Resenha do livro Como se Apaixonar

25 de novembro de 2015


Como se apaixonar é o quinto livro da Cecelia Ahern que leio. E a leitura foi tão incrível como nos outros livros dela. Dá para se divertir dando boas risadas com a narrativa cheia de humor de Cecelia.

Christine é uma mulher de 33 anos e com uma sorte duvidosa. Ela presencia uma tentava de suicídio e isso a deixa um pouco perturbada. Mas ao mesmo tempo que o fato de não ter conseguido fazer o rapaz desistir do suicídio a incomoda, ela resolve consertar algumas coisas em sua vida e isso inclui se divorciar de seu esposo, Barry. Inconformado por ter sido abandonado por Christine, Barry inferniza a vida dela deixando mensagens constrangedoras em seu celular e tentando deixar as amigas de Christine contra ela. Isso poderia ser mais terrível, se a autora não usasse bastante humor nessas cenas. Então a situação fica constrangedoramente engraçada. :-)

Certa noite, ao passar pela ponte Ha’penny, Christine vê outro homem tentando suicídio. Ele tentava pular da ponte. Movida pela emoção ela vai até ele e tenta salvá-lo. Dessa vez ela obtém um pouco mais de sucesso e consegue convencer Adam (esse é o nome do homem) a não pular. Porém, ele não está decidido a não tentar morrer novamente, ele apenas aceita o prazo de Christine de suas semanas para ela ajudá-lo a ver o lado bom da vida.

Não vai ser surpresa se depois de duas semanas convivendo com um cara lindo e atraente, Christine se apaixonar. Mas o problema é que ele ama sua ex-namorada e quer recuperar a relação. Além disso os problemas familiares de Adam são bem delicados. Christine assume uma responsabilidade e tanto ao decidir ajudá-lo.

Outros personagens enriquecem bastante a história, como a família de Christine. Se você acha sua família meio louca, precisa conhecer a dela!

No início não entendi bem o fascínio de Christine por ajudar Adam, mas lá no final do livro conseguimos entender e tudo faz sentido.

Amei a história, apesar do tema “suicídio” ser dramático, a história é relatada com humor. Amei ler mais um livro da Cecelia, espero poder continuar acompanhando o trabalho dela. É uma escritora que admiro o trabalho. Recomendo a leitura. 

Outros livros da Cecelia que você vai gostar de ler:

O Presente

Resenha do livro Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor - Sarah Butler

22 de novembro de 2015

Dez coisas que aprendi sobre o amor é um livro que relata a história de duas pessoas: 

Alice, uma mulher de 30 anos que tenta se encontrar. Ela costuma viajar muito e acha que se ficar longe das lembranças de sua vida em Londres, acabará encontrando mais sentido em sua vida. 

Daniel vive nas ruas. Ele é um homem que carrega a dor de uma história mal resolvida e passa a sonhar com uma vida que nunca teve, ou melhor, com uma pessoa que nunca conheceu. Viver solitariamente nas ruas não é fácil. Daniel conhece o olhar cheio de julgamentos das pessoas, mas ele é apenas um homem que não soube como agir no passado, e assim como Alice, ele encontrou um meio de fugir da sua história.

Alice sempre se sentiu um pouco estranha na família composta por ela, seu pai e suas duas irmãs. Alice é a mais nova, não conheceu a mãe como as irmãs mais velhas conheceram, por isso ela não se sente como parte da família por não ter vivido as experiências que suas irmãs viveram quando a família era composta por pai, mãe e filhas.  

O pai de Alice está morrendo de câncer e agora ela é chamada de volta a Londres para perto de seu pai e suas irmãs. Nesse momento de perda e dor, Alice se aproxima mais das irmãs e descobre algumas coisas que podem ajudá-la a entender porque se sente tão diferente das demais.

Alice e Daniel têm algo em comum: eles apreciam fazer listas escrevendo 10 coisas que os deixam felizes ou tristes, que gostam ou que não gostam, etc. Então o livro é cheio de listas do tipo: Dez coisas que eu achei que faria com a minha vida, Dez coisas que me deixam apavorado, Dez coisas sobre a casa do meu pai... É algo que ajuda a refletir.

Dez coisas que aprendi sobre o amor não entra na lista de melhores livros que eu li, a leitura é bem cansativa e não emociona. Esperei mais dessa história, mas infelizmente a autora se perdeu um pouco descrevendo coisas desnecessárias e tornando a leitura um pouco desgastante.

