10 de janeiro de 2019

Resenha sobre o livro Um dia em dezembro (com spoiler)


Laurie e Sarah são duas amigas que dividem o mesmo apartamento. Certo dia, às vésperas do Natal, Laurie, da janela do ônibus, vê um rapaz. Os olhares deles se cruzam e... bum! É paixão à primeira vista. Só que o ônibus vai embora e Laurie perde a chance de se aproximar do rapaz e conhecê-lo. Para nossa surpresa, ela passa meses procurando esse rapaz. E sua amiga, Sarah, procura ajudá-la da melhor forma que pode. 

Dez meses após esse episódio, Sarah conhece um rapaz no elevador e eles marcam um encontro. Começam a namorar e, na festa de comemoração ao Natal, quando Sarah resolve apresentar seu namorado, Laurie descobre que o tão procurado garoto do ponto de ônibus é Jack, o novo namorado de sua amiga.

Depois de enfrentar algumas dificuldades para digerir essa informação, Laurie acaba se acostumando com a presença de Jack em sua vida como namorado de sua melhor amiga e os dois passam a ser amigos também.

Um ano se passa e os dois continuam na mesma situação. Sentem uma grande conexão, mas não avançam o sinal. Nem confessam que se lembram um do outro ainda no ponto de ônibus. Até que em um determinado dia, enquanto Laurie ajuda Jack a comprar um presente de Natal para Sarah, eles acabam se beijando. Mas depois eles ficam se sentindo imensamente culpados e resolvem fingir que nada aconteceu.

Sarah é promovida em seu trabalho e resolve morar em um apartamento melhor e mais próximo do local. E Laurie resolve passar alguns meses na Tailândia, para relaxar um pouco depois que o seu pai teve um infarto e ela passou meses preocupada e ajudando a mãe a cuidar dele.

Na Tailândia, Laurie conhece Oscar. Um inglês que, assim como ela, está dando um tempo em sua vida agitada. O que era para ser um romance de férias, se torna algo mais sério quando os dois retornam a Londres.

Oscar e Laurie decidem morar juntos depois de pouquíssimo tempo juntos. Mesmo sendo muito diferentes, pois Oscar é bem rico, eles se dão bem. No entanto, a mãe de Oscar não se agrada muito de Laurie e deixa isso claro a cada encontro. Para a mãe, Oscar deveria estar com a ex-namorada e não com Laurie.

Mesmo assim, Oscar e Laurie se casam. E dias antes deles se casarem, Sarah acaba descobrindo que seu ex-namorado (sim, a essa altura ela e Jack tinham terminado o namoro depois de quase 4 anos juntos) era na verdade o rapaz do ponto de ônibus. As amigas têm uma briga séria e se afastam, fazendo com que Sarah não compareça ao casamento. Como Sarah era a madrinha e ia deixar um breve discurso durante a cerimônia, Jack, para não deixar Laurie constrangida, acaba indo dar o discurso no lugar de Sarah. Só que ele se empolga um pouquinho nesse discurso e acaba dando a entender que a amizade deles tinha algo a mais.

Jack namora outras mulheres, vai embora do país, prossegue com a vida e parece que o romance dele com Laurie jamais vai acontecer.

Enquanto isso o casamento de Laurie não vai muito bem, pois Oscar, apesar de ser um marido, trabalha três dias por semana em outro país. Fica muito ausente e ainda trabalha com a ex, que fica o tempo todo dando em cima dele.

Quando Oscar é promovido e decide morar de vez no outro país, Laurie não tem coragem de desistir de sua vida em Londres por ele. Na verdade, o amor dela não era suficiente para isso, e ela pede o divórcio.

Depois de alguns meses, seguindo o conselho de Sarah, Laurie decide ir atrás de Jack. Ele confessa que se lambra dela como a garota do ônibus, como até então não havia feito, e os dois ficam juntos.

Um dia em dezembro me fez lembrar de dois livros: Simplesmente Acontece, porque também fala de dois amigos que demoraram muuuuito a ficar juntos. E A luz que perdemos, porque acho que Jack, assim como Gabe, não eram tão apaixonados assim pelas protagonistas das histórias. Jack sentia algo por Laurie, mas ele não desistiu de Sarah por causa disso. Pelo contrário, passou bastante tempo com ela. E só terminaram porque Sarah estava começando a se envolver com outro rapaz.

Laurie deveria mesmo era ficar com Oscar, mas ela nunca o amou o suficiente. Por isso não quis se mudar com ele.

Apesar das críticas negativas, eu gostei desse livro e recomendo a leitura.

Um dia em dezembro foi publicado em novembro de 2018 pela Bertrand Brasil. E está à venda no site da Amazon

Nenhum comentário:

Postar um comentário