27 de abril de 2017

Resenha do livro Tsara - Ir até o fim do mundo e depois voltar



O livro Tsara - Ir até o fim do mundo e depois voltar traz como temática a cultura cigana. Trata-se de um romance onde a autora, Michelle Louise Paranhos, mescla a história da personagem Mariana com informações esclarecedoras a respeito do povo cigano.

Mariana é uma mulher bem-sucedida profissionalmente, personalidade forte e 100% dedicada ao seu trabalho. Ela perdeu a mãe, que saiu de casa após uma briga séria com o esposo, em um acidente de carro. O médico que as socorreu, acabou adotando Mariana. No entanto, o relacionamento entre eles não era muito próximo. Pablo cuidou que Mariana tivesse tudo o que precisava, materialmente falando, mas não criou com a menina laços afetivos. Isso fez com que Mariana se tornasse a mulher independente que se tornou.

A vida de Mariana começa a sair dos eixos quando ela tem uma visão e é transportada para um acampamento cigano. Lá ela conhece pessoas que nunca tinha visto, mas que parecem saber muito sobre ela. A Mariana é dada uma missão que ela, sozinha, terá que descobrir. 

A história se passa em paralelo entre a vida habitual de Mariana e os momentos em que ela é transportada ao mundo cigano, onde aprende sobre suas origens (a mãe dela era cigana) e seus costumes.

Como todo bom romance, há uma história de amor envolvente e Mariana terá que fazer escolhas difíceis onde envolve seguir seu coração e a razão.

Os personagens secundários foram bem trabalhados e o decorrer da história é repleto de surpresas, pois mostra que cada personagem tem um papel importante na busca de Mariana pela verdade que a cerca. 

Tsara - Ir até o fim do mundo e depois voltar é um livro que recomendo. A autora fez uma rica pesquisa e aborda de forma clara uma cultura pouco conhecida e mal compreendida como a cultura cigana. 


24 de abril de 2017

Quero ler! Richard Matheson


Participo de vários grupos de leitura e a cada dia recebo inúmeras sugestões de livros. Quem dera pudesse ler tudo! Mas seria preciso uma vida e meia.

Hoje me recomendaram Outros Reinos, de Richard Matheson. Eu não reconheci o autor pelo nome e fui pesquisar mais algumas obras dele. E, para minha surpresa... Superconhecido. Eu conhecia o trabalho dele através dos filmes, e nem sabia que tinha os livros. 

Vou apresentar vocês a alguns livros dele:




Robert Neville é o último homem vivo sobre a Terra... mas ele não está sozinho. Cada outro homem, mulher e criança na Terra se tornou um vampiro, e todos estão famintos pelo sangue de Neville. De dia, ele é o caçador, caçando os não mortos adormecidos através das ruínas abandonadas da civilização. À noite, se entrincheira em sua casa e reza pela madrugada.

Quanto pode um homem sobreviver num mundo de vampiros?


Lembra do filme? 

Richard Collier é um jovem teatrólogo do século XX que se apaixona obsessivamente por uma fotografia de Elise McKenna, atriz de sucesso que viveu no século XIX, em Chicago. Richard fica tão encantado com a imagem de Elise que decide fazer uma pesquisa sobre a vida da artista, e descobre que eles têm muitas afinidades. Numa tentativa de se desligar do presente para viver essa paixão intensa, ele se submete a uma auto-hipnose que o transporta no tempo. Mas há um elemento-surpresa na regressão ao passado - Richard tem de enfrentar o empresário ciumento da atriz, William Fawcett.




Centímetro por centímetro, dia a dia, Scott continua encolhendo sem parar. Sua esposa e família são agora gigantes inalcançáveis, o gato da casa, uma terrível ameaça; Scott precisa lutar pela sobrevivência em um mundo que se torna cada vez maior e mais perigoso – até se defrontar com o paroxismo do medo no limiar da não existência.

Inclui o romance completo e nove dos contos mais memoráveis de Richard Matheson.