Resenha do livro Encontrando-me

10 de novembro de 2015

No livro Encontrando-me é a vez de contar a história de Kelsey, amiga da Bliss (Perdendo-me) e Cade (Fingindo). Dos três livros, Encontrando-me foi o que mais gostei. Embora Kelsey seja uma personagem cheia de escolhas que não aprovo, consegui entender os sentimentos dela e sei que por aí afora há garotas que vivem situações semelhantes. Vocês devem estar bem por fora de tudo o que estou falando, não é? Pois bem, esclareço:

Kelsey é uma garota de vinte e poucos anos que terminou a faculdade e resolveu viajar pela Europa sem destino certo e explorando lugares novos. Todos poderiam imaginar que ela estava vivendo uma aventura de causar inveja. Mas o que nós leitores ficamos sabendo é que na verdade Kelsey perambula de albergue em albergue, de bar em bar, encontrando pessoas novas, fazendo sexo sem compromisso, tudo para ver se consegue preencher o vazio que é sua vida e ver se descobre a verdadeira Kelsey em algum desses lugares.

As viagens não estavam tendo o efeito esperado até Kelsey encontrar Hunt, um ex-militar pra lá de sexy (pelo menos segundo ela) e todo misterioso.

Hunt se aproxima de Kelsey como um homem que tenta proteger uma mocinha em perigo. Ele não cai nas investidas de Kelsey para ficar com ele.

Gostei de Hunt por ele ter demonstrado autocontrole (característica que admiro muito) e por não ter se aproveitado de Kelsey mesmo ela deixando bem claro que queria ser "aproveitada".

Gostei mais ainda da resposta que Hunt deu a Kelsey quando ela tentava seduzi-lo:

"Vou beijá-la, princesa. Mas não agora, não com você me mandando. Não até que isso seja apenas uma coisa que você queria eliminar da sua lista. Vou beijar você quando isso for importante." p. 131

Precisa dizer mais alguma coisa?

Gostaria que alguns homens lessem mais romances para aprender um pouquinho... :-)

Mas como em toda história os personagens vivem altos e baixos, os mistérios que Hunt esconde podem não ser nada agradáveis para Kelsey. Mais um golpe que a vida tumultuada da garota lhe dá.

A aventura de Kelsey é na verdade uma descoberta não de lugares novos, mas uma descoberta dela mesma. Nessas viagens ela tem que aprender a conviver com suas dores, mágoas, seus medos e tentar descobrir que apesar de todos os fracassos, a vida dela vale a pena. 


Resenha do livro Zac e Mia

4 de novembro de 2015

Quando soube que a Editora Novo Conceito iria publicar esse romance imaginei que seria mais uma daquelas histórias onde os jovens sofrem com câncer e alguém morre no final e snif, snif, snif... Mas não! Para minha satisfação como leitora Zac e Mia é um romance superfofo que me encantou.

A história é narrada sob a perspectiva de Zac e de Mia. Zac é um personagem megacativante e minha paixão por ele foi imediata; já a Mia demorou um pouquinho para me conquistar.

Eles se conhecem no hospital. Ambos têm câncer. Zac tinha passado por um transplante de medula, estava em observação. O garoto estava bem otimista. Já Mia havia acabado de chegar ao hospital, havia descoberto o câncer recentemente e não estava nem um pouco preparada para enfrentar a situação. Como eles eram vizinhos de quarto, Zac escutava os desabafos da garota, seus gritos com a mãe e a equipe médica, seu choro ao ficar sozinha, seu desespero por tudo aquilo.

Zac, ao contrário de Mia, se dava superbem com a mãe, vivia cercado de amor por familiares e amigos e passava pela luta contra o câncer com mais tranquilidade, pois sabia que não havia muito o que fazer a não ser se submeter ao tratamento. Ele entendia que havia situações piores, níveis mais avançados que o dele e que só restava ter esperança que tudo desse certo.

Zac é o tipo de garoto que dá o melhor de si e espera o melhor dos outros. Ele fazia amizade com as enfermeiras, com os demais pacientes, enquanto Mia se fechava em seus problemas.

Quando saiu do hospital, Zac tentou manter a rotina trabalhando na fazenda de sua família e recuperando os estudos. Meio que por acaso ele e Mia se reencontram e Zac descobre que ajudar Mia é mais complicado do que parece. Mia passa por uma transformação muito dura. Ela era o tipo de pessoa acostumada a conseguir tudo através de sua beleza, e a partir do momento que sua aparência física mudou, ela teve que recuperar sua autoestima e descobrir que seu valor está além da beleza exterior.

Algumas partes do livro são um encanto. O final é mais encantador ainda. Mia descobre a força que tem e que é capaz de ajudar a si mesma e retribuir todo o apoio e todas as lições que aprendeu com Zac.

Zac e Mia é um livro que realmente recomendo. Você não vai se arrepender de conhecer a história desses dois jovens de personalidades tão diferentes, mas que, unidos através de uma tragédia, vão descobrir que apesar de todos os desafios, a vida vale a pena.