Resenha sobre o livro Verity




Ouvi falar tão bem desse livro que não tive paciência para esperar o lançamento dele em português. E a história é boa mesmo, mas, sendo da Colleen Hoover, eu não esperava que fosse diferente.

O início de Verity relata uma cena bastante trágica. E não deixei de perceber um pouco de semelhança com o início de É Assim que Acaba. O primeiro encontro do casal ser uma conversa reveladora sobre tragédias. Mas, as semelhanças acabam por aí.

Lowen Ashleigh é uma escritora que está passando por um momento difícil. Ela se afastou de tudo e de todos para cuidar de sua mãe que estava com câncer. Depois que a mãe morre, ela tenta voltar à vida normal. Uma reunião com o seu agente, que também é seu ex-namorado, está prestes a dar um novo rumo à carreira de Lowen. 

Jeremy, o homem que Lowen encontra em meio à cena trágica, por coincidência, faz parte da reunião. Ele é o esposo de uma autora que está impossibilitada de escrever devido a um acidente. Lowen é convidada a dar continuidade à série que Verity estava escrevendo.

Para se familiarizar com a escrita de Verity e com o intuito de encontrar rascunhos que a ajudem a escrever, Lowen vai passar uns dias na casa de Jeremy e Verity. Lá ela descobre que Verity está em estado vegetativo e não se sente nem um pouco confortável em invadir a privacidade dela. Mas, como está cumprindo um pedido de Jeremy, Lowen tenta se habituar.

Não é surpresa nenhuma que Jeremy e Lowen acabem se envolvendo. Eles tentam se controlar no início, mas logo cedem à paixão. Ainda mais depois que Lowen descobre que Verity tinha uma vida muito sombria que escondia de Jeremy. 

O mistério gira em torno da morte das duas filhas do casal. Quanto mais Lowen descobre sobre isso, mais horrorizada fica.

É uma leitura agradável, que prende. O final é surpreendente e aberto a duas interpretações. Eu fico com a primeira versão (quem leu vai entender). Verity sabe jogar. Rsrs. 

Leia também: Eu sou o número quatro


Comentários

  1. Eu nunca li nada da CoHo, mas as amigas que me conhecem e sabem um pouco como são meus gostos, me disseram que vou adorar esse. Detalhe: eu preciso esperar que dona Record traga logo a tradução. Queria eu ser capaz de ler em inglês... hhehehehe
    Ótima resenha. Estou bem curiosa... Beijos

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o livro Vampiros em Dallas

Resenha sobre o livro De repente

A Batalha Final