Chris é casado com Annie: formam um casal apaixonado. A felicidade dos dois se desvanece quando Chris sofre um acidente fatal. No Além, Chris é amparado e empenha-se em ajudar seu grande amor. Annie, em desespero, pretende dar fim à própria vida... Conheça a história completa de Annie e Chris e viva emoções ainda mais intensas! Descubra, entre dois mundos, a incrível força do amor para a qual não existem barreiras. 






1982. Famoso por sua série Meia-noite, o escritor Alex White, que adotou o nome Andrew Black, decide narrar uma experiência que beirou o surreal e aconteceu há 64 anos. Uma história que ocorreu quando ele ainda era jovem, é a mais pura verdade (por incrível que pareça) e mudou sua vida.

1918. Aos 18 anos, Alex White, jovem soldado norte-americano, é ferido nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial. Em vez de voltar para os Estados Unidos, ele se muda para Gatford, na Inglaterra, tentando escapar de seu pai e de seu passado. A bucólica aldeia inglesa parece o lugar ideal para que sua alma e seu corpo fechem as cicatrizes de guerra. Mas dizem que as florestas ao redor da cidade são habitadas por espíritos levianos e até malévolos – isso deve ser história da carochinha.

Não é mesmo?

Alex conhece Magda Variel, uma viúva ruiva e atraente que, segundo rumores, é bruxa. Ela o alerta a se manter afastado da floresta e do perigoso reino encantado que o cerca, mas Alex se mostra cético quanto a tudo o que ela e seus poucos amigos lhe dizem, e não consegue evitar o local. Afogado em tantos mistérios, ele encontra o amor e o perigo... além de maravilhas que mudarão para sempre sua forma de ver o mundo.


E você? Já leu algum desses livros?

17 de abril de 2017

O amor está nas coisas simples




Reuni alguns textos que escrevi em um antigo blog e decidi publicá-lo. São textos espirituais com o objetivo de nos fazer refletir sobre o mundo e sobre nós mesmos.

Este livro traz pequenas reflexões sobre situações do dia a dia. São temas relacionados à espiritualidade. São observações feitas com o intuito de aumentar a nossa fé, compreendermos nosso papel como filhos de Deus, expandirmos o nosso amor ao próximo, a Deus e a nós mesmos.

Aqui está um pequeno trecho:

"Se exercermos nossa fé, perceberemos os milagres que acontecem a cada dia em nossas vidas. Se acreditarmos um pouquinho mais, Deus nos mostrará milagres maiores. Se refletirmos um pouquinho mais, perceberemos o grande amor que Ele tem por nós. Individualmente.

Então, não importa o quanto o mundo o rejeite e o faça se sentir ignorado. Não importa se as pessoas não reconheçam o que você faz, o grande potencial que existe em você. Deus o ama. Individualmente. Ele o observa todos os dias, e o vê, e conhece você. Individualmente. Ele vê seus esforços diários, suas lutas, suas preocupações. Ele vê cada problema seu, cada aflição. E ele sempre nos dá as soluções. Através de nós mesmos, através de outras pessoas, de uma forma ou de outra, Ele nos dá o Seu auxílio. Ele cuida de nós. Individualmente.

Somos seus filhos, os filhos amados de Deus.

“Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; por que não o conhece a ele”. (I Jo. 3:1)."

O livro está à venda apenas na Amazon

15 de abril de 2017

Resenha do livro Anjo Mecânico



Eu estava com uma enorme saudade do mundo dos Caçadores de Sombras. Por isso, deixei algumas leituras de lado, para me aventurar nesse universo sombrio e ao mesmo tempo angelical desses corajosos guerreiros. 

Fiquei surpresa pelo início do livro ser chato. Não pensei que fosse achar, mas achei. E fiquei surpresa porque li várias resenhas falando que essa série era melhor que Os Instrumentos Mortais. Só que Os Instrumentos Mortais me prendeu desde o início, e o mesmo não aconteceu com esse livro. 

Arrastei a leitura por algumas semanas, mas, quando cheguei ao finalzinho, viciei. Ainda bem! Agora estou louca para ler os demais livros.

Anjo Mecânico é o primeiro livro da trilogia As Peças Infernais. Ele conta a história de Tessa, uma órfã que tinha acabado de perder a tia com quem morava, e, por conta disso, foi para Londres viver com seu irmão. No entanto, ao chegar em Londres, nem chegou a encontrar o irmão, foi logo raptada por duas feiticeiras que tinham a enganado fazendo Tessa acreditar que elas haviam sido enviadas pelo irmão.

