Resenha sobre o livro Corte de Névoa e Fúria

 


COM SPOILER!

Corte de Névoa e Fúria é o segundo livro da série Corte de Espinhos e Rosas da autora Sarah J. Maas. O livro foi lançado em 2016 pela Editora Galera. 

Neste segundo volume, os fatos são mais interessantes. Feyre agora é imortal e herdou os poderes dos sete Grão-Feéricos, algo que ela não sabia até que esses poderes foram se revelando aos poucos. Aliás, Feyre pouco sabe sobre o mundo dos Feéricos e Tamlin não a ajuda com isso. Na verdade, Tamlin está extremamente protetor desde que foram libertados do cativeiro de Sob a Montanha. 

Três meses se passam e Tamlin mantém Feyre na mansão sempre vigiada por seus guardas. Ele não conversa com ela sobre os problemas existentes. Ele faz questão de manter Feyre ignorante sobre tudo. A relação deles é mais sexual. Sempre que eles têm um conflito o sexo é usado como forma de apaziguar as coisas. Então, naturalmente, mágoa e descontentamento vão surgindo entre eles, principalmente com a Feyre. 

Feyre tem pesadelos, ela não consegue superar o que aconteceu enquanto estava em cativeiro, as coisas pelas quais teve que passar... Ela tem pesadelos e quando acorda, corre para o banheiro para vomitar. Tamlin finge que não percebe isso. E esse foi um dos motivos dos leitores da série o criticarem muito. Na verdade, eu entendo um pouco o lado dele. Ele quer dar privacidade a Feyre. Tempo para ela superar. Portanto, não acho que Tamlin seja mau, apenas não soube lidar com a situação. 

Feyre tinha um acordo com Rhysand, o Grão-Senhor da Corte Noturna, de que passaria uma semana a cada mês na corte dele. Rhys não cobrou essa dívida até que ouviu um apelo de Feyre. Feyre estava prestes a se casar com Tamlin quando percebeu que não estava pronta para assumir esse compromisso. E foi nesse momento, bem na hora da cerimônia, que Rhys apareceu para cobrar a dívida e salvou Feyre do casamento.  

O que eu achei estranho, foi que uma semana depois, quando Feyre retornou à Corte Primaveril, ela e Tamlin não conversaram sobre o assunto. Tamlin viu que Feyre hesitou na hora do casamento e não a questionou sobre isso quando ela voltou. 

Feyre queria ser treinada, queria saber lutar e se defender caso precisasse, e com certeza ela precisaria disso vivendo entre os feéricos e com uma guerra se aproximando. Mas, Tamlin insistia em dizwer que isso era perigoso e trancafiava Feyre cada vez mais. 

O ápice dessa proteção foi quando Tamlin trancou Feyre em casa. Ela teve um surto ao perceber que estava trancada e Rhys deu um jeito de libertá-la e a levou para a Corte Noturna, de onde Feyre não saiu mais. Ela provou da liberdade e não quis abrir mão dela. 

Apesar de sempre rolar o maior clima entre Rhys e Feyre, o romance entre eles não acontece de imediato. Rhys sabe que Feyre não está em seu melhor momento e que ela precisa superar seus traumas. Rhys a apoia muito porque ele entende sobre o que Feyre está passando, uma vez que ficou 50 anos como prisioneiro de Amarantha. 

Uma coisa que achei legal, foi que logo na primeira semana que Feyre passou na Corte Noturna, Rhys deu um jeito de ensinar Feyre a ler. Porque isso foi algo que me incomodou muito logo no primeiro livro, o fato de Feyre ser analfabeta. 

Feyre é treinada, aprende a controlar os poderes, se torna parte do Círculo Íntimo de Rhys, que são os líderes que defendem a Corte dele e tudo aparenta estar indo bem até eles receberem os ataques do novo inimigo. 

O livro tem muitas reviravoltas, principalmente com o que acontece com as irmãs de Feyre. 

Os personagens secundários são bastante interessantes. Gostei muito dos amigos do Rhysand. 

E ainda não consigo detestar o Tamlin. Ainda acho que o que ele fez foi para proteger Feyre, e ele achava Rhys estava controlando a mente dela, o que faz sentido, pois esse era o principal poder Rhys, entrar na mente das pessoas e fazer lá o que quiser.

Tamlin tem suas falhas. Eu mesma comentei na resenha do primeiro livro que ele ficou muito omisso quando estavam Sob a Montanha. Mas, ele não é um inimigo, é apenas alguém sem atitude na hora de agir. 

Vamos ver se no terceiro livro ele realmente se torna um vilão. 

Rhysand é o oposto de Tamlin. Ele dá a Feyre total liberdade, faz com que ela cresça, se desenvolva. O final do livro prova isso. Rhys coloca Feyre acima de tudo, até dele mesmo. 

Estou bastante ansiosa para ler o terceiro livro, Corte de Asas e Ruína. 

E há também um spin-off da série chamado Corte de Gelo e estrelas. 

Você pode comprar Corte de Névoa e Fúria clicando neste link.

Leia também: O príncipe cruel - Estilhaça-me

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Menestrel - William Shakespeare

Resenha do livro O Conde de Monte Cristo

Resenha sobre o livro After (com spoiler)