Steve - Melhor amigo de Kitty e o único que tem a coragem de lhe dizer algumas verdades. É do tipo que olha nos olhos e diz o que pensa. Mesmo que para isso tenha que ser um pouco duro.

Pete - Editor-chefe da Etcetera e que alguma vezes tira Kitty do sério.

Colin Maguire - Professor vítima da acusação de Kitty.

Ambrose Nolan, Eva Wu, Archie Hamilton, Jedrek Vysotski, Bridget Murphy e Mary-Rose Godfrey - Pessoas que estavam na lista e que abrilhantaram o livro com suas histórias e atitudes diárias.

Conheça mais livros da Cecelia Ahern

O Presente