10 de setembro de 2018

Resenha do livro Doce Lar


Doce lar é o primeiro livro da série Sweet, da autora Tillie Cole, publicado em abril deste ano pela editora Essência. 

O livro fala sobre Molly Shakespeare, uma garota britânica que teve uma infância difícil e por isso se dedicou muito aos estudos, como um modo de "fuga" de sua triste realidade. Sua mãe morreu quando Molly nasceu. Seu pai morreu quando ela tinha seis anos. Ela foi criada por sua avó, que alguns anos depois, morreu de câncer. Molly viveu com uma família adotiva até ir para a faculdade no Alabama, EUA. 

Em seu primeiro dia de aula, ela conhece Romeo Prince, o bad boy da faculdade. Ele era um famoso quarterback, admirado pelos garotos e desejado pelas garotas. No entanto, era um rapaz inalcançável, pois não permitia relacionamentos sérios com ninguém. Mas, conhecer Molly mudou seu jeito de ser. Pelo menos um pouco. O fato de os dois terem uma vida difícil os aproximou, eles tiveram uma forte ligação, um completava o outro de um jeito bem particular. 

Não é um romance fofinho. Romeo é um rapaz controlador e cheio de cicatrizes emocionais. Molly, por ter sido desde nova muito independente, necessitava que alguém assumisse o controle por ela de vez em quando, por isso ela se submete ao controle de Romeo. Complicado, não? Mas, se eles se entendem dessa forma... 

Quando saiu o lançamento desse livro, fiquei mega-ansiosa. Amei essa capa e imaginei uma leitura doce como o título. No entanto, não é o que ocorre. Foi difícil ler algumas partes e confesso que senti vontade de abandonar a leitura. Romeo é selvagem, mas Molly gosta disso. E compreende o jeito dele ser. Há um motivo, ele foi maltratado pelos pais desde que nasceu e enfrenta muitos problemas familiares. Acho que foi por isso que não abandonei a leitura. Nem sempre os romances são um mar de rosas e é interessante conhecer outras realidades.

Um ponto positivo do livro foi a amizade. Os personagens: Austin, Jimmy-Don, Cass, Lexi e Ally foram excelentes amigos nos momentos perturbadores do casal.

Outra coisa que gostei foi a carta que o pai de Molly deixou para ela antes de morrer. E as citações de Shakespeare.

Os pontos negativos foram as cenas íntimas entre Romeo e Molly. E as cenas em que Romeo de descontrola destruindo tudo pela frente. O moço é violento, às vezes.

No finalzinho do livro, um personagem importante aparece, Oliver Bartholomeu, e Molly é capaz de consertar um erro do passado. Acho que a partir desse momento é que a história começa a ficar mais interessante.

A professora Ross foi a mãe que Molly não conheceu. E é dela que vem a citação que salvou o livro:

"Molly, um lar não é um lugar. Não é um país, uma cidade, uma casa nem um pertence. Lar é estar com a outra metade de sua alma, com a pessoa que compartilha seu pesar e te ajuda a levar o peso da perda. O lar está na pessoa que, apesar de todas as coisas, nunca desiste de você e te traz felicidade eterna. Isso, Molly, querida, é seu lar doce lar".

Doce lar é um livro para adultos devido às cenas "hot" e as palavras pejorativas. Não sei se recomendo a leitura. Há pontos negativos e positivos na história, por isso não me arrependi de ter lido.

Leia também: Easy


0

0 comentários:

Postar um comentário