Resenha sobre o livro Areia Movediça

 


Areia movediça foi um livro que "caiu em minhas mãos" por acaso. Vi a indicação em um grupo de leitura e fui pesquisar sobre ele na Amazon. Não tinha intenção de comprar de imediato, mas como estava custando apenas 13,00 Reais, não pensei duas vezes. A melhor compra que fiz este ano! Por enquanto!

No início, fiquei muito impaciente com a leitura porque eu queria saber logo o que tinha acontecido. Então, se você é impaciente, se prepare, porque a personagem vai relatando aos poucos o que aconteceu. 

O livro fala sobre um massacre em uma escola na Suécia. Vou postar a sinopse porque a considero interessante.

Sinopse

Toda história tem mais de um lado. Em qual deles você vai acreditar?

A vida de Maja Norberg parecia incrível: ela era jovem, bonita, inteligente e popular. Nada iria dar errado. Até que houve o tiroteio na escola: seu namorado e sua melhor amiga estão mortos e ela é a única acusada dos crimes. Maja não consegue refazer mentalmente os caminhos que a colocaram nessa situação, mas uma coisa é certa: ela é a adolescente mais odiada da Suécia.

Após nove meses na prisão, é hora do julgamento. Os advogados estão usando todos os recursos possíveis para provar sua inocência, mas a promotoria, a mídia e os olhares de todos à sua volta nitidamente desejam o oposto.

Narrado do ponto de vista de Maja, que trata o leitor como um confidente, Areia movediça entrelaça as memórias da garota a um cenário de tensão racial e econômica que, aos poucos, ajuda a revelar as peças de um surpreendente quebra-cabeças. Panorama perspicaz de uma juventude desmoronando, o livro toca em temas como imigração, conflito de classes e o isolamento adolescente, embalados por uma ótima narrativa de crime e tribunal.

A história já começa com o julgamento de Maja. Sabemos que ela atirou na melhor amiga e no namorado, o que resta saber ao longo da história foi o motivo por trás de tudo isso. 

No início da leitura, não simpatizei muito com Maja. A impressão que eu tinha é que ela era uma pessoa má, que escondia muita coisa. Claro que esse foi o objetivo da autora, confundir a nossa mente ou nos deixar em dúvida quanto ao caráter da personagem. Conforme fui avançando na leitura, fui constatando que Maja não era nenhuma santa (afinal, que é?), mas talvez não estivesse ciente da teia de aranha em que estava se enrolando.

Sebastian era o típico garoto rico, popular e com problemas. O pai dele, Claes Fagerman, só estava interessando em seus negócios e não dava valor à família, com exceção de seu filho mais velho que estudava em Harvard e estava seguindo os passos do pai. Fagerman descartou a mãe do Sebastian como lixo e destratava o filho constantemente. Sebastian se sentia rejeitado, excluído e compensava a falta de amor com festas e uso constante de drogas. Com o tempo, a rejeição do pai foi aumentando e Sebastian se afundando cada vez mais. Apenas Maja ficou ao lado dele. E a essa altura, Maja não estava mais apaixonada, mas era a única pessoa que Sebastian tinha ao seu lado e por esse motivo ela não queria abandoná-lo. 

Quando Maja começou a namorar Sebastian, se sentia privilegiada por ter sido escolhida pelo garoto mais popular e rico da escola. Depois que foi descobrindo os problemas da família Fagerman, a garota não se sentia mais tão privilegiada assim. Quando descobriu que não estava mais apaixonada por Sebastian, não tinha coragem de terminar o namoro, pois sabia que, sem ela, Sebastian afundaria mais rápido. 

Maja foi inocente? Culpada? Ingênua? Quem somos nós para dizer! Ela não teve apoio quando precisou, não confiou em ninguém para pedir ajuda, foi afundando junto com Sebastian. Poderia ter feito tudo diferente? Sim, talvez... Mas, naquele momento, Maja não via saída. Eu compreendi o dilema da personagem. É o mesmo dilema em todos os relacionamentos tóxicos. 

Outro personagem importante foi o Samir. Talvez, se ele tivesse sido mais corajoso, o destino de Maja tivesse sido diferente. Ou não. Talvez a tragédia fosse acontecer de toda forma, pois Sebastian era um garoto problema desde o início. 

Gostei tanto da história que decidi assistir à série. Gostei. Mas, se eu não tivesse lido o livro primeiro, a série não teria sido tão interessante assim para mim. 

O final pode lhe surpreender!

Confiram o casal:

Felix Sandman e Hanna Ardéhn



O livro Areia Movediça está à venda no site da Amazon através deste link.

Quer ler mais sobre relações problemáticas? Conheça Romance Tóxico - Amor Amargo


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Menestrel - William Shakespeare

Resenha do livro O Conde de Monte Cristo

Resenha de Apegados