9 de março de 2018

Resenha do livro Príncipe Mecânico




O coração humano esconde tesouros
Em segredo guardados, em silêncio selados;
Os pensamentos, as esperanças, os sonhos, os prazeres,
Seus encantos quebrariam se revelados

Charlotte Brontë


Um triângulo amoroso. Muita gente não gosta de histórias assim, não é mesmo? Pois bem, eu sou uma delas. No entanto, quando se trata da autora Cassandra Clare podemos abrir uma exceção bem grande, porque tudo o que ela escreve é simplesmente maravilhoso. E ela caprichou nas declarações românticas que tanto Jem quanto Will fizeram à Tessa.

Príncipe Mecânico é o segundo livro da trilogia As Peças Infernais. No primeiro livro, Anjo Mecânico, somos apresentados ao universo dos Caçadores de Sombras antes do que vimos em Os Instrumentos Mortais. (Vou deixar os links no final, caso você esteja sem entender do que estou falando. Rsrs).

Neste segundo livro da trilogia, Tessa está no Instituto de Londres, vivendo sob a guarda de Charlotte e em companhia dos demais Caçadores de Sombras. A busca por encontrar o Magistrado e entregá-lo à Clave é o foco de todos. Mas, a busca por ele fica em segundo plano na história quando duas surpresas são reveladas: uma delas envolve Benedict Lightwood (que pretende tomar a direção do Instituto de Charlotte) e a outra envolve Jessamine (que decepciona a todos).

Cassandra Clare nos presenteou também nessa história com doses extras de romantismo. A chegada dos irmãos Gabriel e Gideon ao Instituto para treinarem Tessa e Sophie trouxe boas surpresas amorosas. Adorooo!

Henry e Charlotte também tiveram seus momentos. Um grande mal-entendido paira entre os dois em boa parte da história, mas no final tudo se resolve. O mesmo não acontece com Tessa. Pois seu coração se encontra dividido em dois. E não é para menos.

"Posso oferecer-lhe minha vida, mas é uma vida curta; posso oferecer meu coração, apesar de não saber quantas batidas lhe restam. Mas a amo o bastante para torcer que não se importe com meu egoísmo de tentar fazer o resto da minha vida, seja qual for a sua duração, feliz, ao seu lado". James Carstairs

Jem, sempre tão romântico. Um amor de personagem. No lugar de Tessa, eu não teria dúvidas. Mas aí vem o Will e faz uma declaração envolvendo livros! Aí é de amolecer o coração de qualquer uma:

"Você e eu, Tess, somos parecidos. Foram os livros que me impediram de me matar depois que achei que não pudesse amar ninguém, nem ser amado por ninguém. Foram os livros que fizeram com que eu sentisse que não estava completamente sozinho. (...) Sonhei o que você sonhava, quis o que você queria, e então percebi que o que eu realmente queria era você. A menina por trás das cartas. Eu a amei desde o instante em que as li. E ainda amo." William Herondale

Não é à toa que a nossa querida Tessa desabou depois do que esses meninos fizeram com ela:

" - Ainda não partiu o coração dele, partiu?
- Não - disse Tessa. Só quebrei o meu em dois. - Não parti o coração dele."

Ah, e antes que eu esqueça. Apesar de todo romantismo, o que conquistou mesmo o meu coração foi a relação parabatai entre Jem e Will. Deu para sentir a ligação. O que não aconteceu com Jace e Alec na série Os Instrumentos Mortais.

Vamos aos links?

Série Os Instrumentos Mortais:








Série As Peças Infernais


2. Príncipe Mecânico

3. Princesa Mecânica
0

0 comentários:

Postar um comentário