Tessa possuía um "dom" especial, e por isso as irmãs e mais um líder conhecido como "Magistrado" tinham muito interesse nela. Tessa não sabia que possuía esse dom. Para ela foi uma surpresa descobrir que não era uma pessoa normal, muito menos descobrir que o mundo a sua volta também não era tão normal assim.

Depois de um tempo ela foi resgatada e levada ao Instituto. Lá, conheceu os Caçadores de Sombras que integravam o Instituto de Londres. 

Will Herondale foi o caçador de sombras que fez o coração de Tessa saltitar, mas o garoto era bem bipolar: a gentileza e a grosseria o caracterizavam. Tessa não sabia o que esperar dele, pois às vezes ele a deixava se aproximar, mas, na maioria das vezes a afastava tornando impossível qualquer envolvimento afetuoso entre eles.

James (Jem) é o menino bonzinho da história. Meigo, gentil, cativante, ele logo se interessou por Tessa. Mas, com o jeitinho discreto dele, ela nem percebeu ainda (deixa essa parte para o segundo livro). Jem possui uma "fraqueza" que nos deixa com o coração partido. É o típico menino frágil que queremos proteger.

Os outros personagens são bem importantes. Valeria a pena falar sobre cada um deles. Mas vou deixar para a resenha do próximo livro para essa aqui não ficar tão grande. :-)

Se você se interessou pelo universo dos Caçadores de Sombras, deixo, neste link, um post que tem uma relação dos livros da série Os Instrumentos Mortais.

3 de abril de 2017

Resenha do livro A chama dentro de nós


Conheci a escritora Brittainy C. Cherry através do livro Sr. Daniels. Amei tanto esse livro que não demorei muito em ler outro livro dela, dessa vez, O ar que ele respira. Gostei também do livro, embora tenha preferido Sr. Daniels. Então, foi com muita ansiedade que aguardei A chama dentro de nós. Embora não tenha sido o que eu esperava, e no decorrer da leitura eu tenha me decepcionado um pouco, no final, gostei da história. 

Logan é um rapaz com problemas. Filho de uma mãe viciada em drogas e de um pai traficante, que ele só foi conhecer quando tinha sete anos de idade, ele vive uma vida caótica. Logan tem poucas boas recordações da infância, pois o que predominou em sua casa foi ver a mãe se drogando, se prostituindo e apanhando do pai dele. 

Kellan é o irmão mais velho de Logan. Ele teve um pouco mais de sorte, pois o seu pai não é o mesmo pai de Logan, é um advogado bem-sucedido que deu a Kellan condições de vida bem melhores. No entanto, ele nunca se esqueceu da mãe e do irmão, sempre visitou os dois e os ajudou com alimentos e outras necessidades.

A vida de Logan ganha mais um pouco de felicidade quando ele conhece Alyssa. Ela vem de um lar completamente diferente do dele, mas é marcada pela tristeza de ter uma mãe que não a compreende e não apoia seus sonhos e um pai que a abandonou. Os dois, Logan e Alyssa, se tornam melhores amigos. E a amizade dos dois é o que há de mais fofo no livro. 

A história começa a desandar quando eles começam uma relação amorosa. Pois Logan deposita suas dores todas em Alyssa, em alguns momentos chega a ser rude e a usa como objeto sexual. E ela permite. Por amá-lo e compreendê-lo, ela permite ser usada. Dá um pouco de revolta, cheguei a não gostar da história nesses momentos, mas depois resolvi olhar a situação de uma outra forma: Nenhuma história de amor é perfeita. E todo mundo tem seus altos e baixos.

Em todos os seus livros a Brittainy C. Cherry trabalha temas polêmicos com muita sensibilidade. Nesse livro, eu demorei um pouco a me sensibilizar, mas no final valeu a pena. Apesar de não ter gostado muito de Logan e Alyssa como casal, a amizade deles foi algo belo de se ver. E o personagem Kellan também enriquece a história com seu jeito meigo e seu bom caráter.