Resenha sobre o livro Meu amor absoluto

 


É preciso ter estômago para ler esse livro, sabe? Porque ler sobre abuso sexual já é difícil. E ler sobre abuso praticado pelo próprio pai é muito, muito repugnante. No entanto, surpreendi a mim mesma lendo esse livro até o final porque eu queria saber como a história iria terminar.

Turtle é uma garota de 14 anos que mora sozinha com o seu pai, que é louco, louco demais, do tipo que aparenta ser normal, mas que só quem convive sabe. Martin, o pai de Turtle, é um sujeito traumatizado. O autor não explora os motivos do personagem ser como é, apenas dá uma pincelada sobre a possível vida que ele teve, já que o pai de Martin, foi veterano de guerra e o Martin o acusa de não ser um santo. 

Só que o avô de Turtle é bondoso com ela. Então, no presente, ele é um sujeito pacífico. Bebe muito, mas não é agressivo. É um bom avô. Mas, dá para entender no decorrer da história, que ele não foi bom para o Martin. 

Martin vive recluso com a filha em uma casa afastada de todo mundo, tipo uma floresta. Isso faz com que as pessoas não percebam o modo como ele cria a filha. Ele a prepara para um ataque inimigo. Mesmo com 14 anos Turtle sabe técnicas de como sobreviver na floresta, ela sabe atirar muito bem, montar e desmontar armas. Ela anda armada no meio da vegetação, sempre pronta para o ataque. Só que o inimigo é o próprio pai, o homem que ela ama por ser a única pessoa que ela tem e que a ensinou tudo o que ela sabe. Turtle sabe que o que o pai faz com ela é errado, mas, por amá-lo, ela meio que procura justificar as atitudes dele. 

É triste. É lamentável.

Na escola, uma das  professoras suspeita que há algo errado com Turtle e Martin. Ela até suspeita dos abusos, mas, quando tenta conversar com Turtle, a garota sempre é arredia com ela. Mesmo odiando o jeito de Martin, Turtle o imita porque não sabe ser de outra forma. Não sabe confiar nas pessoas. 

Apesar de ter lido diversas críticas sobre esse livro, eu acho que o autor soube trabalhar muito bem a mente de uma personagem como Turtle. O ódio e amor que ela sente pelo pai. 

Outra pessoa que também suspeita dos abusos, é o pai de Martin. Em alguns momentos, ele até tenta conversar com Turtle, mas é como se ele suspeitasse, mas não quisesse saber da verdade, então se acovarda. É tão covarde que no momento que Martin o confronta pra ver se ele diz o que pensa, o velho passa mal e não diz nada. Esse é um momento tenso da história. 

Algumas cenas são bastante difíceis de ler. Principalmente como Turtle é permissiva com Martin porque sabe que se não for assim, será punida. 

Tudo fica pior quando Turtle se apaixona por um rapaz. Apaixonada, ela não quer continuar tendo relações com o pai. Martin percebe e a relação entre eles piora, porque há um concorrente. Martin diz que Turtle é dele, "meu amor absoluto", palavras tão lindas, mas que, nesse contexto, passam a ser horríveis.  

É claro que essa história termina em catástrofe. Não tem como ser diferente. É uma história horrível, mas bem escrita. Dá para explorar muitas coisas em um debate. Inclusive sugiro esse livro para grupos de Leitura Coletiva. Dá um debate ardente. 

Meu amor absoluto está à venda no site da Amazon através deste link

Leia também: Estilhaça-me.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Menestrel - William Shakespeare

Resenha do livro O Conde de Monte Cristo

Resenha de Apegados