Resumo dos primeiros capítulos de O Farol de Fisher


O farol de Fisher, da escritora Tara Sivec, foi lançado em 17 de fevereiro deste ano pela editora Verus. Me apaixonei pela sinopse e quero muito esse livro, mas, no momento, tive que me contentar com a amostra grátis. Primeiro livro da autora que tive contato. Talvez, em breve, eu leia outros livros dela, pois me interessei pelos que pesquisei.

Vamos ao resumo dos três primeiros capítulos?

Resumo

Em sua nota, a autora explica que o pai dela foi veterano na Guerra do Vietnã e que ele nunca falou sobre os seus dias na guerra e a família sabia que era um assunto em que não deveriam tocar. Mas, certo dia, ele começou a falar sobre Transtorno de estresse pós-traumático e como mesmo depois de 40 anos o que ele passou no exterior ainda tinha um profundo impacto sobre ele. 

No prólogo, Fisher descreve uma porta. Essa porta é figurativa, uma barreira entre ele e os cantos obscuros do seu subconsciente. Às vezes, ele abre essa porta e é levado com violência a reviver os erros que cometeu. Fisher se lamenta por ter deixado a esposa partir. Ela era a luz da vida dele e Fisher quer ter essa luz de volta. 

No capítulo um, Fisher tem um pesadelo e isso assusto muito a sua esposa, Lucy, pois ele está gritando e socando o colchão. Lucy faz de tudo para acordá-lo, mas não consegue. Fisher se debate a ponto de bater também na esposa. Lucy chora, mas não quer sair de perto do esposo e deixá-lo naquela situação. 

Quando Fisher finalmente acorda, abraça a esposa, o coração extremamente acelerado. Quando Fisher vê um hematoma no rosto de Lucy, fica arrasado. 

Os pesadelos de Fisher ficam cada vez piores e a esposa não sabe mais o que fazer.  

Lucy insiste para que Fisher lhe fale sobre o que aconteceu na guerra. Mas, quando ele o faz, ela se arrepende por ter feito esse pedido. Lucy chora escandalizada pelas coisas que o marido viveu. Fisher percebe que não deveria ter falado nada, e a consola.

Depois dessa noite, os pesadelos cessam e Lucy tenta acreditar que tudo ficará bem. Mas, depois de um ano, Fisher se voluntaria mais uma vez. A decisão não é aceita com facilidade por Lucy, que quer o marido longe daquele inferno, mas, ao mesmo tempo, ela se orgulha dele pelo trabalho corajoso que faz. 

No capítulo dois, 14 anos e 5 convocações depois, Fisher e Lucy se divorciam. A decisão partiu dele e Lucy ficou extremamente magoada com as coisas que ele disse. Lucy administra uma pousada que herdou da família, a Casa Butler. Essa pousada precisa de muitos reparos e não dá muito lucro.

Fisher e Lucy viveram juntos por 14 anos, mas, juntos mesmo, convivendo, foi por pouco mais de 6 anos. Ele a ajudava na pousada quando não estava em serviço.  

Depois do divórcio, Fisher abriu uma conta poupança para Lucy e todo mês depositava uma quantia, mas ela nunca usou esse dinheiro. Guardava os comprovantes dentro de uma caixa, mas sequer contabilizava quanto tinha. 

Era difícil para Lucy esquecer Fisher. Os ancestrais dele foram quem fundaram a ilha e o sobrenome Fisher está em quase todo estabelecimento comercial. O avô de Fisher, Trip, é um senhor de 83 anos, mas é bastante ativo e ajuda Lucy na manutenção da pousada fazendo os consertos necessários. Ele foi o único da família que recebeu Lucy de braços abertos quando ela e Fisher se casaram e sofreu muito com o divórcio dos dois.

Lucy fica um pouco apreensiva, pois ficou sabendo que Fisher está prestes a voltar para a ilha.

No capítulo três, Lucy relembra uma das vezes em que Fisher voltou para casa. Nessa ocasião, ele tinha passado 16 meses fora, no Kuwait. Embora Lucy tenha ficado feliz em ver o marido voltar em seu uniforme militar, coisa que normalmente ele não fazia, Lucy se assustou um pouco com a atitude dele. Sem dizer uma palavra, Fisher pressiona a esposa contra a parede e faz sexo com ela de uma maneira nada gentil. Depois disso, a relação entre eles fica estranha, Fisher não a toca mais, fica sempre se esquivando e Lucy tem a sensação de que fez algo errado. Fisher está frio, sem emoção, bebendo com mais frequência e Lucy deseja fazer algo que desperte nele o homem que ele costumava ser. 

***

Como li apenas a amostra, o resumo acaba aqui. Quero muito ler esse livro, percebi muito sentimentalismo na história. E vocês? O que acharam? 

O livro está à venda na Amazon através deste link




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A arte de perder - Elizabeth Bishop

Resenha do livro O Conde de Monte Cristo

Resenha sobre o livro O Perseguidor: Um Romance Dark