3 de maio de 2019

Resenha sobre o livro A canção da Espada (com spoiler)


Eu já estava com saudades das ironias de Bernard Cornwell ao descrever as aventuras de Uhtred. Dei um tempo na leitura da série Crônicas Saxônicas para ler outros estilos e agora decidi dar continuidade. 

A Canção da Espada é o quarto livro da série. A história começa com Uhtred sendo convocado para falar com um morto que diz que ele será rei. Como Uhtred adora essas coisas, foi ouvir o que o morto tinha a dizer. E foi uma cena e tanto para esse morto sair da sepultura e falar!

Mas tudo isso não passava de uma armação de Sigefrid, que queria fazer de Uhtred rei da Mércia e para isso queria que ele trouxesse Ragnar para lutar ao lado deles. Claro que Uhtred ficou bastante tentado com a proposta, mas ao descobrir que o morto estava na verdade bem vivo e tudo não passava de armação, resolveu continuar com sua lealdade a Alfredo. 

Æthelflaed, filha de Alfredo, está passando por momentos difíceis com o seu esposo, Æthelred. Ele é um homem ciumento e tenta controlá-la à força. Só que até mesmo Alfredo defende a violência do genro, dizendo que Æthelflaed precisa aprender a obedecer ao marido. O ano é 885, então não dá para se surpreender com isso. 

A batalha contra Sigefrid para conquistar Lundene mostra mais do heroísmo de Uhtred. No entanto, o padre Pyrlig tem uma importante participação nela. E também Osferth, filho bastardo de Alfredo, é tomado por um momento de coragem e fere Sigefrid significativamente. 

Depois que Lundene foi tomada, tudo parecia estar mais tranquilo até que Alfredo aparece lá de surpresa, nomeia Uhtred governador militar e Erkenwald bispo de Lundene. Só que Erkenwald odeia Uhtred e claro que os dois liderando um mesmo lugar não daria certo.

Æthelred sente ciúmes de Uhtred, quer ter a mesma fama de guerreiro temido que Uhtred tem. Por isso ele vai batalhar contra os vikings sozinho. Nessa batalha, os homens de Sigefrig capturam Æthelflaed. Uhtred é enviado para negociar o seu resgate e é humilhado por Sigefrid. E além disso, ele propõe que Uhtred lute com um gigante, o Weland. Mas Steapa, louco por uma luta, se propôs primeiro. Foi um combate corpo a corpo, uma luta feroz entre dois gigantes.

A grande surpresa depois da negociação do resgate foi descobrir que Erik (irmão de Sigefrid) e Æthelflaed estavam apaixonados. Erik propõe a Uhtred que o ajude a fugir com ela. Uhtred aceita o desafio, mas os planos não saem como o esperado.

Haesten, que estava ao lado de Sigefrid e Erik, decide traí-los raptando Æthelflaed para ficar com o valor do resgate sozinho. Quando Uhtred chega para ajudar Erik a fugir com Æthelflaed, é com essa cena que se depara. Então, Uhtred luta contra os homens de Haesten, depois contra os homens de Sigefrid, é uma confusão só. Todo mundo traindo todo mundo e os homens lutando sem saber por quem. É de dar boas risadas com essas confusões que o autor relata.

No início dessa série eu não gostava muito de Uhtred. Agora estou mais habituada com o jeito dele e até gosto. O final desse livro foi lindo com Uhtred consolando Æthelflaed, pois Sigefrid matou Erik.

Uhtred diz a Æthelflaed que ninguém deverá saber sobre o caso de amor que ela teve com Erik. Foi lindo!

O próximo livro da série é Terra em Chamas.

Leia também: As Crônicas de Artur

Nenhum comentário:

Postar um comentário